Bolsa de Estudos em Engenharia de Produção: como conseguir?

pamzottis
Colaborador do Hora Da Facul

Crédito: Photo by Tiger Lily from Pexels

Seu sonho é ser um engenheiro de produção, mas está sem grana e não sabe nem por onde começar? Para te ajudar a trilhar o caminho do seu futuro profissional, reunimos informações preciosas. Neste post você vai saber tudo sobre esse curso e não só isso! Você saberá também como conseguir a bolsa de estudos em Engenharia de Produção.

Antes de mais nada, é fundamental que você entenda o que um engenheiro de produção faz na prática. Em linhas gerais, ele atua com otimização de processos em indústrias e em empresas de diferentes portes e setores. Ou seja, é um profissional que tem conhecimento para realizar planejamentos de forma a obter redução de custos e aumento da produtividade.

Esse profissional de Engenharia de Produção domina também técnicas de gestão financeira, de pessoas, projetos e materiais e, com isso, pode atuar em diferentes setores para fazer um negócio crescer.

Sabia que sua nota do Enem pode virar desconto na mensalidade?

Calcule aqui!

Atualmente, essa carreira está com altíssima demanda no mercado de trabalho brasileiro. Afinal, as organizações que têm uma linha de produção querem melhorar os resultados, mas sem que isso signifique um gasto elevado, não é mesmo?

De acordo com o site salario.com.br, no comparativo entre maio de 2020 e abril de 2021, houve um aumento de 74.43% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Ficou curioso para saber mais? Vem com a gente e fique por dentro das principais informações sobre essa profissão, que está com o mercado aquecido!

Está pensando em prestar vestibular para Engenharia de Produção?

Faça o teste e descubra se o curso combina com você

Como conseguir uma bolsa de estudos em Engenharia de Produção?

Se você não tem condições financeiras no momento para pagar uma faculdade de Engenharia de Produção, você não precisa desanimar!

Afinal de contas, existem diversas formas de você conseguir uma bolsa de estudos em Engenharia de Produção ou algum desconto na sua mensalidade. E já começamos trazendo uma boa notícia: dá para fazer faculdade com bolsa 100% na Anhanguera. A bolsa integral pode ser conquistada pelo Enem.

Fazer uma faculdade com bolsa integral é um grande passo para mudar a sua situação socioeconômica. Muitos alunos que precisam desse tipo de recurso para ingressar no ensino superior vêm de famílias com baixa renda.

Então, as bolsas ajudam a garantir o acesso dessas pessoas a cursos superiores que, muitas vezes, seriam inacessíveis financeiramente. E o grande benefício é que a faculdade é a porta de entrada para uma boa colocação no mercado de trabalho.

Fazer um faculdade é um diferencial, sem dúvidas. De acordo com o Panorama da Educação, realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o percentual de pessoas empregadas que concluíram apenas o ensino fundamental é de 59%. Dos concluintes do ensino médio, de 72%. Já o percentual de graduados e pós-graduados no mercado é de 83% e 94%, respectivamente.

Enem

A Bolsa Enem é válida durante todo o curso regular para todos os candidatos que apresentarem nota do Enem válida. Quanto maior a nota obtida, maior o percentual de desconto. No site mesmo da Anhanguera você consegue fazer uma simulação do valor do desconto em relação a sua nota do Enem.

Como conseguir outros descontos?

Além da bolsa de estudo em Engenharia de Produção pela nota Enem, é possível ainda obter descontos de outras formas. Existem faculdades que oferecem uma série de facilidades para garantir o acesso de todos aos cursos de graduação. A Anhanguera, a Pitágoras e Unopar por exemplo, oferecem a Bolsa Incentivo, a Bolsa Convênio e a Bolsa Transferência.

Bolsa Incentivo

Esse benefício é destinado a estudantes com dificuldades financeiras — basta selecionar a opção de bolsa no ato do vestibular e conferir os detalhes do regulamento para ver se você pode solicitar esse benefício. Os valores de desconto de cada semestre incidirão sobre a respectiva mensalidade e poderão variar de acordo com o curso, turno e unidade elegida.

Bolsa Convênio

Você também pode fazer a sua faculdade caber no bolso por meio de convênios entre empresas, a Anhanguera, Pitágoras e Unopar. Os alunos têm acesso ao Canal Conecta, um portal exclusivo com vagas de estágio e emprego. Além de proporcionarem oportunidades profissionais, as empresas parceiras podem oferecer descontos especiais para seus colaboradores.

Bolsa Transferência

Ainda existe a Bolsa Transferência, que como o próprio nome já diz é destinada a todos os alunos que fizerem transferência externa para cursos presenciais da Anhanguera, Pitágoras e Unopar. Estes estudantes transferidos recebem uma bolsa de estudo em Engenharia de Produção ou outros cursos e terão  50% de desconto nas mensalidades até a conclusão. Já para cursos EAD, é oferecido um desconto de 20%. Essa é mais uma opção para bolsa de estudos em Engenharia de Produção.

Desconto para servidores públicos e militares

A Anhanguera, a Pitágoras e a Unopar oferecem ainda desconto a servidores públicos federais, estaduais e municipais, assim como cônjuge e/ou filho até 24 anos de idade. O desconto da bolsa de estudo em Engenharia de Produção e outros cursos para  servidores públicos e militares é de 20%. O desconto é aplicável a cursos de graduação presenciais e a distância.

Desconto Pontualidade

E se você paga a mensalidade em dia tem desconto na Anhanguera, Pitágoras e Unopar. O desconto pontualidade é dado a todos os alunos matriculados na modalidade EAD, nos cursos participantes da oferta que pagam suas mensalidades até o quinto dia útil do mês de vencimento do boleto ou pelo cartão de crédito.

Amigo Vale-Prêmio

Estudar em uma faculdade que você goste já é legal, imagina com o seu amigo do lado? E pense agora que você ainda pode economizar dinheiro com isso! Sim, no Amigo Vale-Prêmio isso é possível. Um programa de indicação em que o aluno pode escolher pessoas para estudar na mesma instituição de ensino que a dele e, se atendidas as condições do regulamento para cada indicação, ele pode ganhar descontos em sua mensalidade.

A Anhanguera, a Pitágoras e Unopar fazem parte das instituições de ensino credenciadas pelo programa, portanto, caso você queira participar, basta ser aluno Anhanguera e fazer a sua inscrição pelo site: amigovalepremio.com.br.

Qual é o valor da faculdade de Engenharia de Produção?

O valor da faculdade de Engenharia de Produção varia muito conforme a instituição de ensino escolhida. Na Anhanguera, por exemplo, a mensalidade é a partir de R$449,90, na modalidade semi-presencial, mas você tem a possibilidade de conseguir uma bolsa de estudos em Engenharia de Produção e esse preço ser reduzido.

O valor da mensalidade dos cursos na Anhanguera podem variar de acordo com:

  • modalidade de ensino (presencial, semi-presencial);
  • localização do polo/campus.

Quais são as modalidades da graduação?

Há duas opções para quem vai cursar Engenharia de Produção: pode ser no formato tradicional, que é o presencial, ou o EAD, no modelo de curso semi-presencial.

A segunda opção é bem interessante a quem precisa de flexibilidade para estudar, pois a maior parte das disciplinas são acompanhadas online por uma plataforma de ensino. Você vai até a faculdade apenas uma vez por semana. Trata-se de um momento voltado ao aprendizado em laboratório e também de encontro com a turma.

Além disso, tanto no presencial, quanto no EAD você pode tentar uma bolsa de estudos em Engenharia de Produção.

Qual é o perfil do estudante de Engenharia de Produção?

Agora que você já viu as alternativas para conseguir uma bolsa de estudo em Engenharia de Produção, vamos ver se o seu perfil combina com a profissão. Para não correr o risco de ser pego de surpresa durante a faculdade, sabe? É interessante que o estudante e Engenharia de Produção tenha ou desenvolva estas habilidades:

  • Flexibilidade para trabalhar em diferentes setores e projetos;
  • Criatividades
  • Raciocínio lógico
  • Facilidade para cálculos
  • Senso competitivo
  • Proatividade, para antecipar cenários;
  • Trabalho em equipe;
  • Boa comunicação;
  • Liderança para realizar a gestão de pessoas com eficiência;
  • Pensamento analítico.

Quais são as áreas do conhecimento envolvidas no curso?

De acordo com a Associação Brasileira de Engenharia de Produção, as áreas e subáreas do conhecimento relacionadas à Engenharia de Produção que balizam esta modalidade na graduação, na pós-graduação, na pesquisa e nas atividades profissionais, são as relacionadas a seguir:

Engenharia de operações e processos da produção

Projetos, operações e melhorias dos sistemas que criam e entregam os produtos (bens ou serviços) primários da empresa.

Logística

Técnicas para o tratamento das principais questões envolvendo o transporte, a movimentação, o estoque e o armazenamento de insumos e produtos, visando a redução de custos, a garantia da disponibilidade do produto, bem como o atendimento dos níveis de exigências dos clientes.

Pesquisa operacional

Resolução de problemas reais envolvendo situações de tomada de decisão, através de modelos matemáticos habitualmente processados computacionalmente. Procura, assim, introduzir elementos de objetividade e racionalidade nos processos de tomada de decisão, sem descuidar dos elementos subjetivos e de enquadramento organizacional que caracterizam os problemas.

Engenharia da qualidade

Planejamento, projeto e controle de sistemas de gestão da qualidade que considerem o gerenciamento por processos, a abordagem factual para a tomada de decisão e a utilização de ferramentas da qualidade.

Engenharia do produto

Conjunto de ferramentas e processos de projeto, planejamento, organização, decisão e execução envolvidas nas atividades estratégicas e operacionais de desenvolvimento de novos produtos. Compreendendo desde a concepção até o lançamento do produto e sua retirada do mercado com a participação das diversas áreas funcionais da empresa.

Engenharia organizacional

Conjunto de conhecimentos relacionados à gestão das organizações, englobando em seus tópicos o planejamento estratégico e operacional, as estratégias de produção, a gestão empreendedora, a propriedade intelectual, a avaliação de desempenho organizacional, os sistemas de informação e sua gestão e os arranjos produtivos.

Engenharia econômica

Formulação, estimação e avaliação de resultados econômicos para avaliar alternativas para a tomada de decisão, consistindo em um conjunto de técnicas matemáticas que simplificam a comparação econômica.

Engenharia do trabalho

Projeto, aperfeiçoamento, implantação e avaliação de tarefas, sistemas de trabalho, produtos, ambientes e sistemas para fazê-los compatíveis com as necessidades, habilidades e capacidades das pessoas visando a melhor qualidade e produtividade, preservando a saúde e integridade física. Seus conhecimentos são usados na compreensão das interações entre os humanos e outros elementos de um sistema.

Engenharia da sustentabilidade

Planejamento da utilização eficiente dos recursos naturais nos sistemas produtivos diversos, da destinação e tratamento dos resíduos e efluentes destes sistemas, bem como da implantação de sistema de gestão ambiental e responsabilidade social.

Educação em engenharia de produção

Visa apresentar como resultados concretos das atividades desenvolvidas.

Como é a grade curricular da graduação de Engenharia de Produção?

Os conteúdos vistos ao longo da graduação promovem um amplo desenvolvimento de competências, mesclando matemática, engenharia, administração, recursos humanos, entre outras disciplinas. Na prática, a matriz curricular reflete a necessidade de aplicar múltiplos conhecimentos para tornar as organizações mais produtivas.

Confira algumas  matérias estudadas no curso:

  • Administração e Economia para Engenheiros
  • Algoritmos e Lógica de Programação
  • Análise de Custos
  • Cálculo Diferencial e Integral
  • Cálculo Numérico
  • Ciência dos Materiais
  • Controle e Automação de Processos Industriais
  • Controle Estatístico da Qualidade
  • Desenho Auxiliado por Computador
  • Desenho Técnico
  • Desenvolvimento de Produto
  • Engenharia de Métodos
  • Fenômenos de Transporte
  • Física Geral e Experimental: Energia
  • Física Geral e Experimental: Mecânica
  • Geometria Analítica e Álgebra Vetorial
  • Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos
  • Gestão da Manutenção
  • Gestão da Qualidade
  • Gestão de Operações e Serviços
  • Gestão de Recursos Naturais e Energéticos
  • Gestão do Conhecimento e da Tecnologia da Informação
  • Legislação e Segurança do Trabalho
  • Logística Empresarial e Engenharia de Tráfego
  • Matemática Instrumental
  • Projeto de Fábrica e Instalações Industriais
  • Química Geral e Experimental
  • Resistência dos Materiais

Além de fazer as disciplinas, para obter o diploma, é preciso passar pelo estágio em Engenharia, uma atividade supervisionada que visa conhecer de perto a rotina da área, e ainda apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Qual é a duração do curso?

O bacharelado em Engenharia de Produção dura 5 anos. Como podemos ver no item anterior, tem uma matriz curricular bem diversificada, unindo matérias teóricas e muitas aulas práticas, que acontecem nos laboratórios. Por isso tente conseguir uma bolsa de estudos em Engenharia de Produção para poder cursar essa graduação e iniciar a tão sonhada carreira.

Além disso, existem pós-graduações relacionadas ao curso, caso o graduado queira se especializar. O mestrado tem duração média de 27 meses e o doutorado de 42 meses.

Algumas especializações relacionadas à carreira são:

  • Gestão de Produção,
  • Gestão Econômica,
  • Ergonomia e Segurança do Trabalho,
  • Pesquisa Operacional,
  • Estratégia Organizacional, entre outras.

Quais são as áreas de atuação de um engenheiro de produção?

O campo de atuação do graduado em Engenharia de Produção é bem amplo, algumas de suas possibilidades no mercado de trabalho são economia empresarial, gerenciando a economia, custos e aplicações da empresa; desenvolvimento organizacional, cuidando da estrutura da corporação.

Pode atuar também no Planejamento e Controle, implantando e administrando a produção; da escolha de matérias à finalização do produto. E mais uma possibilidade é participar da Produção agroindustrial, atuando no processamento, industrialização, comercialização e distribuição de bens agrícolas. E mais,  há oportunidades no setor de prestação de serviços, turismo, telecomunicação e saúde. Além de ainda ser demandado por bancos e corretoras como analista de investimentos.

O site salario.com.br fez um levantamento dos segmentos de empresas com os melhores salários de engenheiros de produção. Confira:

  • Fabricação de Preparações Farmacêuticas: salário de R$21.500,00
  • Construção de Embarcações de Grande Porte: R$19.470,00
  • Fabricação de Sucos de Frutas, Hortaliças e Legumes, Exceto Concentrados: R$19.000,00
  • Comércio Atacadista de Instrumentos e Materiais para Uso Médico, Cirúrgico, Hospitalar e de Laboratórios: R$16.000,00
  • Fabricação de Artefatos de Material Plástico para Uso na Construção, Exceto Tubos e Acessórios: R$13.866,00
  • Torrefação e Moagem de Café: R$13.400,00

A cidade com mais ocorrências de contratações e por consequência com mais vagas de emprego para Engenheiro de Produção é São Paulo (SP).

Quais as possibilidades de carreira?

Um engenheiro de produção pode trabalhar em diversos lugares, porém há algumas que podemos destacar, que estão em alta na profissão.  Confira a seguir:

  • Setor de Qualidade: área em que o engenheiro de produção define e projeta o sistema de controle de qualidade de todas as fases da produção. Gerenciando o trabalho das equipes e identificando erros nos processos.
  • Logística: setor estratégico que tem como objetivo garantir agilidade nas entregas, nos estoques e no recebimento de matérias-primas sem que haja perdas de insumos, extravios ou problemas com prazos. O profissional realiza a projeção da rede de fornecedores e de distribuição, além de gerenciar equipes.
  • Engenharia de Produto: trabalha com pesquisas sobre a viabilidade de um produto, além de ter um papel importante nas etapas de seu desenvolvimento. Dessa maneira, os gestores podem decidir se vale a pena ou não lançá-lo no mercado.
  • Sustentabilidade: foco no uso responsável dos recursos industriais, a área da sustentabilidade é muito promissora.

Qual é a remuneração média de um engenheiro de produção?

Um Engenheiro de Produção ganha em média R$ 7.640,95 no mercado de trabalho brasileiro, para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais, de acordo com pesquisa do salario.com.br junto a dados oficiais do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web. Foram consultados na pesquisa 5.486 salários de profissionais admitidos e desligados pelas empresas no período de maio de 2020 a abril de 2021.

Ainda de acordo com o site, o valor médio do piso salarial 2021 para o cargo de Engenheiro de Produção em todo o Brasil é de R$ 6.973,81 para uma jornada de trabalho de 43 horas por semana.

Outra ótima pedida para os profissionais com formação superior em Engenharia de Produção é ingressar na carreira de concurso público. O salário de Engenheiro de Produção concursado é de R$ 10.267,39 para uma jornada de 41 horas semanais. Um bom caminho a seguir, já que o salário no setor público é cerca de 26% maior do que a média salarial do setor privado.

O portal ainda apresenta um levantamento por Estados brasileiros, onde podemos ver como é a remuneração em cada um deles:

  • São Paulo: média salarial de R$11.755,80
  • Minas Gerais: média salarial de R$7.926,75
  • Rio de Janeiro: média salarial de R$9.242,71

Como é o dia a dia da profissão?

Como vimos anteriormente, essa profissão está em alta. Afinal, qualquer organização que se interesse por ganhos de eficiência em processos, produtos e serviços pode se beneficiar do trabalho do engenheiro de produção. Em relação à empregabilidade, a formação é o segundo curso de engenharia com mais oportunidades, atrás apenas da Engenharia Civil. Conheça alguns dos diversos ramos de atuação:

  • Agroindústria;
  • Comércio;
  • Concessionárias de energia elétrica;
  • Construção civil;
  • Consultorias de diagnóstico de processos;
  • Distribuidoras, transportadoras e empresas de logística;
  • Prestação de serviços;
  • Empresas de automação e controle;
  • Indústria metalúrgica, automotiva, mecânica, alimentícia, entre outras;
  • Instituições de pesquisa e ensino.

Também é bastante comum o profissional ser convidado para áreas que, em tese, seriam ocupadas por profissionais de outras graduações, graças à diversidade de conhecimentos adquiridos durante o curso. Os dois maiores exemplos são a área executiva e o mercado financeiro.

E aí? Empolgado para começar a sua graduação em Engenharia de Produção. Agora que você já sabe tudo sobre a profissão e como conseguir uma bolsa de estudo em Engenharia de Produção, não perca tempo e inscreva-se no vestibular. Boa sorte!

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.