Computação em Nuvem e Internet das Coisas: entenda essa relação

Lucas Fonseca e Silva
Colaborador do Hora Da Facul

Crédito: Photo by ThisIsEngineering from Pexels

Se você está bem ligado ao meio digital, já deve ter ouvido falar em Computação em Nuvem e Internet das Coisas. Mas, ouvir falar é uma coisa, saber a fundo sobre esses assuntos já é uma outra história.

Pensando nisso, além de contextualizar sobre esses dois conceitos, preparamos um conteúdo para mostrar a relação entre eles.

Se você pensa em ingressar em um curso de tecnologia ou apenas se interessa pelo assunto, continue a leitura.

O que é Computação em Nuvem?

O conceito de Computação em Nuvem, ou cloud computing, é a possibilidade de navegar e realizar diversas tarefas no meio online. Isso sem ser necessário instalar aplicativos ou outros programas. Isto é, você pode utilizar ferramentas online para acessar arquivos e navegar na internet. Pois, o armazenamento, nesse caso, não está em um computador específico, mas sim em uma rede, chamada de nuvem. 

Dessa forma, é possível acessar seus arquivos através de qualquer dispositivo com acesso à internet. Justamente pelo fato de que, o armazenamento é feito em uma rede e não na memória interna do computador. 

Podemos usar como exemplo as plataformas de armazenamento como Google Drive, Dropbox, iCloud, entre outras. Essas ferramentas não só poupam o armazenamento interno de computadores, mas também permitem o acesso de dados, através de qualquer dispositivo autorizado pelo usuário.

O que é Internet das Coisas?

A Internet das Coisas é o conceito que relaciona atividades cotidianas e itens usados dia a dia aos avanços tecnológicos. O objetivo principal é integrá-los a uma rede global de computadores. Ou seja, até mesmo os itens que nunca imaginamos que poderiam ser influenciados pelo uso da rede, podem se beneficiar da evolução da tecnologia. 

Entre esses itens inteligentes, podemos citar desde as coisas de casa, como geladeiras, luminárias, portas, aspiradores de pó, até outros bens materiais, como aparelhos de som, carros, veículos elétricos, entre outros.

Essa ideia traz mais versatilidade e funcionalidade à diversos itens de uso cotidiano e permite um desenvolvimento tecnológico ainda maior da sociedade. Os recursos da Internet das Coisas facilitam a vida dos usuários e disponibilizam ferramentas extras já habituais do nosso dia a dia.

Qual a relação entre Computação em Nuvem e Internet das Coisas?

Quando pensamos nas facilidades trazidas pelo uso da tecnologia, já começamos entender o primeiro ponto da relação entre esses dois conceitos. 

Porquanto, assim como na Computação em Nuvem, o objetivo é dar mais recursos ao usuário, além de garantir a praticidade de navegação nas redes. Isso é feito através de ferramentas que permitem um acesso prático e totalmente online de diversas categorias de arquivos e plataformas. 

Já pensando na definição de Internet das Coisas, percebe-se que o objetivo se aproxima do conceito de Computação em Nuvem. Pois, também busca facilitar e dar mais alternativas para a experiência do usuário.

Sendo assim, considera-se que a evolução da Internet das Coisas depende, em partes, da Computação em Nuvem. Pois, o armazenamento amplo de informações em nuvem permite o acesso em tempo real, através de diversos tipos de dispositivos.

Além da facilidade de acesso aos dados, a Computação em Nuvem garante segurança para as informações armazenadas em dispositivos inteligentes. 

Apesar de ser uma rede universal, a nuvem é um ambiente muito seguro para armazenamento e preservação de dados.

Portanto, podemos concluir que a Internet das Coisas e a Computação em Nuvem atuam em conjunto. Observamos essa relação, a medida que pensamos na evolução tecnológica e na transformação das nossas atividades diárias.

Quais as vantagens de integrar a Computação em Nuvem e a Internet das Coisas?

Se você é fascinado por tecnologia, deve entender que as transformações do ambiente digital trazem novas funcionalidades à nossa vida. Por isso, a integração entre o armazenamento em nuvem e os dispositivos inteligentes trazem diversas vantagens, como:

Praticidade financeira

Assim como os dispositivos inteligentes que oferecem diversas funções em uma só ferramenta, o armazenamento em nuvem é de grande viabilidade financeira. 

Portanto, a nuvem permite que as empresas e os usuários poupem seus gastos com armazenamento interno, hardwares e outros.

Segurança e Eficiência

A segurança, como já falamos, é um fator muito determinante na aplicação do armazenamento em nuvem para dispositivos inteligentes. 

Sendo assim, além de proteger os dados, a nuvem permite o acesso de informações através de qualquer dispositivo que tenha acesso à internet.

Inovação

A inovação é um dos conceitos básicos da tecnologia. Neste caso não é diferente.

Já imaginou, por exemplo, ter um dispositivo inteligente que limpa toda a sua casa sozinho? Então, essa pode ser umas das ferramentas criadas através da Internet das Coisas. E, para facilitar esse desenvolvimento inovador, a Computação em Nuvem atua no armazenamento de dados e na construção de inteligências artificiais.

Como se especializar em Computação em Nuvem e Internet das Coisas?

Atualmente, há faculdades brasileiras que disponibilizam cursos de graduação na área de Computação em Nuvem, bem como no estudo da Internet das Coisas. Os cursos são do tipo Tecnólogo, com duração média de 2 anos e meio. 

Além disso, outros cursos de pós-graduação ou cursos livres também são excelentes alternativas para profissionais já formados na área de Tecnologia da Informação. Desse modo, é possível se inserir nesse mercado de trabalho através de uma especialização profissional.

Diversas outras possibilidades para o desenvolvimento tecnológico

A tendência é que, cada vez mais, nós nos integraremos com o uso da tecnologia. Assim, como a dependência do uso de smartphones e tablets, dispositivos que facilitam nossas atividades diárias e nos dão praticidade. Essa funcionalidade se deve, principalmente, ao acesso de informações e o relacionamento interpessoal. 

O surgimento de novos dispositivos inteligentes pretende auxiliar nossas atividades diárias. Além disso, o objetivo é levar a inteligência artificial como um mecanismo voltado para o desenvolvimento social, econômico e tecnológico.

Esse desenvolvimento vai além da inserção de novas ferramentas e está relacionado à otimização de processos. Esses conceitos envolvem melhorias na proteção de dados e na tomada de decisões de uma empresa, por exemplo.

Gostou do conteúdo? Se tiver dúvidas ou sugestões, deixe nos comentários abaixo. E, para ficar por dentro de novos conteúdos relacionados à área de tecnologia, acesse o blog Hora da Facul.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.