Existem pesquisas de Agronomia no espaço?

Vanessa Zampronho
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Sim, mas não como você deve estar pensando. Não há agrônomos na Lua, por exemplo, buscando formas de desenvolver plantações. Mas há estudos mais simples na área da Agronomia, que procuram plantar e colher alimentos em ambientes com gravidade zero, como na Estação Espacial Internacional (ISS, da sigla em inglês).

Afinal, o desafio de enviar um ser humano fora do ambiente terrestre é enorme. Há uma série de fatores que influenciam – negativamente – a existência da vida humana fora da Terra. A diferença de pressão atmosférica, a ausência de ar, as temperaturas extremas, e uma série de outros percalços.

Dessa forma, a Agronomia anda a passos lentos para começar a desenvolver processos de cultivo de alimentos e criação de animais no espaço. Assim, em um futuro ainda um pouco distante, será possível pensar em plantações em Lua ou criar gado em Marte, por exemplo.

O que faz a Agronomia?

A Agronomia faz parte das Ciências Agrárias, que estuda as condições do solo para plantio e criação de animais de corte, como bois, aves e ovelhas. Assim, o profissional sabe qual tipo de solo é ideal para determinado alimento. Caso o solo não seja o adequado, ele saberá fazer as correções necessárias para que uma plantação cresça saudável. O mesmo vale para a preservação de áreas florestais no entorno das plantações.

Para se tornar um agrônomo, é necessário passar pela faculdade de Agronomia, que dura cinco anos em média. No curso, o aluno estuda assuntos como Meteorologia, Física, Química, Economia, Manejo de Solos, Zoologia e Ciência do Solo. Com essas e outras matérias, o profissional conseguirá lidar com o dia a dia no campo. Isso vai da preparação do plantio até o planejamento das próximas plantações.

A Agronomia também desenvolve novas técnicas de produção de alimentos, alimentação do gado, cuidado com o meio ambiente e manejo florestal. Tudo para aumentar a produção alimentar de forma sustentável e que não agrida o meio ambiente.

Como fazer isso no espaço?

Ainda não há como fazer esse tipo de estudo em larga escala em naves espaciais. Nem em solo lunar, por exemplo. Mas o que já se tem são pesquisas de plantio de alimentos na microgravidade, dentro da ISS. Um dos projetos é o Veggie, da Nasa (a estação espacial americana) que produz alimentos em um jardim espacial dentro da ISS.

Os cientistas procuram saber como é o plantio em um local tão distante da Terra. Quanto tempo leva? O alimento mantém suas propriedades nutricionais? O gosto é o mesmo? Sua estrutura molecular é afetada? Essas e outras questões que nem foram formuladas ainda estão para serem respondidas.

Como é o jardim espacial

O jardim tem o tamanho de uma mala de viagem, ou seja: não dá para fazer grandes plantações. O solo é composto de camadas de argila e fertilizante, para tentar reproduzir o mais fiel possível o clima na Terra. Como lá não tem o sol que atua diretamente, os cientistas desenvolveram uma iluminação que se assemelha ao astro-rei. Assim, ela pode fazer fotossíntese e se desenvolver.

No projeto Veggie, já foram colhidos trigo, alface, repolho, mostarda e um tipo de couve russa. O tempo de cultivo é um pouco maior do que na Terra. Parte dos alimentos foi consumida pelos astronautas, e parte foi enviada para a Nasa para estudos.

Tudo é controlado: a quantidade de água, o tipo de solo, a intensidade da iluminação, por exemplo. Isso ajuda tanto a planta a crescer quanto a estudar os efeitos da microgravidade no crescimento dos alimentos extraterrestres.

Pimenta no espaço!

Já plantaram até pimenta no espaço! O experimento aconteceu no final de 2021 e os astronautas fizeram um taco (comida típica mexicana) usando a pimenta crescida lá mesmo. Além de fazer experiências para saber a viabilidade de se plantar no espaço, é importante para os astronautas que ficam em longas missões no espaço terem alimentos frescos à disposição. Afinal, tudo o que eles levam de alimentação é desidratado e precisa ser reidratado – o que compromete o gosto.

Dessa forma, tanto para astronautas em longas missões (como ir a Marte, que levaria vários anos de viagem), tanto para cultivar essas plantas fora da Terra, esses experimentos são fundamentais. E a Agronomia tem papel crucial nessas descobertas.

A Agronomia e a vida fora da Terra

É com a Agronomia que, no futuro, os terráqueos que forem morar fora da Terra conseguirão ter um padrão de vida o mais próximo possível daqui. É com o conhecimento do agrônomo que os habitantes da Lua ou de Marte (ou de outros astros) poderão respirar, se alimentar e andar por solos nunca antes caminhados.

O agrônomo vai ter um bocado de trabalho para chegar a este nível. Primeiro, descobrir água. Sem água, a vida fora da Terra é praticamente inviável: trazer grandes quantidades de água em naves espaciais encarece a missão e torna-a insustentável.

Outro desafio é transformar a atmosfera da futura casa. Ver quais gases fazem parte para, assim, ver quais plantas podem ser mais adequadas para aquele ambiente. Elas liberam oxigênio, o que torna a vida dos humanos e animais possível fora da Terra.

Mais uma tarefa para a lista: o solo. O que dá para plantar? O que precisa fazer para que este solo seja adequado para plantar alimentos como frutas, hortaliças, verduras, e criar pasto para animais de corte?

A Agronomia e a terraformação

Todos esses passos – e mais muitos outros – contribuem para a terraformação. Este é o processo de transformar ambientes não-terrestres em locais mais parecidos com a Terra. O termo surgiu na ficção científica, mas está se tornando cada vez mais próximo da realidade. E a Agronomia tem parte importante nisso. Por isso as pesquisas com pequenas plantas no espaço são tão importantes.

Com base nestes primeiros resultados, os cientistas já conseguem prever como será o processo para plantações maiores, que requerem mais água, sol, solo e adubação. Dessa forma, da pequena semente no espaço limitado da ISS, a Agronomia tem muito a aprender com o resultado que já está aparecendo. Com o tempo, alimentos mais complexos serão levados ao espaço e, assim, a Agronomia só tem a crescer e aprender.

Que tal, então, conhecer um pouco mais sobre o curso de Agronomia e suas possibilidades? Continue aqui no Hora da Facul!

 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.