Curso de Cibersegurança: tudo que você precisa saber

Raiza Moreno
Colaboradora Raiza Moreno
1

Crédito: Foto de Sora Shimazaki no Pexels

Este artigo foi feito especialmente para você, que deseja compreender mais sobre as novas carreiras das áreas de tecnologia. Assim, leia neste post tudo que você precisa saber sobre Cibersegurança.

O que é Cibersegurança?

A Cibersegurança, é sobretudo, o estudo e o desenvolvimento de técnicas aplicadas para a proteção de dados, redes de computadores, aplicativos e afins. Ainda, o profissional de Cibersegurança tem de garantir todos esses aspectos aos usuários e empresas que desenvolvem ferramentas na internet.

Dessa forma, a Cibersegurança é responsável pela proteção de sistemas eletrônicos de forma geral. Os ataques aos sistemas podem ter diversos objetivos, como rastreamento ilegal, uso de dados e informações que não devem ser disponibilizadas.

Ainda, a Cibersegurança é chamada de Tecnologia da Informação ou Segurança de Informações Eletrônicas por diversos sites e artigos. Por fim, o termo se aplica a uma vasta gama de contextos, englobando negócios, computação móvel, segurança de computação em nuvem e outras tantas categorias.

O que se estuda nos cursos de Cibersegurança?

Primeiro, é importante ressaltar que o curso de Cibersegurança pode ser feito tanto na modalidade presencial, quanto EaD (educação a distância). Depois, que a duração do curso tem uma média de dois anos e meio, caso o aluno não fique retido ou tenha dependência em alguma disciplina.

Ademais, dependendo da universidade, o curso pode receber nomes diferentes, como, por exemplo:

  • Gerenciamento de Segurança de Computadores;
  • Segurança de Computadores;
  • Segurança da Tecnologia da Informação;
  • Segurança de Redes de Computadores;
  • Segurança de dados.

Desse modo, diante da demanda no mercado tecnológico e todos os seus avanços, a criação deste curso foi para preparar profissionais aptos para responder às necessidades do mercado. Todavia, profissionalizar jovens em relação à tecnologia, requer diversas disciplinas e empenho, mesmo sendo um curso relativamente curto.

Quais as disciplinas do curso de Cibersegurança?

Antes de apresentar algumas das disciplinas do curso, é importante ressaltar que a universidade escolhida para cursar, deve ser reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Ademais, sendo um curso reconhecido e com boas avaliações, você se sentirá seguro para aprender tudo que um profissional qualificado necessita. Mas, a grade curricular pode ter variações conforme a faculdade.

No entanto, aqui listamos algumas das disciplinas encontradas na maior parte dos cursos de graduação em Cibersegurança:

  • Lógica;
  • Certificação Digital;
  • Estatística;
  • Criptografia;
  • Comunicação Aplicada;
  • Matemática;
  • Auditoria de Sistemas;
  • Banco de Dados;
  • Desastre e Recuperação;
  • Computação Forense;
  • Segurança no Ambiente Web;
  • Comunicação Aplicada;
  • Políticas de Segurança;
  • Segurança de Sistemas Operacionais;
  • Segurança em Rede de Computadores;
  • Arquiteturas e Fundamentos em Rede de Computadores.

Quanta coisa, né? No entanto, se você já é um entusiasta da tecnologia, este curso pode ser enriquecedor ao nível pessoal e profissional.

Por que são necessários profissionais de Cibersegurança no mercado de trabalho?

Quantas vezes na última semana você “aceitou os cookies” de algum site? Ou, efetuou alguma compra via internet? Ainda, pediu comida, farmácia ou outro item em algum aplicativo de compras? Também, fez alguma viagem de carro por app?

Para realizar estes feitos, você precisa no mínimo, disponibilizar seu nome completo, CPF e cartão de crédito, não é mesmo? Ou seja, empresas responsáveis por aplicativos e sites têm todos os seus dados arquivados.

Neste contexto, surgiram também inúmeros criminosos que realizam ataques e ilegalidades no mundo digital. Ou seja, quanto mais as ferramentas eletrônicas tornarem-se parte de nós, mais invasores virtuais estarão à espreita.

Em 2019, a empresa RiskBased Security fez uma pesquisa onde se revelou o impressionante número de 7,9 bilhões de registros relacionados a violação de dados, só nos primeiros nove meses do ano. Ainda, o número exposto é mais que o dobro (torno de 112%) dos registros efetuados por violação no ano de 2018.

Fica claro, portanto, que profissionais aptos a tornar os serviços virtuais seguros, são fundamentais. E, para isso, há de ter uma boa formação, pois, a responsabilidade das empresas em relação à promessa de proteção de dados, parte de uma imensa responsabilidade perante aos clientes.

Crimes virtuais e demais ilegalidades

As estratégias para proteção de dados são bastante complexas, considerando que os ataques são proporcionalmente complexos.

Dessa forma, a Cibersegurança tem como função combater estes ataques de forma legal e segura. Estes, podem ser crimes virtuais, onde pessoas e até grupos buscam ganhos financeiros a partir dos dados do usuário, também o ataque cibernético que pode ser relacionado à esfera política e por fim, o terrorismo cibernético, que tem o objetivo de causar terror e pânico nos usuários minando sistemas eletrônicos.

O que é Malware?

Malware significa software malicioso. Uma das ameaças virtuais mais comuns, o malware é um software que um criminoso virtual ou hacker criou para prejudicar ou danificar o computador de um usuário legítimo. Muitas vezes disseminado através de um anexo de e-mail não solicitado ou download de aparência legítima, o malware pode ser usado por criminosos virtuais para ganhar dinheiro ou em ataques cibernéticos com motivação política.

Ademais, um dos tipos mais populares de ameça é o famoso vírus. Mas, saiba que o vírus, na verdade, é um tipo de Malware, que é uma espécie de software malicioso. Este, foi desenvolvido por um criminoso ou um hacker, de modo a danificar, acessar ou corromper um computador.

E, acredito que você deve estar se perguntando como isso chega até você, certo?

Bem, há diversas formas de ter contato com um malware, como, por exemplo, um anexo de email que parece seguro, um link compartilhado, alguma propaganda, etc. Ao clicar e acessar alguns desses canais, o criminoso irá conectar e acessar a sua rede ou computador.

Veja alguns exemplos populares de Malware:

  • Adware: muito comum em ambientes publicitários, onde um falso anúncio dissemina malware;
  • Vírus: este, pode vir de uma espécie de duplicação automatizada anexada em um arquivo que se espalha por todo computador ou sistema de rede, corrompendo e infectando arquivos;
  • Cavalos de Troia: clássico, né? O cavalo de troia se disfarça de um software confiável – alô referência histórica. Por isso, é bastante comum deparar-se com esse tipo de malware. No mais, ele pode ser bastante nocivo e arquivos podem ser totalmente perdidos, assim como outros danos podem ser gerados em seu computador.

Por fim, espero que para além de conhecer mais sobre o curso de Cibersegurança, você também esteja a par da imensa responsabilidade destinada a este profissional.

Mas, como você sabe, a conversa nunca fica só por aqui. Assim, leia também a seguinte matéria:

Quais as áreas de atuação do profissional de Cibersegurança?

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.