O que é Arquitetura da Computação em Nuvem? 

Roberto Dezorzi
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Crédito: Canva.

A arquitetura tradicional está ligada às edificações e estruturas físicas de nosso dia a dia. Já a Arquitetura de dados cuida da organização das informações e dos dados de uma corporação, empresa ou instituição na área de TI. Mas, o que é a arquitetura da Computação em Nuvem? 

Assim como a sua “irmã” voltada à construção de dados em uma estrutura organizada, a arquitetura de uma nuvem é formada por diversos componentes, físicos e ligados à tecnologia, que permitem a existência de uma estrutura.

À primeira vista, sabemos que parece complexo para alguns. Em razão disso, queremos explicar este conceito de uma maneira mais completa.

O que é Arquitetura da Computação em Nuvem

Em síntese, a arquitetura de computação em nuvem é a união, a coleção ou a soma dos inúmeros componentes para, então, termos o cloud computing. 

Entretanto, antes da Arquitetura, necessitamos primeiramente de uma infraestrutura física que torna a computação em nuvem algo funcional e real. Precisamente, computadores, servidores, cabos, switches, etc.

Arquitetura na nuvem, sinônimo de união

O conceito de Arquitetura de nuvem nada mais é do que a união de diversas tecnologias e fontes.

Agora, preste atenção que vamos tentar explicar de uma maneira simples o que é a Arquitetura na Computação em Nuvem em uma sequência:

  • Em um primeiro momento temos 2 ou mais computadores/servidores, ambos isolados e funcionando separadamente;
  • Em função de uma determinada necessidade eles se unem através de uma conexão (rede) para formar uma Nuvem;
  • Com o tempo, outras unidades vão se juntando e integrando esta estrutura de dados, serviços, armazenamento e aplicações. E assim por diante;
  • O resultado é a criação da Arquitetura da Computação na Nuvem que é uma estrutura ou ambiente projetado para criar um espaço organizado. Esta vai abrigar dados, serviços, aplicações e outras diversas funcionalidades. Ademais, compartilham armazenamento, velocidade e, sobretudo, se tornam um serviço escalável;
  • A arquitetura da nuvem define quais componentes a integram, assim o que cada um fará dentro dela. Exemplificando, como serão os relacionamentos entre eles.

Enfim, após esta explicação didática feita passo a passo, podemos afirmar: quando tecnologias individuais se unem, elas acabam formando uma arquitetura, e, na sequência, uma nuvem

A arquitetura em nuvem pretende fornecer aos usuários, acesso ininterrupto, e em quantidades quase infinitas a dados e aplicativos. Além disso, acesso a uma rede eficiente, independente do local ou dispositivo. Logo, sem uma Arquitetura de rede rápida e bem estruturada a Nuvem não pode existir.

Como é dividida a Arquitetura da Computação em Nuvem?

Primeiramente, toda estrutura é formada por partes. Com a arquitetura em nuvem isso não seria diferente. Atualmente, em TI, ela pode ser dividida em duas partes bem diversas:

Assim, entenda como front-end a parte dedicada ao espaço do cliente. Em outras palavras, é a que o usuário usa para utilizar a nuvem e o back-end nada mais do que a própria nuvem.

Front-end

A primeira parte: a porta de entrada

Existem diversos caminhos e formas de um cliente de nuvem acessá-la sem dificuldades. As mais conhecidas e convencionais são as que qualquer pessoa utiliza no seu dia a dia, o browser – o que chamamos de navegador da web. 

Logo, o navegador (Chrome, Mozilla, Edge, etc.) é o que chamamos de porta de entrada. O usuário regular de internet e nuvem, como eu e você, pode utilizar também um app específico para determinado serviço oferecido em uma nuvem. 

Necessariamente, quando você usa e acessa o front-end, através do seu navegador, este não precisa ficar fazendo processando códigos, cálculos e outras mil coisas tecnológicas. Em suma, quem faz isso são os dispositivos e tudo que integram a nuvem. Ou seja, o que está presente na sua arquitetura.

Segundo especialistas e fontes de informação relativas à nuvem e sua parte técnica: O mediador entre o front-end e o back-end geralmente é a internet. Um cliente usa a Internet. E, do mesmo modo, qualquer informação de segurança necessária, para conectar seu dispositivo front-end ao back-end.

Back-end

Já o conceito de back-end é o mais fácil de entender, já que ele é a própria nuvem. Em resumo, a própria arquitetura em seu perfeito estado, composta pelos diversos recursos necessários para a execução dos serviços de computação em nuvem. Logo, o back-end é formado pelas máquinas virtuais, computadores, servidores, locais de armazenamento de dados.

Como se organiza a Arquitetura da computação em nuvem

Com o objetivo de ser o mais claro possível para sua compreensão, entenda que a Arquitetura da nuvem se divide entre os diversos discos rígidos, supercomputadores e outras máquinas.

Jamais você vai encontrar dados ou informações armazenadas em apenas um único local. Antigamente isso até existia, mas hoje em dia isso se torna inseguro e é sinal de mau planejamento da arquitetura.

Ainda, se uma unidade que faz parte da nuvem tiver problemas, ela é imediatamente substituída por outra e, assim de forma sucessiva. 

Uma nuvem e sua arquitetura estão sempre bem distribuídas e suas funcionalidades perfeitamente compartilhadas. Se um elo desta corrente quebrar, outro, toma seu lugar. 

Sem Arquitetura não existe nuvem

Primeiro, explicar em um artigo o que é Arquitetura na computação em nuvem foi uma tarefa bastante desafiadora. Segundo, encontrar uma fonte de informação “didática” no mundo acadêmico, entre profissionais e empresas da área é quase impossível.

Mas, mesmo assim, esperamos ter levado uma informação simplificada e útil. Já que o conceito de Arquitetura fica mais claro à medida que estudamos cloud computing. 

Portanto, se você é um estudante que está procurando ingressar nas carreiras de tecnologia pode ser que tenha dificuldade de interpretar as informações de fontes mais complexas e com uma linguagem técnica.

O fato é que a arquitetura permite que a Nuvem exista. Ou seja, sem uma arquitetura organizada e bem estruturada não existiria nada de Cloud Computing. Por isso, se torna mais importante entender este conceito. 

Portanto, é a união de inúmeros servidores, computadores e sistemas, que originam este organismo escalável capaz de suportar milhões de dados, acessos e outras demandas dos usuários é resultado de um espaço bem planejado e gerenciado. 

Em razão do exposto, é a partir do desenvolvimento desta área, que todo aluno do curso de Computação na Nuvem deve ficar otimista em relação ao futuro do cloud e das grandes oportunidades. Sejam elas de emprego e, sobretudo, desenvolvimento pessoal.

Leia mais:

O que é preciso saber para ingressar na faculdade de Computação na Nuvem?

Qual é o futuro da Computação em Nuvem? 

 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.