Quais os desafios do curso de Fisioterapia?

Ana Carolina Silva
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto: Por andresr/ Canva

Atualmente, próxima de completar 52 anos, a Fisioterapia evoluiu muito, em especial na legislação e regulamentação da área. Além disso, o rápido crescimento do número de cursos de graduação elevou o número de profissionais em nosso país.

Agora, no contexto da pandemia de Covid-19, os profissionais de Fisioterapia foram um dos mais requisitados. Esse cenário pode ser observado em especial em hospitais e unidades de UTI.

Quem deseja ingressar na área, deve se questionar: quais os desafios do curso de Fisioterapia? Continue a leitura e esteja por dentro de informações relevantes antes de tomar a decisão de iniciar o curso.

Desafios do curso de Fisioterapia

Segundo estatísticas do Censo de Educação Superior, realizado pelo Ministério da Educação – MEC, em 2019, foram 155.696 alunos matriculados no curso de Fisioterapia. Esse índice está principalmente em instituições particulares. Além disso, o censo também detectou um aumento na oferta de cursos de Fisioterapia, na modalidade de educação à distância, com um total de 48 cursos oferecidos. 

Se considerarmos a evasão no curso de Fisioterapia, os números não são significativos. De acordo com dados do MEC, apenas 8% dos estudantes do curso desistiram da graduação em Fisioterapia, considerando o Censo de Educação Superior de 2019.

Entre os motivos para a desistência do curso estão: dificuldade em conciliar a faculdade e o emprego, o desafio com os conteúdos das disciplinas, as notas baixas, as dependências e a remuneração baixa na área. 

Características do curso de Fisioterapia

No que diz respeito a aspectos gerais do curso de Fisioterapia, ele tem duração que varia entre quatro e cinco anos. A matriz curricular da maioria dos cursos está focada em quatro áreas: Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Sociais e Humanas, Conhecimentos Biotecnológicos e Conhecimentos Fisioterapêuticos. Ou seja, o curso de Fisioterapia é um misto de conhecimentos técnicos e aspectos interpessoais. 

Sabendo disso, engana-se quem pensa que profissionais de Fisioterapia só podem atuar nos setores de ortopedia ou áreas desportivas. Nas especialidades de pneumologia, ginecologia, estética, neurologia, gerontologia, cardiologia e hospitalar, também há demanda para fisioterapeutas.

Agora que você já tem uma visão geral sobre o curso, listamos abaixo alguns dos maiores desafios do curso de Fisioterapia.

Anatomia e mais anatomia

Em primeiro lugar, a Fisioterapia é a ciência da saúde que estuda e promove o restabelecimento, manutenção e promoção da saúde humana, por meio da compreensão dos nossos movimentos. E o que é o ser humano, senão um ser em movimento, não é mesmo? Dessa maneira, o fisioterapeuta é um grande estudioso de vários aspectos anatômicos das pessoas. 

Assim, durante os semestres do curso de Fisioterapia, os alunos vão lidar com muitas disciplinas que envolvem Anatomia e áreas correlatas. Dessa forma, é necessário saber que estudar tudo que envolve esse tema, será essencial no decorrer da graduação. Abaixo listamos algumas das disciplinas que envolvem conhecimentos de anatomia, tanto teóricos como práticos:

  • Anatomia Topográfica Aplicada à Fisioterapia;
  • Anatomia Humana Sistêmica;
  • Neuroanatomia;
  • Anatomia Humana;
  • Cinesiologia e Biomecânica;
  • Fisiologia;
  • Fisiologia do Exercício;
  • Terapia Manual.

Ademais, os alunos do curso de Fisioterapia vão ter aulas práticas para exercitar os conhecimentos que envolvem a área de Anatomia. Então, se prepare para as aulas nos laboratórios observando cadáveres. Mas calma, esses momentos vão ser alternados com aulas expositivas usando peças que simulam partes do corpo humano, porém, de plástico. 

Lidar com pessoas: um dos maiores desafios do curso de Fisioterapia

O bom fisioterapeuta deve unir as habilidades técnicas à predisposição de lidar com pessoas de forma empática. Obviamente que todas as áreas de saúde, tem no componente humano, sua principal atuação. No entanto, na Fisioterapia esse contato é ainda maior. Dessa maneira o fisioterapeuta precisa gostar de lidar com pessoas e entender as especificidades de cada ser humano. 

Sendo assim, vale ressaltar que, como um profissional da área da saúde, o fisioterapeuta deve respeitar os princípios éticos que envolvem o atendimento aos pacientes. Ou seja, é preciso tratar as pessoas com dignidade e respeito.

Entre essas premissas estão o sigilo de dados dos pacientes, respeito às limitações das pessoas e oferecer informações claras ao paciente. 

Ademais, o processo de relação interpessoal do fisioterapeuta, não vai acontecer apenas com os pacientes. No ambiente profissional, quem opta pelo curso de Fisioterapia deve procurar uma boa relação também com os parceiros de trabalho. Para conhecer essas práticas na matriz curricular do curso de Fisioterapia, existem algumas disciplinas sobre o assunto:

  • Ética na Saúde;
  • Sociologia Aplicada à Saúde;
  • Psicologia Geral;
  • Gestão em Fisioterapia;
  • Relação – Princípios e valores;
  • Interação Comunitária.

Tecnologias: outro desafio para fisioterapeutas

Se antes os profissionais de Fisioterapia eram considerados apenas “massagistas”, hoje a realidade para o mercado de fisioterapeutas é bem diferente. Para exemplificar, podemos citar as modificações na forma de atendimento, em consequência da pandemia de Covid-19.

No entanto, quem poderia imaginar, que uma área que lida com terapias manuais, para diagnosticar e tratar enfermidades, iria recorrer ao modelo híbrido de atendimento.

Além disso, o avanço contínuo da tecnologia amplia as possibilidades da área da saúde. Dessa forma, surgem novas oportunidades de tratamento e promoção de qualidade de vida. A tecnologia na Fisioterapia é uma ótima alternativa para aumentar a adesão dos pacientes e tornar os processos de reabilitação mais eficazes. 

Conhecer esses avanços tecnológicos é essencial para o mercado de trabalho e também na Fisioterapia. Isso porque, ao usar equipamentos e recursos inovadores, o fisioterapeuta demonstra interesse em aprender continuamente e estar em constante aperfeiçoamento. Sendo assim, listamos abaixo algumas tecnologias na Fisioterapia que são interessantes para conhecer.

Tecnologias na Fisioterapia

  • Gameterapia: prática de movimentos com jogos interativos, selecionados pelo próprio fisioterapeuta conforme a necessidade de cada paciente;
  • Realidade virtual: utilização de luvas e óculos que captam o movimento do paciente, ao mesmo tempo, em que simula percepções e atividades do mundo real;
  • Eletroterapia: o corpo recebe estímulos elétricos de baixa intensidade para aumentar o fluxo sanguíneo, melhorar a força muscular e evitar atrofia devido à falta de uso da região;
  • Trajes robóticos: utilizado em pessoas com dificuldade de locomoção para aprender a controlar novamente os movimentos;
  • TPM (The Performance Matrix): por meio dessa tecnologia é possível identificar desequilíbrios musculares, permitindo a correção através de exercícios, reduzindo a vulnerabilidade a lesões.

E aí? Se sentiu motivado a se inscrever para a faculdade de Fisioterapia? Apesar dos desafios da área, há muitas vantagens também. Você está no caminho certo, pesquisando e se aprofundando no que consiste a profissão.

Para ir além, que tal entender como é o mercado de trabalho para empreender na área de Fisioterapia? Essa é uma etapa para após a conclusão do curso. Porém,  estar preparado para dar esse próximo passo faz com que você esteja a frente dos seus concorrentes.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 1 / 5. Contagem: 1

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.