5 áreas em que pode atuar o gerontólogo

Roberto Dezorzi
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Canva.

Você sabe o que é um gerontólogo e em que áreas ele pode atuar? Vamos mostrar 5 áreas de atuação desse profissional.

Para quem se assustou com o nome, vale explicar o que é a Gerontologia. Ela é uma profissão ligada ao acompanhamento e estudo dos processos de envelhecimento. E, também, da própria velhice.

Em função de sua abrangência como uma prática que envolve muitas ciências, possui um campo de atuação muito grande, e que vamos ilustrar aqui na forma de 5 áreas em que pode atuar um gerontólogo.

Já sabe como se dar bem na redação do Enem?

 

Faça o teste e descubra se você está preparado

Antes de mais nada, vamos trazer um breve conceito sobre a atividade e o que faz um gerontólogo, para você entender melhor e dominar o assunto com mais facilidade.

O que é a Gerontologia?

O gerontólogo, na maior parte dos casos, é um especialista no estudo do envelhecimento. Com uma formação ampla e diversa, foca em aspectos da psicologia, fisiologia e fatores sociais ligados ao processo de envelhecimento, ou mesmo da própria velhice. 

Entretanto, diferente do médico com residência, o profissional de Gerontologia costuma vir de outras áreas de conhecimento ou formação acadêmica. 

Quer garantir a melhor preparação para o Enem 2021?

Em função disso, e também por outras razões, a sua área de atuação acaba sendo tão abrangente.

Contudo, cada uma tem conhecimentos individuais.

As 5 áreas

Clínicas de fisioterapia

Basicamente, quando trabalha junto a equipes de fisioterapia, o gerontólogo adiciona o know-how de sua especialidade. Isso inclui projetos, clínicas e organizações que prestem serviços ligados aos tratamentos de reabilitação, melhoria na parte motora e reinserção de indivíduos à sociedade em função de traumas físicos. Em síntese, todos eles precisam do acompanhamento de uma pessoa capacitada em Gerontologia.

Você está preparado para a redação do Enem?

Ela é essencial para você garantir sua vaga na faculdade

Afinal, tanto os aspectos físicos e fisiológicos de pacientes em processo de envelhecimento ou já com velhice acabam entrando no escopo da profissão deste especialista.

Antropologia e estudos de evolução humana

Sim, tudo que envolve a história e a evolução de aspectos humanos, sejam eles comportamentais ou biológicos, acaba abrangendo a área da Gerontologia.

Afinal, estamos falando de um processo ligado à saúde humana em todos os seus aspectos. Enfim, do nascimento ao falecimento, o processo de envelhecimento humano ocorre de forma constante. Em cada parte do mundo ele apresenta um tipo de evolução e, sem dúvida, é diferente individualmente.

Já pensou em fazer sua faculdade dos sonhos à distância?

Tire todas as dúvidas e saiba mais sobre a modalidade EAD

 

Portanto, é dever da antropologia estudar este processo como ciência, e trazer dados para entender a sua evolução junto à espécie humana.

Hospitais e organizações ligadas à saúde

Antes de mais nada, hospitais e organizações de saúde possuem diversos pacientes idosos, com patologias ligadas à chegada da velhice. É natural quando vamos a uma unidade de saúde, desde o posto de saúde de bairro até um grande hospital especializado, encontrarmos diversos idosos em busca de tratamento.

O período de velhice vem acompanhado de certa fragilidade e mudança na fisiologia humana. Por isso, é muito comum a atuação de gerontólogos, ou profissionais de áreas da saúde com especialização na área, atuarem dentro das unidades hospitalares visando ao fornecimento de um atendimento mais qualificado.

Você está preparado para a redação do ENEM?

 

Faça o teste e confira várias dicas

Por ser um processo constante e que envolve muitos conteúdos e conhecimentos científicos, deveria ser ainda maior a presença de pessoas com cursos ou profissionais de Gerontologia nos hospitais e instituições de saúde.

Educação Continuada

Em suma, a área de educação continuada é muito comum em instituições de saúde ligadas ao ensino. Isso ocorre também em hospitais e outros tipos de organizações públicas e privadas que oferecem serviços de saúde.

É comum a cada uma delas ter o que chamamos de núcleos de educação continuada, com foco em treinamentos, além de capacitação e atualização de profissionais que trabalham nesses locais. Isso engloba desde as equipes de manutenção aos profissionais de atendimento e administração. Chega também às equipes de enfermagem, terapeutas, nutricionistas, fisioterapeuras e, inclusive, médicos de várias especialidades.

Sabia que sua nota do Enem pode virar desconto na mensalidade?

Calcule aqui!

Nessas aulas, ou atividades de educação continuada, o profissional de gerontologia ministra seminários e reciclagens. Ele leva todos os seus conhecimentos para aprimorar as práticas e o atendimento aos pacientes idosos para todos os profissionais acima citados. 

Empresas prestadoras de serviços de homecare

Umas das áreas que mais têm aberto vagas  e oportunidades ao gerontólogo é certamente a área de home care. Ou seja, a prestação de serviços dentro dos domicílios.

Em função do envelhecimento e seu impacto na parte motora, psicológica e fisiológica, é muito comum profissionais de saúde e especialistas formados em gerontologia prestarem serviços nas casas dos pacientes.

Você sabe como a redação é importante para sua nota do Enem?

Descubra aqui se você está preparado!

Além de um serviço feito sob medida, possibilita um contato direto e aproximado com os pacientes. Consequentemente, isso acaba humanizando a prática da saúde. É isso que permite conhecer o seu estado físico e mental de maneira prática e com detalhes.

Confira abaixo o resumo do cotidiano de um gerontólogo

Agora que você conheceu 5 áreas em que pode atuar um gerontólogo, que tal conhecer como é a rotina do especialista?

Afinal, caso você tenha interesse na especialidade de Gerontologia, é bom ter uma noção de seu cotidiano profissional:

  • Orientar e propor ações para antecipar possíveis problemas do paciente com foco na melhoria do seu processo de envelhecimento;
  • Criar condições sociais, físicas e ambientais (locais) para uma melhor convivência diárias de seus pacientes com outras pessoas ou entre idosos;
  • Acompanhar os procedimentos de saúde, evolução de patologias crônicas inerentes à velhice, atenção às famílias, e demais cuidados paliativos. 
  • Trabalhar em harmonia com equipes de médicos geriatras, fisioterapeutas e outros agentes de saúde;
  • Auxiliar na reinserção de pessoas dentro do convívio de suas famílias, promover a reabilitação social, física e psicológica dos pacientes.
  • Aprimoramento constante na forma de livros, congressos, especializações e dezenas de outras fontes;
  • Melhoria na qualidade de vida diária através do acompanhamento constante do paciente, relatando progressos, dificuldades e sugerindo formas de resolver cada um desses contextos.

 

 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.