Quais são as melhores faculdades de Engenharia Elétrica?

Ana Cláudia Andrade Oliveira
Formada em Letras, Pedagogia, especialista em Neurociências e em produção de conteúdo Web.

Crédito: Foto de Field Engineer no Pexels.

Você já chegou a perder o foco ao deparar-se com tantas opções de faculdades e instituições? Você não está sozinho. Milhões de brasileiros passam por essa fase. E, de fato, não é para menos. Mas, afinal, como é a faculdade de Engenharia Elétrica? Quais são as melhores?

Por outro lado, se você está aqui, significa que já tem em mente o curso que deseja fazer. Mesmo assim, ainda há um mar de opções de instituições. Por este motivo, fizemos um artigo especial para você sobre as melhores faculdades de Engenharia Elétrica. Não apenas isso, mas também faremos uma breve apresentação de cada faculdade. 

Ainda mais, é de suma importância levar em conta diversos aspectos. Como o valor, infraestrutura, particularidades, reconhecimento e muito mais. Por isso, fique ligado e não perca nenhum detalhe. Aqui você encontrará a informação que precisa para tomar a sua decisão.

Em dúvida sobre escolher Engenharia Elétrica EAD ou presencial?

Preparamos um quiz especial para você

O que você verá neste artigo:

As melhores faculdades de Engenharia Elétrica são: 

  • USP – Universidade de São Paulo;
  • UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas;
  • UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais;
  • UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul;
  • UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro;
  • UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina;
  • UNESP – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho;
  • UFPR – Universidade Federal do Paraná;
  • UFSCAR – Universidade Federal de São Carlos;
  • UFPE – Universidade Federal de Pernambuco;
  • UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná;
  • FEI – Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana Pe Sabóia de Medeiros;
  • MACKENZIE – Universidade Presbiteriana Mackenzie.
  • PUCSP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Antes de mais nada, essa amostragem das melhores faculdades de engenharia elétrica é divulgada pelo RUF (Ranking Universitário Folha), pela Folha de São Paulo. A avaliação foi feita em 2019, porém, normalmente, todos os anos a Folha de S. Paulo elabora e divulga essa pesquisa. 

À primeira vista temos aqui apenas as 14 primeiras colocadas no ranking. No entanto, a pesquisa divulga cerca de 351 outras posições. Ou seja, há muito o que pensar antes de escolher a sua faculdade ideal. Pois, além disso, temos uma ampla variedade de universidades públicas e privadas. 

Assim, preparamos informações importantes sobre algumas dessas universidades. Dessa forma você terá informações suficientes para basear a sua escolha final. 

Ainda dá tempo de se organizar em 2021!

 

Preparamos um planner para você não deixar nada passar

Melhores faculdades privadas de Engenharia Elétrica

FEI – Centro Universitário da Fundação Educacional Inaciana Pe Sabóia de Medeiros

Primeiramente, vale destacar que a FEI é nota máxima no MEC e está entre as melhores faculdades de Engenharia Elétrica do Brasil. Estão há mais de 80 anos no mercado e, segundo o próprio site que possuem, tem como principal missão proporcionar conhecimento por todos os meios. Objetivam a construção de uma sociedade justa, desenvolvida e humana. 

Ainda mais, eles contam com cursos não apenas de graduação, mas também de especializações, mestrados e doutorados. Além disso, a instituição investe em pesquisa a fim de promover inovação. Bem como para viabilizar que seus alunos ingressem no mercado de forma mais rápida e fácil. 

Mackenzie – Universidade Presbiteriana Mackenzie

A história da Universidade Mackenzie começa no no século XIX quando educadores presbiterianos fundaram em São Paulo a Escola Americana. E em 1986 foi inaugurada a Escola de Engenharia.

Ao longo dos anos, a faculdade foi incluindo mais cursos em sua grade. E, em 1952 o governo brasileiro elevou a condição da instituição à faculdade. A Universidade conquistou respeito e construiu história ao longo dos anos, se consolidando como referência no país.

É uma das universidades mais disputadas do país, além disso oferece cursos de pós graduação e mestrado. Além de promover diversas formas de capacitação para os alunos estarem preparados para o mercado de trabalho.

PUC SP- Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

A PUC surgiu com a junção da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São Bento e da Faculdade Paulista de Direito. Isso ocorreu em 1946 e desde então a Universidade tem marcado sua presença na história.

Nos anos 80, a Universidade começou a consolidar o seu desenvolvimento acadêmico e comunitário. Os números de cursos de graduação e pós graduação aumentaram e os números de alunos também.

Os anos 2000 marcam a expansão e modernização da Universidade. Desde então, através do ranking oficial que o MEC apresenta as melhores faculdades, a PUC aparece como a melhor da cidade.

Anhanguera Educacional

Esta universidade conta com unidades e polos ao redor de todo o Brasil. E, o mais importante, possui um ensino de alta qualidade. Além disso, possuem cerca de 15 mil docentes, profissionais, especialistas, mestres e doutores.  A instituição existe desde 1994, atualmente oferecem cursos de graduação, pós-graduação, técnicos e de extensão em diversas áreas.

Ainda mais, o que dizer sobre recursos e estrutura? Possuem uma vasta biblioteca à disposição dos alunos que queiram expandir seus conhecimentos. E para expandir ainda mais as possibilidades, conta com um convênio com as bibliotecas da Unicamp e da UFSCar. Também contam com um vasto acervo digital com diversos títulos. 

Com isso, a Anhanguera cumpre seu objetivo de democratizar o conhecimento, colaborando com o crescimento profissional dos alunos.

Faculdade Pitágoras

Fundada em Belo Horizonte, Minas Gerais, no ano 2000. Hoje está presente nos estados do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Espirito Santo, Minas Gerais, Goiás, Maranhão, Pará, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

O diferencial da Pitágoras é o sistema de avaliação continuada, que valoriza os esforços de cada aluno e o seu desempenho. Eles focam no aprendizado que valoriza as situações reais do trabalho, preparando, assim, profissionais o mercado. Então, quer seja nos aspectos científicos, técnicos, humanos ou éticos, o profissional será referência em competência.

A Pitágoras entra nessa lista para provar que não é preciso gastar demais para fazer uma faculdade de Engenharia Elétrica.

UNOPAR – Faculdades Integradas Norte do Paraná

De antemão, a UNOPAR foca na busca incessante pelo conhecimento, desenvolvimento humano, social e intelectual. Possuem um atendimento personalizado com o objetivo de valorizar cada aluno individualmente em sua trajetória acadêmica. Além disso, sua metodologia e sistema de ensino valoriza a prática e prepara o aluno para o mercado de trabalho.

Criada em 1972, iniciando com o curso de Educação Física. Posteriormente, outros cursos foram iniciados. Contam hoje com dezenas de opções em todas as modalidades.

Dessa forma, há cursos de bacharelado, licenciatura e tecnologia, presencial e à distância. Tudo isso disponível em unidades e polos em todo o Brasil. Além disso, também oferecem cursos livres, de pós-graduação, mestrado e doutorado.

Melhores faculdades públicas de Engenharia Elétrica

USP – Universidade de São Paulo

Quando se trata de Universidades Públicas, a USP é uma das mais concorridas. A Universidade foi fundada em 1934 e é mantida pelo Estado de São Paulo. E, a faculdade de Engenharia Elétrica não poderia ser diferente no âmbito concorrência.

Ao longo dos anos, a Universidade é reconhecida por formar profissionais capacitados, além de conter um corpo docente qualificado. 

A Universidade é reconhecida por ser responsável por mais de 20% da produção científica no país. Esta instituição conta com 183 cursos de graduação e 239 programas de pós-graduação.

UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas

Comparada com outras Universidades Paulistas a Unicamp pode ser considerada uma das mais novas, mesmo tendo sido fundada oficialmente em 1966.

Esta faculdade é reconhecida pela área da saúde, contudo, conta com mais opções de cursos, como na área de economia, artes, linguagem entre outros.

UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais

É a mais antiga universidade do estado e se encontra na lista das melhores universidades do país.

Sua fundação foi em 1927 e surgiu com a união de 4 instituições: Escola de Engenharia, Faculdade de Direito, Escola Livre de Odontologia e Faculdade de Medicina. Ou seja, a faculdade de Engenharia Elétrica é uma das pioneiras.

A Universidade conta com os mais diversos tipos de cursos de graduação e pós-graduação. E, tem investido na educação à distância e cursos de extensão.

UFRGS- Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Com mais de 80 anos de atuação, a Universidade está na lista das melhores instituições públicas de ensino

A grade curricular além de contar com cursos de graduação e pós-graduação, oferece também cursos técnicos. Outro destaque fica por conta da área de Pesquisa e Inovação.

UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro

A Universidade Federal do Rio de Janeiro, também já foi chamada como Universidade do Brasil, foi fundada em 1920. Sua atuação se estende em 11 municípios e se destaca pelo ensino oferecido. A Universidade conta com 150 cursos de graduação e 580 de pós-graduação.

Além do reconhecimento pela qualidade do ensino, a Universidade já contou com alunos como: Clarice Lispector, Jorge Amado, Oscar Niemeyer, entre outros.

UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina

De acordo com a avaliação do INEP, a instituição está no 7º lugar como melhor universidade pública do país. O Times Higher Education, outro ranking só que mundial, é uma das 8 universidades brasileiras, entre as 800 melhores do mundo.

Isso só prova que essa é uma instituição respeitável e de muita credibilidade. A universidade conta com 120 cursos de graduação e 149 programas de pós-graduação. A consolidação dessa instituição foi muito importante para Florianópolis e é uma das principais universidades da região Sul.

UNESP – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

A UNESP foi criada em 1976, uma das universidades públicas mais jovens do país. Esta instituição se formou com a junção de algumas faculdades de diversos pontos do interior paulista.

No início, tinha uma característica muito marcante que era a formação de professores, para atuar nas escolas secundárias.

Com o tempo a  Universidade foi expandindo, e conta com vários cursos de graduação e pós graduação

UFPR – Universidade Federal do Paraná

As universidades federais geralmente estão interligadas com o desenvolvimento do Estado. E não foi diferente com a Federal do Paraná. Esta é a universidade mais antiga do país, o sonho da fundação começou em 1892, mas foi apenas em 1912 que se concretizou.

Após conseguir a sua federalização em 1950, a universidade começou a passar por uma fase de expansão. E assim, se tornou referência de ensino e um símbolo importante para os paranaenses.

UFSCAR – Universidade Federal de São Carlos

Com 53 anos de história, a UFSCAR foi a primeira universidade federal a ser instalada no interior de São Paulo. A qualidade de seu ensino é reconhecida pelo país, pois conta com boa parte de professores que são doutores e mestres.

Além disso, o destaque também fica por conta da sua área de pesquisa. A Universidade Federal de São Carlos conta com 4 campi: São Carlos, Sorocaba, Araras e Lagoa do Sino. Ela possui uma importância significativa para o estado e para as cidades do interior.

UFPE – Universidade Federal de Pernambuco

Este foi um dos primeiros centros universitários do Norte e Nordeste do Brasil. Sua criação, assim como outras universidades, ocorreu graças à união de outras faculdades e escolas da época.

Se encontra na lista das melhores universidades públicas do país, e se destaca como referência de  educação na região nordeste. Seu reconhecimento também se deve ao constante trabalho com as pesquisas científicas.

UTFPR- Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Localizada na cidade de Curitiba, a universidade cumpre com o seu papel descrito em sua missão no site. Onde o objetivo é desenvolver a educação tecnológica com excelência.

A universidade conta com campus em diversos lugares, e oferece os mais diversos cursos, como técnicos, graduação, pós-graduação e especializações.

Também é uma das universidades mais antigas, tendo a sua fundação em 1909. Foi a UTFPR que criou o primeiro curso de mestrado e doutorado na faculdade de Engenharia Elétrica. 

Qual o perfil do estudante do curso de engenharia elétrica?

Um ponto muito importante antes de começar a faculdade de engenharia elétrica é saber se você tem o perfil. Afinal, escolher uma carreira além de visar a remuneração, é identificar se você se encaixa no perfil.

Sobre o perfil do estudante, é preciso gostar de matemática. Como já abordado, você terá convivência com cálculos na faculdade. Depois de formado, você vai continuar lidando com números. Então, se você não gosta de matemática, essa pode não ser uma boa profissão para você!

Além disso, o conhecimento na língua inglesa também é extremamente importante. Saber o idioma tem se tornado fundamental em muitas carreiras e assim é com o engenheiro elétrico.

Tanto na faculdade como depois de formado, você encontrará artigos em inglês. Além de novas tecnologias que vão exigir esse conhecimento.

Tendo o idioma em seu currículo, isso também aumenta a possibilidade de trabalhar em uma multinacional.

Outro ponto do perfil desse profissional é a liderança. Sendo assim, você precisará se desenvolver durante a faculdade. O engenheiro elétrico pode estar a frente de uma equipe, direcionando um projeto. Para isso, é preciso ter firmeza e confiança.

Manter-se curioso e sempre buscar estar atualizado, é outro ponto sobre o perfil do estudante. Mesmo depois de formado, estar por dentro das novidades que a carreira exige é muito importante!

Sempre buscando se atualizar, através do curso de pós-graduação, e até mesmo workshops da área. Assim, você se tornará um profissional cada vez mais competente e disputado no mercado de trabalho.

Modalidade: Presencial, semipresencial ou EAD

Outra coisa que você deve estar atento ao começar a faculdade de engenharia elétrica é escolher em qual modalidade estudar. Existem 3 modalidades: presencial, semipresencial ou EAD (estudo à distância).

O estudo presencial é o mais comum e ainda preferido por muitos. Contudo, o modo semipresencial e EAD estão ganhando espaço.

Isso acontece, pois muitos alunos não podem ir até a faculdade. Pode ser por conta do trabalho, da distância ou até mesmo da falta de dinheiro para locomoção.

Sendo assim, essas duas modalidades são ótimas opções. Além disso, há muito preconceito com essas modalidades .

O conteúdo das aulas é o mesmo, e você conta com uma equipe de professores com muito conhecimento. O que muda, é que você tem mais flexibilidade para estudar.

Veja algumas vantagens de estudar por EAD ou semipresencial:

Menor custo:

Geralmente os cursos semipresenciais ou totalmente à distância possuem um custo menor. Isso não afeta somente as mensalidades, mas também você economiza com passagem e alimentação.

Além disso, a faculdade não tem custo alto quando não há alunos na sala, logo isso afeta na mensalidade.

Se você busca por economia e não quer renunciar à sua faculdade em Engenharia Elétrica, essa é uma ótima opção.

Pesquise pelas faculdades que oferecem esse tipo de modalidade, e veja a diferença de custo. Com certeza, será uma diferença significativa para o seu bolso!

Flexibilidade:

O mundo mudou e com isso as faculdades particulares perceberam que precisam mudar. A rotina está mais agitada, sendo assim, muitos não conseguem ir para a faculdade.

Com o estudo semipresencial você não precisa ir todos os dias para a faculdade. Somente em alguns dias específicos, e assim você consegue se programar melhor.

Já o ensino EAD permite que você possa estudar de qualquer lugar, a qualquer horário. Geralmente os cursos EAD já têm as aulas gravadas, e os alunos assistem quando podem.

Claro que é preciso estar atento ao cronograma, principalmente em relação aos trabalhos e provas.

Mesmo assim, o modo EAD permite que os alunos possam estudar em casa, no trabalho, e até mesmo na condução. O aluno cria os seus horários e assim não deixa de aprender!

Certificado:

Quem acha que o certificado online é diferente de um presencial se engana. Mesmo que você estude no modo EAD, ao final da graduação o certificado é o mesmo.

Afinal, as matérias abordadas são as mesmas. E, o modo como a aula é ministrada não vai afetar no seu certificado.

Atualmente, as empresas estão receptivas aos cursos online do que era antes. Ou seja, há mais aceitação. E assim, você não tem mais desculpas para não estudar!

Como está o mercado de trabalho na área de Engenharia Elétrica?

Quando se trata do mercado de trabalho, um bacharel em engenharia elétrica não precisa se preocupar. No mercado nacional, o setor de energia tem mantido os investimentos estáveis.

Isso significa que oportunidades de trabalho não vão faltar para o estudante dessa área. Antes mesmo de se formar, você pode ter experiência como estagiário, e assim, até garantir um emprego fixo.

Com as mudanças de comportamento, além da produção de energia pela hidrelétrica, estão surgindo oportunidades para energia eólica e solar.

Durante os estudos, os alunos irão lidar com esses temas. Portanto, esse é um nicho muito interessante, e que com certeza vai precisar de profissionais capacitados.

Por isso é tão importante que o aluno não pare apenas na graduação. Mas que busque uma especialização na área. Assim, as chances de conseguir um bom emprego na área aumentam.

Além de poder trabalhar em uma multinacional, um engenheiro elétrico pode trabalhar em empresas públicas. Por exemplo, temos as empresas de energia Aneel e Anatel que são públicas.

Além disso, há a possibilidade de trabalhar em ministérios e secretarias estaduais. Ou seja, possibilidades de trabalho não faltam.

E como na grade curricular a faculdade vai abordar o empreendedorismo, o graduando pode abrir a sua própria empresa. 

E o mercado internacional?

Assim como no Brasil, esta é uma profissão muito importante em vários países do mundo. E se você visa uma profissão no exterior, essa é uma ótima opção.

Sendo assim, além de ser bacharel em engenharia elétrica, é preciso falar fluentemente inglês. Alguns países podem exigir outro idioma, mas o inglês é fundamental.

Se você não sabe em qual país você pode trabalhar, veja uma lista com os melhores destinos profissionais.

Japão:

Este é um país que investe pesado na tecnologia e possui baixo índice de desemprego. Então, oportunidades não faltam.

No Japão os engenheiros brasileiros são bem vindos, e podem trabalhar nas áreas de:

  • Automotiva;
  • Indústria manufatureira;
  • Eletrônica;
  • E engenharia civil.

Estados Unidos:

A grande oportunidade está principalmente no Vale do Silício, onde se respira tecnologia. Além disso, as áreas com mais oferta de trabalho são:

  • Engenharia de energia e petróleo;
  • Engenharia elétrica;
  • Engenharia de software;
  • E controle de qualidade.

Nova Zelândia:

A Nova Zelândia é um país reconhecido por sua estabilidade financeira. E este é um país que está de portas abertas para os engenheiros brasileiros. 

O foco do país está em busca de profissionais que contribuam para o setor de construção mais ecológico.

Mas, as oportunidades não param por aí.

Canadá:

Não é segredo para ninguém que o Canadá está em busca de estrangeiros. Este é um dos países que está carente de profissionais, e busca aumentar a sua população.

A mão de obra estrangeira é bem-vinda, e muito bem paga. As possibilidades de trabalho são:

  • Na engenharia civil;
  • engenharia elétrica;
  • aeronáutica;
  • E engenharia mecânica.

Além das várias oportunidades, o país oferece uma ótima qualidade de vida. Sendo assim, uma opção para você construir uma vida por lá com a sua família.

Saiba as possibilidades de carreira para quem faz faculdade de Engenharia Elétrica

O mercado de trabalho nessa área não deixa de oferecer oportunidades. Sendo assim, é preciso que os alunos estejam cada vez mais preparados. 

Ao se formar como engenheiro elétrico, você ficará sabendo que existem 7 áreas de atuação. Assim como na advocacia, onde o profissional pode atuar na área civil ou penal, existem áreas para o engenheiro elétrico.

Essas áreas são:

Sistemas eletrônicos:

Esta área foca no desenvolvimento de dispositivos que utilizam semicondutores. Para que assim, estes dispositivos possam funcionar. Como por exemplo o smartphone.

Eletrotécnica:

Área direcionada para a criação e conservação de sistemas elétricos que ficam nas usinas. Este é um campo mais técnico.

Sistemas de controle:

Uma área focada mais no industrial. O engenheiro vai ajudar no funcionamento de vários equipamentos, como máquinas elétricas.

Telecomunicações:

Este é um setor onde aparecem mais oportunidades de trabalho. Por isso, fique ligado se esta área te interessa, pois há muita concorrência. 

O profissional tem a responsabilidade de desenvolver redes de transmissão e equipamentos. Para que assim, seja estabelecido a comunicação em rede.

Engenharia biomédica:

Quando se pensa em um engenheiro elétrico, não tem como fazer relação com a área de medicina. Contudo, este profissional é muito importante para essa área também.

Afinal, equipamentos hospitalares como os de uma UTI precisam ser fabricados e de manutenção. E esta é uma área que carece de profissionais.

Estes equipamentos estão sempre passando por inovações para melhorar a saúde das pessoas. E o engenheiro elétrico precisa estar atualizado em relação a essas mudanças!

Sistemas microcontrolados:

Esta área envolve o desenvolvimento de hardware e programação. O profissional tem a responsabilidade de criar componentes para o funcionamento dos processadores.

Instrumentos de medição:

Em alguns setores como o da construção, é preciso trabalhar com instrumentos de medição. Aí entra o profissional que fez faculdade de Engenharia Elétrica, que além de desenvolver esses instrumentos, precisa saber manusear.

Resumindo, o engenheiro elétrico pode trabalhar em:

  • Indústrias de equipamentos elétricos e eletrônicos;
  • Mercado financeiro;
  • Construtoras;
  • Empresas de telefonia, rádio e TV;
  • E pequenas e médias empresas 

Como já comentado, ainda existe a possibilidade de você trabalhar na área como funcionário público. Portanto, não deixe de pesquisar as vagas e se informe.

Se possível, procure um estágio para ir ganhando experiência!

Remuneração da área de engenharia elétrica

A princípio, essa é uma questão que preocupa muitos estudantes. Afinal, quanto será que ganha um graduado na faculdade de Engenharia Elétrica? Isso vai depender da empresa, nível e até da região onde o profissional trabalha.

Veja agora uma média salarial:

De acordo com a lei 4.950-A/66 a tabela salarial de um engenheiro elétrico é vinculada ao salário-mínimo. Também está vinculado a sua jornada de trabalho. Sendo assim, veja:

  • Se a jornada é de 6 horas- São 6 salários mínimos;
  • Uma jornada de 7 horas- 7,25 salários mínimos;
  • Jornada de 8 horas- 8,5 salários mínimos.

É um salário bem atrativo, isso porque, além de ser uma função muito importante, pode envolver alguns riscos ao profissional.

E quanto será que ganha um estagiário? Isso também pode ter uma variação, mas em média o salário é de R$1.300,00, além dos benefícios.

A profissão de engenharia elétrica é uma das melhores pagas do país. Veja:

  • Trainee engenheiro elétrico – R$3.590,00
  • Analista de engenharia- R$3.284,00
  • Coordenador de engenharia – R$8464,00

Setores como os de Óleo e gás, Tecnologia da Informação e Engenharia contratam esse profissional para diversas funções. Assim, o salário pode variar de acordo com a função e tempo de experiência. Veja:

  • Gerente de produção – R$9.000,00 a R$22.000,00
  • Diretor de Supply Chain – R$24.000,00 a R$40.000,00
  • Diretor de operações – R$25.000,00 a R$40.000,00

Essa é a média dos salários, e o tempo de experiência pode ser de 6 a 9 anos. 

Veja como é a média salarial de um profissional da área de Engenharia Elétrica na área de TI:

  • Diretor de TI – R$26.500,00 a R$40.000,00
  • Gerente de Infraestrutura – R$17.000,00 a R$26.000,00
  • Gerente de Serviços – R$15.000,00 a R$23.000,00

Como você pode conferir, esta é uma área que oferece ótimos salários. Além disso, você também contará com bons benefícios. Contudo, isso pode variar de empresa para empresa.

Quanto mais experiência e conhecimento na área, maiores são os salários. Por isso, reforçamos a importância de também fazer uma especialização na área de engenharia elétrica.

Falamos de salários de profissionais que trabalham em empresas privadas, mas como funciona o salário de um funcionário público?

Engenheiro eletricista concursado:

O salário de um concursado em média será de R$8.142,00 para uma jornada de 39 horas semanais. Além dos benefícios oferecidos.

Vale lembrar, que o concursado pode trabalhar em várias áreas. Fique atento aos editais, e veja qual mais te interessa!

Como é o dia a dia deste profissional?

A rotina deste profissional é movimentada, não importa o setor em que esteja. Por isso, o engenheiro elétrico precisa estar sempre pronto para as demandas da profissão.

O profissional pode estar à frente de uma coordenação de empreendimentos elétricos ou de telecomunicações. Aqui é preciso muita técnica, além de experiência com liderança.

Outro setor que exige muita proatividade e senso de liderança é o da construção. O engenheiro elétrico precisa estar atento a todos os detalhes, para que nada possa acontecer de errado.

É preciso muito trabalho em equipe, pois dificilmente este profissional vai trabalhar sozinho.

Como já comentado, esta é uma área em constante evolução. Portanto, a rotina deste profissional também envolve inovação. Não somente pelos materiais, mas também pela forma de se trabalhar.

Veja alguns cargos relacionados a essa profissão:

  • Engenheiro de projetos elétricos;
  • Engenheiro de tráfego telefônico;
  • Engenheiro Eletrotécnico;
  • Engenheiro Eletrotécnico de projetos;
  • Engenheiro de manutenção eletrônica;

Enfim, agora que você sabe tudo sobre a faculdade de Engenharia Elétrica, não deixe de fazer a sua graduação. Esta é uma área com grandes possibilidades e crescimento na carreira. 

Por outro lado, se você deseja saber como conseguir uma bolsa para cursar engenharia elétrica, não deixe de clicar aqui. 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 2

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.