Desenvolvimento Back-End: qual é a grade curricular?

Ana Cláudia Andrade Oliveira
Formada em Letras, Pedagogia, especialista em Neurociências e em produção de conteúdo Web.

Crédito: Foto de Junior Teixeira no Pexels.

A princípio, quando se fala sobre profissão do futuro, poucos são aqueles que não pensam em áreas da tecnologia. Seja no campo da Tecnologia da Informação (TI) ou não. Mostrando-se como uma carreira promissora, os profissionais de tecnologia são cada vez mais requisitados pelo mercado. E o desenvolvedor back-end é, sem dúvidas, um dos mais solicitados. 

Ao contrário de uma graduação que te deixa apto para receber um diploma de licenciatura ou bacharelado, o curso de desenvolvimento back-end é um tecnólogo. Assim, se dá como uma formação realizada em um período mais curto. O foco é na inserção imediata no mercado de trabalho e na atuação prática.

Desde já, com uma duração em média de dois anos, o curso é ofertado em diversas instituições. Com as disciplinas distribuídas em quatro semestres, o mais comum é sua realização em formato EAD. 

Grade curricular do Tecnólogo de Desenvolvimento Back-End

O curso de desenvolvimento back-end ofertado na Anhanguera tem em sua grade as seguintes disciplinas:

  • Algoritmos E Programação Estruturada;
  • Análise E Modelagem De Sistemas;
  • Análise Orientada A Objetos;
  • Arquitetura De Aplicações;
  • Arquitetura E Organização De Computadores;
  • Atividade Complementar;
  • Computação Em Nuvem;
  • Ed – Cultura Digital;
  • Ed – Design Thinking;
  • Ed – Marketing Digital;
  • Ed – Mindset Ágil;
  • Educação A Distância;
  • Engenharia De Software;
  • Frameworks Para Desenvolvimento De Software;
  • Linguagem De Programação;
  • Linguagem Orientada A Objetos;
  • Lógica Computacional;
  • Modelagem Banco De Dados;
  • Optativa;
  • Programação E Desenvolvimento De Banco De Dados;
  • Programação Web Para Back-End;
  • Projeto De Software;
  • Projeto Integrado I;
  • Projeto Integrado II;
  • Projeto Integrado III;
  • Projeto Integrado IV;
  • Redes E Sistemas Distribuídos;
  • Repositórios De Dados;
  • Segurança E Auditoria De Sistemas;
  • Sistemas Operacionais;
  • Sociedade brasileira e Cidadania.

Observe que, por ser um curso superior, a grade apresenta mais do que aspectos técnicos. Assim, o estudante formado não terá apenas conhecimentos técnicos e práticos.  O foco aqui vai além da linguagem de programação, algoritmos e análises. Pois, para esse mercado, também são necessárias habilidades de gestão, raciocínio e mercado digital.

Ainda mais, o objetivo do curso da Anhanguera é de “que o aluno adquira conhecimentos para transformar as técnicas e a lógica de programação em sistemas e suas aplicações.”. Dessa forma, as disciplinas como Linguagem de Programação, Sistemas Operacionais, Análise e Modelagem de Sistemas se fazem presente como matérias fundamentais para os futuros profissionais.

Por outro lado, as matérias de Sociedade Brasileira e Cidadania, Marketing Digital e Cultura Digital trazem diferenciais para o estudante. Ele irá qualificar-se para uma inserção no mercado da tecnologia – que anda fielmente de mãos dadas com a inovação.

Também, há os estágios necessários para a conclusão do curso. Estes, promovem a inserção do estudante no mercado de trabalho. E, é isso que lhe dá parte da experiência e prática. 

Como o profissional sai da graduação?

A princípio, o estudante deve sair de sua graduação bem capacitado e preparado.  Assim, ele será capaz de cuidar e organizar processos internos de uma programação ou  aplicação. Ainda mais, sai capacitado para realizar interação com os servidores. Bem como diversas outras atividades que são invisíveis aos usuários. 

Em suma, o desenvolvedor back-end, como o próprio nome sugere, é aquele nos “bastidores”. É quem garante o funcionamento de websites, por exemplo. Não apenas faz a manutenção, como também arquiteta toda a estrutura que faz com que o website, ou a aplicação, continue em sua plenitude.

Dessa forma, o tecnólogo, além de receber o diploma, também adquire as habilidades e os conhecimentos – extremamente específicos – para atuar neste setor. 

A graduação em desenvolvimento back-end é, de fato, um campo específico. Esta, busca formar profissionais que consigam trabalhar de forma especializada. Algo que nos tempos modernos é altamente requisitado e necessário. 

O mercado em busca de profissionais de Desenvolvimento Back-end

Por conta da transformação moderna que a sociedade vivencia, o mercado precisa estar constantemente atualizado e em expansão. Apenas dessa forma conseguirá lidar com todas as demandas existentes. 

Em um mundo onde as coisas estão se dando de forma online – principalmente na realidade pandêmica – a necessidade das empresas e instituições se adaptarem para esta realidade virtual se fez presente. Assim, o mercado se moveu de forma a necessitar profissionais especializados em campos como o back-end e front-end.

É um mercado aquecido, que busca por especialistas altamente qualificados cada vez mais. A parte da estruturação de um site para uma empresa, por exemplo, é de suma importância. Em vista disso, então, o desenvolvedor back-end se mostra como uma peça fundamental no setor tecnológico dessas empresas.

Ainda mais, segundo o portal Educa + Brasil, as oportunidades de contratação desse profissional estão concentradas nas empresas que atuam com dispositivos móveis, mas há boas oportunidades também em  startups, e-commerces, bancos tradicionais e digitais. Bem como em agências de Marketing, desenvolvedoras de softwares, órgãos públicos, instituições de ensino e em várias outras organizações de pequeno, médio e grande porte.

Salário para profissionais desenvolvedores back-end

Ainda de acordo com o portal, o salário médio desse especialista é bem estabelecido e estável. Além de apresentar bons aumentos e promoções. Confira na sequência a faixa salarial de acordo com o tamanho da empresa e da posição do desenvolvedor:

Pequenas empresas:

  • Trainee: R$:1.936,82
  • Junior: R$2.421,03
  • Pleno: R$3.026,29
  • Senior: R$3.782,86
  • Master: R$4.728,58

Médias empresas:

  • Trainee: R$2.517,87
  • Junior: R$3.147,34
  • Pleno: R$3.934,18
  • Senior: R$4.917,73
  • Master: R$6.147,16

Grandes empresas:

  • Trainee: R$3.273,23
  • Junior: R$4.091,54
  • Pleno: R$5.114,43
  • Senior:  R$6.393,04
  • Master: R$7.991,30

Sendo assim, é um mercado aquecido e uma profissão com conhecimentos bem específicos e voltados para a área de programação. Se você se interessa por esta área, pode ser uma grande oportunidade seguir e investir na sua formação. 

Ainda mais, observamos que a grade curricular do curso de desenvolvimento Back-End contempla muitos campos. Isso porque o curso vai além das questões e disciplinas práticas e técnicas. A grade foi elaborada para que você sai um profissional preparado e capacitado. Ensinando-o a desenvolver e aprimorar habilidades essenciais para qualquer desenvolver e profissional da área tecnológica. Tais como o raciocínio, a lógica, o trabalho em equipe, a eficiência e o alto padrão de qualidade. Ou seja, uma boa grade curricular o preparará para ser o destaque no mercado.

Enfim, continue conhecendo a área entendendo o porquê fazer uma faculdade de desenvolvimento Back-End. 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.