Quais são as abordagens da Psicologia?

Vanessa Zampronho
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto de Polina Zimmerman no Pexels

Para auxiliar um paciente a entender o que acontece em sua vida, a Psicologia usa abordagens diferentes, que vão além da conversa individual.

A imagem que temos de uma consulta com o psicólogo é de alguém que fala e outra pessoa que ouve. Embora essa abordagem seja uma das mais utilizadas no dia a dia da Psicologia, não é a única. A ciência que estuda a mente das pessoas vem desenvolvendo terapias para ajudar os pacientes a se entenderem melhor e a superar seus problemas.

Do grego “estudo da alma”, a Psicologia, desde sua origem, se preocupa em compreender a mente humana. Ela se baseia em estudos de outras ciências para poder descobrir mais formas de abordar os problemas dos pacientes. Isso inclui, observação de grupos de pessoas, de comportamentos e descobertas na estrutura do cérebro.

Vai fazer vestibular para Psicologia?

Descubra qual área de atuação mais combina com você

 

Ao conversar com um paciente, o psicólogo procura descobrir o que o aflige. Uma vez diagnosticada a síndrome, distúrbio ou problema, ele vê qual é o melhor caminho para resolvê-lo. É aí que entram as diferentes abordagens da Psicologia, sendo encontrar a estrada certa para chegar onde interessa: a ajuda ao paciente.

A Psicanálise e o inconsciente

A Psicanálise busca alcançar o inconsciente dos pacientes para entender o que acontece com eles. Ela é considerada uma forma de tratamento, e foi desenvolvida pelo médico alemão Sigmund Freud. Este, utilizava a hipnose para acessar informações escondidas até do próprio paciente. A hipnose é um estado de consciência onde a pessoa fica com a atenção mais concentrada em determinado fato ou objeto.

Assim, utilizando a hipnose, Freud conseguia que seus pacientes falassem de acontecimentos perturbadores, tristes ou traumáticos. Isso não era possível com entrevistas tradicionais. Assim, ao avaliar esses relatos e relacionar com seus problemas, ele descobriu que muitos dos distúrbios emocionais tinham origem psicológica. Dessa forma, ao entender a importância desses acontecimentos na vida de alguém, poderia se chegar ao alívio dos problemas.

Foi uma descoberta ousada na época, que repercute atualmente. Embora a hipnose usada por Freud não seja mais utilizada, o conceito de inconsciente e de memórias reprimidas fez a diferença para a Psicologia. Dependendo do problema do paciente, a abordagem psicanalítica pode ser bastante positiva para que ele possa entender e superar seu problema.

Psicanálise analítica e o coletivo

O conceito de inconsciente chamou a atenção de vários estudiosos, como o psiquiatra suíço Carl Gustav Jung. Mas, diferente do seu colega alemão, Jung passou a investigar as interferências das experiências das pessoas que convivem em sociedade. É o que ele conceituou como inconsciente coletivo. São acontecimentos que se sucedem ao longo dos anos e ficam marcados na memória das pessoas.

Dessa forma, Jung ia além do inconsciente individual. Ele relacionava as vivências particulares com a experiência de vida de seus familiares, do grupo em que está inserido, até no país onde vivia. É uma terapia utilizada em Psicologia para ajudar o paciente a entender como ele chegou até onde está e como se mostra ao mundo.

O Humanismo e a compreensão do todo

Essa abordagem da Psicologia considera o ser humano em sua totalidade, e não analisa partes separadamente. Os precursores do Humanismo foram os psicólogos norte-americanos Abraham Maslow e Carl Rogers. Eles entendiam que o paciente, para conhecer seus problemas, deve ter liberdade para se compreender e se sentir confortável para falar sobre eles.

Assim, o ser humano tem o poder de se autorrealizar e, para isso, deve se desenvolver e evoluir ao longo do tempo. Nas sessões, o profissional deixa o paciente livre para falar sobre o que e como quiser. Portanto, com essa análise, ele passa a se aceitar do jeito que é para, dessa forma, conseguir superar seus problemas.

Análise do Comportamento

É uma das abordagens da Psicologia com mais estudos científicos. Ela surgiu com o psicólogo americano B.F. Skinner, que se perguntava por que uma pessoa se comporta de determinado jeito. Ele se baseou no behaviorismo, que estuda o comportamento observável das pessoas.

Foi assim que Skinner, analisando o comportamento de seus pacientes, conseguia entender o porquê de seus problemas, o que os causava e como ela reagia. Por isso que essa abordagem da Psicologia é uma das que mais tem evidências científicas. Os pesquisadores relatam como o comportamento afeta a psique humana e o que pode ser feito para auxiliar os pacientes a superar seus problemas.

Dessa forma, essa abordagem vai além do comportamento e também estuda sentimentos e emoções. E, é uma maneira de levar o paciente a entender seus problemas e traumas, e como o ambiente tem participação nisso.

Terapia Cognitivo-Comportamental

É uma das mais recentes abordagens da Psicologia. Primeiro, ela deriva da Análise do Comportamento, mas vai além da observação das atitudes do paciente. Conhecida como TCC, ela estuda como as pessoas interpretam os acontecimentos. Assim, o fato em si não tem tanta importância, mas sim a forma de entender o mundo ao redor.

Unindo a Análise Comportamental com os estudos da mente e conhecimento humanos, os terapeutas têm outra perspectiva de tratamento. Nas sessões, o profissional descobre como o paciente interpreta o mundo e identifica padrões de comportamento ou sentimentos. Ele analisa o quanto eles interferem na vida da pessoa e, assim, mostra novas possibilidades.

A TCC na Psicologia é considerada uma abordagem mais prática e direta para diversos distúrbios como ansiedade, depressão, traumas, fobias e até dependência química. Ela mostra ao paciente o quanto determinado comportamento ou sentimento afeta a sua vida e o que pode ser feito para reverter esse quadro.

Além disso, na Psicologia, a TCC ela orienta o paciente quando ele passar por uma situação que desencadeia as crises sentimentais ou comportamentais. Técnicas de relaxamento e respiração ajudam o paciente a entender esses períodos difíceis e a sair deles com menos sofrimento. Por consequência, a TCC o auxilia a prevenir essas recaídas, que podem ficar cada vez mais raras.

Por fim, o curso de Psicologia trata dessas e outras abordagens que os profissionais podem usar nas suas terapias. Uma vez formado, o aluno pode se especializar em uma ou mais terapias, de acordo com suas áreas de interesse. Dessa forma, ele pode auxiliar seus pacientes a superar seus problemas com a abordagem certa para cada um.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.