Como conseguir uma bolsa de estudos em Medicina?

Carlos Alberto Jr
Resultado de uma experiência alquímica que envolvia gibis, discos e um projetor valvulado. Jornalista do Norte que invadiu o sudeste para fazer filmes.

A Medicina é um dos cursos mais desejados – e mais caros – do ensino superior, mas tem se tornado cada vez mais acessível com bolsas de estudo, afinal as vagas disponíveis nas instituições públicas não dão conta de atender à grande demanda pelo curso. Por isso, para muita gente, o jeito é recorrer às instituições particulares. Além de, claro, opções como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES).

A bolsa do ProUni, oferecida pelo governo federal a fim de democratizar o estudo no Brasil, pode ser tanto integral (100%) como parcial (50%). Já para o FIES, todo o seu estudo é financiado por uma instituição financeira, no caso, o governo. Após um prazo determinado no contrato, geralmente depois de se graduar, o aluno deve quitar a dívida das mensalidades pagas, podendo parcelar.

Continue a leitura para descobrir como conseguir uma bolsa em Medicina!

O que é o ProUni?

Antes de mais nada, precisamos entender o que é o Programa Universidade para Todos e qual sua importância para a educação no Brasil.

O ProUni, programa criado em 2004, pela Lei nº 11.096/2005, tem como propósito facilitar o acesso da população de baixa renda ao ensino superior no país.

Ao conceder bolsas de estudo integrais e parciais por meio da nota no Exame Nacional do Ensino Médio (o Enem), e comprovação de renda, o Programa Universidade para Todos é responsável pelo ingresso de quase 100.000 novos alunos ao ensino superior por semestre!

O que é necessário para concorrer a uma bolsa do ProUni?

Embora as notas de corte de cada curso sejam diferentes entre si, os pré-requisitos para concorrer a uma bolsa do ProUni são os mesmos, independentemente do curso ou área escolhida, inclusive Medicina.

Saiba agora quais são os pré-requisitos necessários para se inscrever e conseguir uma bolsa do ProUni em medicina:

Ter feito o Enem anterior

São duas aberturas de inscrições para bolsa ProUni por ano: uma em janeiro e outra em junho/julho. Ambas levam em consideração a nota de corte obtida no último Enem aplicado.

Ou seja, para concorrer as bolsas ProUni em janeiro ou junho de 2022, por exemplo, a nota levada em consideração será a do ENEM de 2021.

Não possuir diploma de nível superior

Como dito anteriormente, o principal objetivo do ProUni é facilitar o primeiro acesso da população ao nível superior. Logo, para concorrer a uma bolsa, você não pode já ter concluído uma graduação.

Ter cursado o ensino médio em escola pública, ou como bolsista integral em escola privada

O ProUni visa tornar acessível o acesso ao ensino superior da população de baixa renda. Nesse sentido, a prioridade é dada a quem teve acesso à rede pública de ensino durante a fase escolar.

Renda familiar

Para concorrer às bolsas integrais do ProUni, ou seja, 100% do valor da mensalidade, é necessário que a renda familiar per capita (por pessoa dentro de casa) seja de até 1,5 salário mínimo.

Já para concorrer na modalidade parcial, 50% do valor da mensalidade, a renda por pessoa deve ser de até 3 salários mínimos.

Nota mínima no Enem

Para concorrer a qualquer bolsa do ProUni, o resultado obtido no Enem deve ser no mínimo satisfatório. Em outras palavras, a nota de corte mínima é de 450 pontos, e não pode, em nenhuma hipótese, ter zerado a redação.

O que é nota de corte?

Já citada algumas vezes nesse artigo, a nota de corte do ProUni é calculada a partir da nota obtida no Enem.

A nota final do exame é a média de todas as notas obtidas nas categorias abordadas na prova (ciências humanas, ciências da natureza etc) somada à nota da redação.

A nota de corte no ProUni, é a nota do último candidato selecionado para a vaga de bolsa. Ou seja, quanto maior sua nota, maiores as chances.

No processo de bolsa para Medicina a nota de corte costuma ser maior que o habitual dos outros cursos. Isso porque os candidatos desse curso, por contarem com uma maior preparação de estudos, acabam atingindo uma média maior que o corriqueiro no Enem.

Confira de forma detalhada como funciona o processo de definição de nota de corte do ProUni, e qual a média de outros cursos, além da Medicina.

Como fazer a inscrição para bolsa ProUni em Medicina?

Primeiramente, acompanhe no portal e redes oficiais do MEC a abertura das inscrições. Isso é divulgado algum tempo depois da nota do Enem.

Para entrada no meio do ano, as inscrições começam pouco antes do ano letivo das faculdades. Maio, junho ou julho. Não perca nenhuma data!

Agora, vamos aos passos para inscrição da bolsa ProUni em Medicina:

  • Durante o período de inscrição, acesse o portal do ProUni, intermediado pelo MEC, e faça o acesso com o número e senha gerados para inscrição do Enem no ano anterior;
  • Preencha todos os dados cadastrais solicitados. Lembre-se! Todos serão levados em consideração na hora de garantir sua bolsa. Fique atento às respostas e tenha certeza de que não deixou nada para trás;
  • Selecione até duas opções de curso de Medicina disponíveis, sua localidade e turno. Você pode escolher entre duas universidades distintas, ou a mesma universidade em turnos diferentes;
  • Selecione o tipo de bolsa que estará concorrendo, que pode ser integral ou parcial, e também qual modalidade você se enquadra, cotas ou ampla concorrência;
  • Siga o restante das instruções para finalizar e confirmar sua inscrição no processo de bolsa ProUni em Medicina.

Como aumentar suas chances de conseguir uma bolsa ProUni em Medicina?

Vimos anteriormente a respeito das notas de corte, ou seja, sua importância e a diferença na média da nota no curso de Medicina.

Separamos algumas dicas para aumentar suas chances de conseguir uma bolsa ProUni em Medicina:

Acompanhe as notas com antecedência

Se você está se preparando para o próximo Enem, mantenha o habito de acompanhar a nota de corte para Medicina por agora. Assim, você já terá em mente qual a média que precisa alcançar.

Instituições menos concorridas

O ProUni é válido para muitas universidades ao redor do país, e algumas possuem a nota de corte menor que outras.

Faça pesquisas e se informe a respeito de universidades com notas mais acessíveis.

Preparação para o Enem

Para ingressar em uma faculdade com a bolsa ProUni, não é necessário prestar o vestibular da instituição!

A forma de avaliação do candidato será por meio de sua nota no Enem.

Nesse sentido, prepare-se para o exame com muito esforço e dedicação. Comece a estudar com antecedência e saia na frente dos outros candidatos.

Confira dicas para se preparar para um vestibular, e as adapte para o Enem!

Bolsa do ProUni em Medicina

Em suma, tenha em mente que Medicina é um curso concorrido, mas não de impossível acesso.

Mantenha um cronograma de estudos e adquira o habito de acompanhar as notas e movimentações do ProUni, isso fará com que quando chegar a sua vez de inscrição, você esteja habituado aos termos e processos.

As bolsas ofertadas pelo ProUni são uma ótima forma para alcançar o sonho da faculdade de Medicina! Prepare-se e boa sorte! Veja também qual deve ser a nota do Enem para entrar na faculdade.

O que é o FIES?

O FIES, sigla do Fundo de Financiamento Estudantil, diz respeito a um programa federal de incentivo ao ingresso no ensino superior. Este, é especificamente conduzido pelo Ministério da Educação (MEC). Assim, os processos que envolvem o ingresso e os seus pré-requisitos, dependem unicamente dos critérios instituídos pelo MEC.

Em 12 de julho de 2001, o FIES se consolidou por meio da Lei nº 10.260. Em suma, o programa concede financiamentos estudantis divididos em diferentes modalidades. Assim, há uma escala de financiamentos conforme a renda familiar.

Ainda, usar desta ferramenta disposta por lei, pode ser uma forma democrática de inserção ao ensino superior. Desse modo, usar destes recursos garantem a existência do programa e viabiliza, de certo modo, o acesso à educação aos estudantes que necessitam de ajuda financeira para estudar.

Na prática, o FIES funciona como uma espécie de crédito universitário. Assim, não se deve confundi-lo com bolsas, por exemplo, pois, o estudante deverá pagar todas as parcelas da mensalidade, mas em um prazo maior. Ou seja, várias parcelas menores que no final das contas, a sua soma resultará no valor do curso integral.

Por fim, apesar do FIES ser uma iniciativa pública, pode ser efetivado de modo privado ou com uma parceria bancária. Sendo assim, para diferenciar os dois processos, cada um deles têm as suas taxas de juros e especificidades contratuais.

Como participar?

O FIES realiza edições semestrais. Assim, você pode fazer a inscrição tanto no primeiro, quanto no segundo semestre do ano. Também, sobre as inscrições, vale pontuar que estas são gratuitas, basta acessar o site e criar o cadastro.

Ainda, sobre os pré-requisitos, o Novo FIES alega que o estudante não mais necessita ter uma renda mínima para se inscrever no programa. No entanto, ainda se faz necessário realizar o ENEM e obter uma pontuação mínima de 450 pontos. Também, conforme as mudanças no FIES, a nota de corte da redação subiu para 400, antes bastava não zerá-la.

No mais, os alunos que irão “disputar” o financiamento, tem de ter realizado a inscrição para o mesmo curso, turno e instituição. Desse modo, aos que não obtiveram a maior pontuação, ficarão na lista de espera.

Também, há outro aspecto importante: nem todo curso dispõe do financiamento. Apenas os cursos presenciais e com o conceito igual a 3 ou mais no SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), poderão tornar-se uma instituição participante. Fique atento!

Tipos de financiamento

Há duas categorias de financiamento dispostos pelo programa. A primeira delas envolve renda mínima. A outra, um agente financiador.

No caso da renda mínima, o FIES tem de oferecer vagas cujos juros sejam zerados, ao depender da renda per capita familiar. Ainda, nesta categoria, o aluno tem por direito pagar as prestações diante das suas possibilidades financeiras e o seu limite de renda.

Ademais, a modalidade que envolve um agente financiador, é chamada de P-Fies. Esta, destina-se aos estudantes com uma renda mensal familiar de até cinco salários mínimos, totalizando R$ 5.225. E, há uma escala para esta categoria de financiamento, dependendo, portanto, da renda familiar do estudante. Por fim, os recursos vêm de fundos governamentais para o combate à desigualdade social e também dos bancos privados que optarem por participar do programa.

Aprovação e chamada

Também, vale pontuar que o FIES não convoca ou entra em contato. Pertencendo ao estudante, a responsabilidade de atentar-se aos canais de comunicação do governo. Assim, faça o seu cadastro no gov.com.br e use a senha para entrar no sistema do FIES.

Ademais, a lista de espera se dá de forma gradual. Ou seja, conforme a pontuação e a medida que os estudantes cumprem os prazos para envio de documentos, a lista vai sendo liberada. Então, caso um estudante tenha ficado com uma pontuação acima da sua, por exemplo, mas perdeu os prazos determinados pelo FIES, você que estaria atrás do candidato na lista de espera, acaba por ocupar o lugar.

Mas, tenha atenção! Fique muito atento ao sistema e aos prazos, pois são curtíssimos e não há a possibilidade de recorrer caso seja perdida a vaga.

Por fim, antes mesmo de esperar ser contemplado, já deixe os documentos separados seja para o FIES, como para o ProUni. Desse modo, caso a lista tenha girado e a sua vez tenha chegado, corra para enviar as documentações a instituição de ensino, assine o contrato do seu financiamento e fique atento com questões contratuais.

Aproveite e veja conosco qual a nota de corte para Medicina em 2022.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.