Psicologia x Medicina – entenda a diferença

Luana Ribeiro
Jornalista, produtora de conteúdo, roteirista e podcaster. Especialista em marketing digital e mídias sociais.

Crédito: Fonte: Pexels - Armin Rimoldi

Medicina ou Psicologia? Está em dúvida em qual dos dois cursos seguir? São duas áreas distintas e com uma grade curricular um pouco diferente. Continue a leitura para sanar quaisquer inseguranças relacionadas às duas graduações. 

O que é Psicologia?

O curso de Psicologia é da área de ciências humanas e possui uma duração de 10 semestres (5 anos). Sua grade curricular possui disciplinas responsáveis por desenvolver o raciocínio crítico e criar habilidades para você poder analisar aspectos comportamentais e mentais de outras pessoas.

Em outras palavras, a Psicologia é a ciência que estuda o comportamento humano e as funções cerebrais. Conforme o dicionário etimológico, a palavra vem do grego psyché “alma, espírito” logo “estudo, razão”, isso quer dizer, o estudo da alma ou da razão. 

O que é Medicina?

A Medicina é uma ciência biológica, ou seja, está relacionada ao estudo dos seres vivos no ambiente onde vivem e é responsável por estudar as funções do organismo e partes do corpo humano. 

Qual a diferença da Psicologia com a Medicina?

Psicologia não é Medicina, pois ela pertence à área de humanas e a outra biológica. Porém, o médico formado pode se especializar em Psiquiatria. Sim, para se tornar psiquiatra você precisa ter feito o curso de medicina e não de Psicologia. 

Medicina com especialização em Psiquiatria

Para se tornar um psiquiatra você precisa ter cursado Medicina, que dura seis anos (12 semestres). Então, ao finalizar a graduação e você decidir segui na Psiquiatria, você irá fazer residência, sendo mais dois anos de especialização. 

Dessa maneira, após concluir a especialização é necessário fazer uma prova da Associação Brasileira de Psiquiatria e estar inscrito no Conselho Regional de Medicina no estado onde atua. Para então, poder exercer a profissão.

O psiquiatra é o médico especializado em realizar diagnósticos de doenças, como depressão, ansiedade, esquizofrenia, entre outras. E assim, receitar o melhor tratamento para reabilitação de transtornos mentais como depressão, ansiedade, esquizofrenia, demência, entre outros.

Esse médico especialista pode receitar o tratamento com medicamentos. Diferente do Psicólogo, que não pode recomendar remédios. 

Ou seja, esse profissional é responsável por avaliar quais são as causas da perturbação, com exames clínicos juntamente com psicólogos e neurologistas.

E, claro, sempre focando no melhor tratamento conforme o diagnóstico de cada paciente.

O mercado do médico Psiquiatra

Na última Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) realizada em 2019, no Brasil, aponta que 10,2% dos brasileiros sofrem com depressão, isso representa 16,3 milhões de pessoas com mais de 18 anos.

O que esse dado representa? Um aumento considerável no número de pessoas com depressão nos últimos anos, pois em 2013 essa mesma pesquisa apontou um aumento de 7,6%, isso representava um total de 11,2 milhões de casos. Em comparação a 2019, houve um aumento de mais de 5 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Portanto, o mercado ainda sofre com a carência de psiquiatras mesmo tendo salários muitas vezes atrativos.

Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), no Brasil, o número de pessoas que procuram por atendimentos psicológicos tem aumentado nas unidades de pronto-atendimento em todo país. 

Salário de um psiquiatra

Atualmente o psiquiatra tem um piso salarial de R$ 6.680,46, trabalhando 20 horas por semana. Esse valor é baseado na média de todo Brasil, segundo os últimos acordos coletivos registrados em 2021.

Os dados a seguir são baseados segundo o site Salário.

Psiquiatras em pequenas empresas:

Psiquiatra Júnior: R$ 6.633,01 

Psiquiatra Pleno: R$ 7.102,57

Psiquiatra Sênior: R$ 7.917,09

Psiquiatras em médias empresas:

Psiquiatra Júnior: R$ 7.003,86

Psiquiatra Pleno: R$ 7.473,42

Psiquiatra Sênior: R$ 8.287,94

Psiquiatras em grandes empresas:

Psiquiatra Júnior: R$ 7.462,39

Psiquiatra Pleno: R$ 7.931,95

Psiquiatra Sênior: R$ 8.746,47

Segundo o Site Nacional de Emprego (SINE) os salários podem chegar até mais de R$ 20 mil.

Psicologia e Medicina andam juntas?

Sim, elas andam juntas, mas não são a mesma coisa. A Psicologia e a Medicina são duas ciências diferentes, mas ambas auxiliam no trabalho uma da outra. Por isso, é importante entender que, no universo da saúde física e psicológica, as duas se complementam.

Para esclarecer, na Psicologia, o profissional precisa estudar técnicas e métodos para tratar problemas comportamentais e do processo mental. Baseado em fundamentações de grandes filósofos da humanidade e utilizando de processos que façam a pessoa refletir.

Já na Medicina, o profissional é responsável por cuidar da área de saúde das pessoas, como diagnosticar doenças e prescrever medicamentos. Porém, a pessoa formada em Medicina pode escolher entre as diversas especializações. 

O médico precisa estudar por seis anos para se formar. Ou seja, médico pode escolher entre as diversas especialidades como, por exemplo: Psiquiatria, Dermatologia, Ortopedia, Pediatria, Oncologia, entre outras.

Quanto ganha um médico formado?

Após a concluir o curso de seis anos, o médico pode escolher qual carreira deseja seguir. Desta forma, um médico em início de carreira ganha em torno de R$7.518,45 para uma jornada de trabalho de 23 horas, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do site salario.com.

Em conclusão, as duas profissões são bastante importantes para o mercado de trabalho. Sempre há vagas para os profissionais formados e tem uma ótima remuneração para os profissionais em início de carreira. Por isso, ao escolher sua profissão é interessante pesquisar bastante sobre ela com pessoas que já atuam na área para conhecer um pouco mais sobre o dia a dia daquela carreira.

Do mesmo modo, o mercado de trabalho tem oportunidades abertas para ambas as áreas e sempre precisa de profissionais capacitados e que tenham amor pela profissão que escolheram. 

Busque sempre estar antenado nas duas profissões antes de tomar a decisão final, pois essa é muito importante e deve ser avaliada, considerando os prós e contras de cada uma.   

Recomendamos algumas matérias para você se sentir ainda mais seguro em sua escolha:

Psicólogo ou psiquiatra: entenda as diferenças

Descubra quais áreas da Medicina estão em alta no mercado

10 passos para o vestibular de Medicina

 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 2

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.