Ensino a Distância é o futuro da educação superior?

Vanessa Zampronho
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto de fauxels no Pexels

O Ensino a Distância já é uma tendência que vem crescendo nos últimos anos. Mas ele não é uma modernidade. Há registros de cursos a distância ainda no século XVIII, quando as aulas eram por correspondência.

No Brasil essa forma de ensino chegou um pouco depois, no começo do século XX. O Jornal do Brasil publicou na seção de classificados um curso de datilografia por correspondência. O curso ensinava a usar as máquinas de escrever, principalmente a datilografar.

O teclado tem o mesmo layout dos usados nos computadores e notebooks, mas as teclas eram bem mais duras. Eram semanas de treino, até que a pessoa pudesse datilografar um documento sem olhar para o teclado – o que era considerado um diferencial.

Algumas décadas depois, surgiu o Instituto Radiotécnico Monitor, que oferecia cursos por correspondência de eletrônica e outras modalidades profissionalizantes. A escola funciona até hoje, com o nome Instituto Monitor, com cursos técnicos presenciais e, claro, a distância, online.

Outra escola que ficou muito conhecida foi o Instituto Universal Brasileiro que, depois de idas e vindas, continua em atividade. Ela já oferecia cursos dos mais variados, de técnico em Secretariado a manutenção de refrigeradores. Hoje há as mesmas formações, só que via internet.

Como surgiu o Ensino a Distância de cursos superiores?

Levou um tempo até que as faculdades pudessem oferecer cursos a distância. Os primeiros registros são de 1970, mas foi somente em 1996 que a Lei n.º 9.394 regularizou os cursos superiores na modalidade EAD.

Foi com essa lei que o diploma do Ensino a Distância passou a ter a mesma validade dos cursos presenciais. Com isso, houve um aumento muito grande na oferta de cursos no sistema EAD pelas faculdades.

No começo, os empregadores viam com uma certa desconfiança os profissionais formados no Ensino a Distância. Como tudo o que é novo, ainda precisou de algum tempo, e muitos especialistas excelentes formados no esquema EAD, para que essa resistência fosse quebrada.

Hoje, além de se ter cada vez mais os formados no Ensino a Distância, mais e mais cursos são criados nesse formato. Mas eles não surgem de uma hora para a outra. O Ministério da Educação (MEC) precisa aprovar e reconhecer que aquele curso tem validade e qualidade.

Só assim a instituição de ensino pode oferecê-lo para os alunos nos vestibulares, e até nas transferências de alunos de outras faculdades, ou até das aulas presenciais. Como o conteúdo é o mesmo, só muda o formato.

Todos os cursos presenciais podem ser feitos a distância?

Embora não haja perda de qualidade de conteúdo entre os cursos presenciais e o Ensino a Distância, há ainda algumas limitações. Aulas que precisam do contato físico com materiais e objetos de estudo precisam ser feitas de forma presencial.

Assim, cursos como Medicina, Medicina Veterinária, Engenharias Civil, Elétrica, Química,  Psicologia e Odontologia são alguns. Os da área de Biológicas têm, além de aulas de Anatomia, que precisam ser presenciais, os estágios práticos.

Assim, os alunos precisam ir à faculdade para atender os pacientes, tudo sob a supervisão de um professor. Com isso, eles conhecem na prática como vai ser o dia a dia depois de formado.

Cursos de Engenharia precisam de aulas práticas para ver como são os materiais, tipos de solo, fazer instalações e experimentos com substâncias químicas, por exemplo. Dessa forma, eles conseguem ver como as coisas funcionam de verdade.

Nada impede que, no futuro, essas aulas também possam ser realizadas a distância. Tecnologias podem permitir simuladores em 3D que mostrem como são as coisas por dentro. Até hologramas podem entrar como parte das aulas.

Quais são as vantagens do Ensino a Distância?

São várias, começando justamente pela distância. Para quem mora longe da instituição de ensino, e terá de enfrentar muito trânsito ou horas de viagem, é uma opção muito acertada. O aluno economiza tempo e dinheiro (por não ter de se deslocar até o local de ensino).

Falando em dinheiro, outra vantagem é justamente o valor das mensalidades. Os cursos do Ensino a Distância têm custos menores, o que democratiza o acesso a alunos que não teriam condições de arcar com aulas presenciais.

Para quem trabalha muito e tem pouco tempo disponível, o Ensino a Distância ajuda muito. O estudante pode usar seu tempo livre para acessar as aulas, ver os vídeos e ler os materiais de apoio.

Essa modalidade é bastante interessante também para quem trabalha em esquema de turnos. Por exemplo, uma semana na parte da manhã, e outra na parte da tarde. Assim, dá para planejar os horários de estudo sem prejudicar o aprendizado.

O conteúdo do Ensino a Distância não fica nada a dever para o presencial. A qualidade das aulas é a mesma, o material de apoio também. Assim, a formação do profissional não é prejudicada pelo formato EAD.

Os cuidados do Ensino a Distância

Parece o melhor dos mundos: estudar de casa ou do trabalho, a hora que der, sem ter de se deslocar. Mas é preciso ter cuidado e disciplina para não se perder nos conteúdos e não deixar tudo para a última hora.

Afinal, o aluno tem um determinado conteúdo para ser visto em um determinado período. Deixar tudo para o final sobrecarrega os estudos, sem contar que você não vai aproveitar 100% do que é ensinado.

O mesmo vale para a leitura de textos complementares e a realização de atividades. Planeje-se: marque em uma agenda, planilha, aplicativo de organização de horário, um período para você estudar. E mantenha o compromisso: é o seu futuro que está em jogo.

Escolha um local confortável e tranquilo para estudar. Sem distrações, você conseguirá acompanhar as aulas e aproveitar tudo o que ela traz. Caso haja dúvidas, o ambiente virtual de aprendizagem traz opções para entrar em contato com o professor.

Afinal, por mais que a tecnologia nos ajude a ter aulas a distância, há comportamentos e atitudes que não vão mudar. Ter disciplina para estudar e passar pelo curso é o que vai trazer o sucesso lá na frente. Aproveite essa oportunidade e dedique-se!

Gostou desse conteúdo? Então fique com a gente e leia também sobre Os efeitos da cultura digital no ensino superior.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.