Saiba tudo sobre o Curso Superior em Empreendedorismo e Novos Negócios

Raiza Moreno
Colaboradora Raiza Moreno

Crédito: Foto de CoWomen no Pexels

Empreender pode ser uma tarefa individual ou coletiva. Mas, independente do modo em que será exercida, é necessário conhecimento. Assim, preparamos esse post com tudo o que você precisa saber sobre o CST em Empreendedorismo e Novos Negócios.

Desse modo, a leitura a seguir está repleta de informações que vão te fazer compreender muito melhor este universo. A matéria contempla, não só todos os detalhes sobre o Curso Superior Tecnológico  em Empreendedorismo e Novos Negócios, mas também outras curiosidades sobre essa tema.

Vem conosco!

Empreendedorismo e Novos Negócios

Empreender é um verbo transitivo direto, ou seja, não requer complemento. Toda via, empreender com êxito requer um complemento nas entre linhas, um complemento com atitude.

Este complemento, por sua vez, não surge de forma súbita, há de se ter estudo e conhecimento para o verbo empreender vir acompanhado da palavra “sucesso”.

Ademais, o empreendedorismo é realizado de forma cotidiana em todos os cantos do mundo. Nem sempre da forma que se imagina, com terno e gravata, por exemplo. Mas sim, com pessoas comuns como eu e você.

Um empreendedor é aquela pessoa que empreende, independente do produto ou serviço. Assim, o significado da palavra quando se trata de negócios, é o seguinte: decidir, realizar (tarefa difícil e trabalhosa); tentar; pôr em execução; realizar, segundo o Oxford Language.

Também, os populares “camelôs”, grandes empresários, Mark Zuckerberg, a costureira do seu bairro e os donos da barraca de feira, são exemplos de empreendedores. E, em suas respectivas proporções, obtiveram êxito diante do que é proposto.

Em contrapartida, outros negócios que se iniciam e logo fecham as portas, podem ser exemplos de maus negócios e aplicabilidade do empreendedorismo. A ideia aqui não é generalizar, mas sim, grande parte do mau funcionamento de negócios é o não conhecimento técnico sobre empreendedorismo e novos negócios.

Portanto, continue a leitura e conheça sobre as especificidades e a importância do CST em Empreendedorismo e Novos negócios.

O que é um CST?

Primeiro, antes de adentrar no universo do Empreendedorismo e Novos Negócios, se faz necessário explicar o que é um CST. Este, por sua vez, é um tipo de curso superior. E, sua sigla diz respeito a um Curso Superior de Tecnologia, ou seja, um tecnólogo.

Um curso tecnólogo é específico no aspecto profissionalizante. Em suma, seja um tecnólogo de Empreendedorismo e Novos negócios ou outros, o curso é especificamente elaborado para atender as necessidades do mercado.

Sendo assim, quando um estudante forma-se em um CST, sabe-se que está preparado para embarcar no ambiente profissional.

Os cursos superiores de Tecnologia tem a duração reduzida em relação a bacharéis e licenciaturas. Isso, ao depender de suas intenções, pode ser uma vantagem imensa.

Ainda, é importante que o CST pode ser feito como primeiro curso superior ou não. Ou seja, um estudante recém-saído do ensino médio, está apto a ingressar em um Curso Superior de Tecnologia, assim como um profissional já graduado em algum curso de bacharel.

Seja o primeiro ou segundo curso superior, a garantia é o processo profissionalizante. Dessa forma, o profissional poderá iniciar sua carreira no curso, ou sofisticar o que tem sido edificado.

Em relação à duração, pode haver variação de curso para curso, mas todos tem em média de 2 a 3 anos. Já um bacharelado, por exemplo, pode ter quatro anos ou mais, ao depender da disciplina. Ainda mais se for complementado com uma licenciatura.

Por fim, há outra coisa importante de ser dita: o tecnólogo sim, pode sofisticar sua carreira, mas não é um curso de especialização. Os cursos de pós-graduação são realizados justamente, ao término de uma graduação, sendo essa um bacharel ou uma licenciatura. Estes, podem ser strico sensu (especialização) ou lato sensu (mestrado, doutorado e pós-doutorado).

Como é o CST em Empreendedorismo e Novos Negócios?

Empreender, sobretudo, requer conhecimento. E, o conhecimento se dá através de uma construção de diversas habilidades cognitivas, manuais e muita, muita referência.

Também, vale dizer que atuar com Empreendedorismo e Novos Negócios requer criatividade, coragem e expertise. Estas qualidades podem ser parte da sua personalidade, mas não impedem de ser mais bem moldadas e até desenvolvidas a partir dos estudos.

Dessa forma, o Curso Superior Tecnológico em Empreendedorismo e Novos Negócios visa desenvolver técnicas, habilidades e conhecimentos de questões econômicas e sócio culturais. Assim, acompanhe detalhes sobre o curso em questão.

Sabe-se, portanto, que os negócios criativos e inovadores, dependem de um bom empreendedor por trás das cortinas. Afinal, é parte do nosso cotidiano, negócios bens sucedidos.

As invenções e a ousadia do empreendedor, quando bem aplicadas, tornam-se indomáveis. Analise quantos novos serviços e produtos passaram e existir e foram engendrados em sua rotina nos últimos 5 anos? Aposto que a lista é imensa, não é mesmo?

Estes produtos e serviços foram criados por empreendedores. Ou seja, o empreendedorismo contempla o gerenciamento, a ideia e a prestação de serviços em todas as áreas possíveis. Assim, sempre há um empreendedor responsável.

O curso

É possível  aprender a ser um bom empreendedor e iniciar novos negócios?

A resposta para essa pergunta é um sonoro: sim. Para isso, se faz necessário embasamento técnico e científico sobre conhecimento em gestão, economia, liderança e administração. Ou seja, é preciso adentrar em um curso superior.

Assim, muito além da vontade de fazer acontecer, tem de estudar. Desse modo, o Curso Superior Tecnológico em Empreendedorismo e Novos Negócios criou um sistema e uma matriz que acompanha as novidades do mercado, junto de técnicas eficazes para um bom empreendedor.

Também, o aluno que ingressa no Curso Superior Tecnológico em Empreendedorismo e Novos Negócios terá contato com aulas práticas e teóricas sobre as temáticas que permeiam este universo. Nas disciplinas, estudam-se aspectos relativamente tradicionais, que de fato, são necessários, mas há um acompanhamento feroz da modernidade e do que se faz presente na atualidade.

A ideia, por fim, é que o estudante  finalize o CST em Empreendedorismo e Novos Negócios preparado para adentrar no mercado. Sendo assim, capacitados para administrar uma empresa, gerir finanças, traçar planos e metas, trilhar ideias de negócios eficientes, liderar equipes, indivíduos e muito mais.

Vantagens

Geralmente, quem busca o tecnólogo, seja como primeiro curso superior ou não, entende-se que há a necessidade rápida de tirar um sonho do papel.

Ainda, uma das vantagens fundamentais para muitos estudantes, é que o tecnólogo é relativamente rápido. Este, possui uma duração média de dois a três anos e foca em questões específicas e práticas, sendo possível ter um retorno profissional, pessoal ou financeiro mais rápido.

Também, o Curso Superior Tecnológico em Empreendedorismo e Novos Negócios possui uma especificidade em algumas das instituições que o oferecem. Esse aspecto pontual é uma duração ainda menor, tendo ao máximo dois anos de duração em alguns casos.

Um exemplo de instituição que oferece esse curso com dois anos de duração, é a faculdade Anhanguera. Mais a frente, iremos falar especificamente sobre essa instituição e alguns detalhes sobre indicador de qualidade, mas, nosso papel é te informar sobre as vantagens que percebemos.

Se você é um estudante que busca começar uma carreira, há pontos positivos. Se você tem o sonho de abrir um negócio, há pontos positivos. Se você busca sofisticar e edificar uma carreira já iniciada, há pontos positivos. Ou seja, encare essa aventura de braços abertos.

Por fim, percebe-se que um curso rápido, objetivo e com tanto valor quanto um bacharel, facilita a vida de muitas pessoas.

Modalidades de ensino

Este tópico pode ser absolutamente inovador ou bastante comum para você. Mas, é inegável que para muitos de nós, ao pensar em um ambiente em que se estuda, logo se imagina uma sala de aula, lousa enorme, professora na frente e uma série de carteiras em fila. Certo?

Toda via, esse cenário tem sido modificado dia após dia e hoje, com empurrão ainda maior, sendo este a pandemia do COVID-19. Para muitos, seria impossível imaginar as salas de aula em uma telinha na sua própria casa, mas após mais de um ano e meio de quarentena, um cenário que já era uma realidade para alguns, tornou-se a realidade de quase todos.

Portanto, hoje fala-se de forma clara sobre as modalidades de ensino presenciais, semipresenciais e EaD (ensino a distância). E, em relação ao Curso Superior Tecnológico em Empreendedorismo e Novos Negócios, não seria diferente.

Assim, é fundamental que, se você deseja ingressar neste curso, pesquise as instituições, veja quais as modalidades são oferecidas e estude o que se encaixa melhor em sua rotina. Nem todas as instituições apresentam todas as modalidades, por isso, pesquise primeiro suas expectativas e desejos perante ao ensino e depois, o que é oferecido  pelas faculdades.

A seguir, diante de tantas mudanças no cenário educacional, percebemos ser necessário aprofundar e trazer informações sobre o EaD. Confira!

Tudo sobre o EaD

Antes de mais, iremos destrinchar a sigla. EaD significa Ensino à Distância e diversas faculdades renomadas, cursos profissionalizantes, cursos de idiomas, entre outros, já compreenderam o valor e as possibilidades do EaD.

Este, no que lhe concerne, é realizado através de meios digitais, que podem aplicados através de diversos sistemas e plataformas já disponíveis, ou até, alguma plataforma elaborada pela própria instituição.

As instituições que oferecem as modalidades semi-presenciais e 100% online tem que estar de acordo com vários pré-requisitos estipulados pelo Ministério da Educação (MEC).

Ainda, tem de oferecer polos presenciais para que os alunos possam ir até à instituição independente da razão, seja para resolver questões burocráticas ou apresentar trabalhos, quando solicitado.

Também, ao disponibilizar e oferecer um curso online, a instituição deve ser absolutamente responsável com a disponibilidade de conteúdos e obrigações do aluno. Ou seja, caso a instituição solicite que o aluno vá, por exemplo, trimestralmente para algum aspecto avaliativo, isso tem de ser previamente sinalizado ao ingressante.

Ademais, as aulas e conteúdos podem ser dispostos de formas diferentes, ao depender da estratégia pedagógica pontual de cada instituição de ensino. Confira a seguir algumas das formas de aplicabilidade e disposição do conteúdo:

  • A elaboração de uma plataforma específica da própria instituição. Este acesso, por sua vez, funciona como uma espécie de nuvem, onde o aluno ao entrar com seu login, terá acesso às atividades, aulas gravadas, agenda, materiais e até aulas ao vivo;
  • Também, algumas instituições usam de plataformas já conhecidas como Google Meet, Google Class Room e Microsoft Teams. A partir disto, pode-se solicitar que o aluno ingresse à aula em um determinado horário, onde, ao vivo, o professor realizará a sua aula;
  • Toda via, algumas instituições usam ambos recursos de forma simultânea. Assim, usa-se uma plataforma específica da instituição para algumas temáticas e resoluções, mas, usam-se outras para as aulas propriamente ditas.

Por fim, o mais importante é que o aluno tenha acesso à todas as instruções e canais onde as atividades irão ocorrer. E, isso acontece sempre no momento da matrícula. Ou seja, deixar claras as dinâmicas, desde pedagógicas até burocráticas, são fundamentais para que o aluno conclua o Curso Superior Tecnológico em Empreendedorismo e Novos Negócios com tranquilidade.

Matriz curricular do CST em Empreendedorismo e Novos Negócios

Este trecho do nosso artigo é fundamental para você que deseja ingressar nessa área. Por isso, antes de listar a matriz curricular do curso, faz-se necessária a seguinte reflexão: depois de tudo que eu já li, esse curso é para mim? Serei feliz? É o meu perfil?

Perfil e características fundamentais

Algumas dicas para trilhar a sua jornada de autoconhecimento quando se trata de carreira, é analisar os perfis dos estudantes e profissionais dos cursos de interesse. Assim, veja algumas das características fundamentais de um bom empreendedor preparado para novos negócios:

  • Ter ética;
  • Ser justo;
  • Corajoso;
  • Criativo;
  • Ter muita resiliência, afinal, mesmo com todo know how, nem sempre os negócios são bem suceditos;
  • Ser persistente, pois, nada se constrói do dia para a noite;
  • Ter um espírito de liderança. Contudo, cuidado para não confundir com autoritarismo, já que um bom líder é empático e tem uma escuta ativa;
  • Ter autoconfiança;
  • Ser ambicioso;
  • Comunicação clara, não-violenta e empática;
  • Ser um bom ouvinte;
  • Proatividade;
  • Olhar crítico e inspirado;
  • Ser realista diante das possibilidades.

Agora, se desejar, reflita um pouquinho e continue a leitura, pois, a seguir iremos listar a matriz curricular. Confira abaixo:

Disciplinas

  • Análise de Custos;
  • Análise de Investimentos e Fontes de Financiamento;
  • Comportamento do Consumidor;
  • Composto Mercadológico;
  • Ciência, Tecnologia e Sociedade;
  • Desenvolvimento  de Carreira;
  • Interpretação  de Textos;
  • Lógica Matemática;
  • Empreendedorismo;
  • Estatégia Empresarial e Negociação;
  • Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos;
  • Gestão de Pessoas;
  • Gestão de Projetos;
  • Homem, Cultura e Sociedade;
  • Legislação Social e Trabalhista;
  • Matemática Financeira
  • Metodologia Científica;
  • Modelos de gestão;
  • Pesquisa Mercadológica;
  • Planejamento e Inteligência de Marketing;;
  • Planejamento Estratégico;
  • Planejamento Fincaneiro e Orçamentário;
  • Processo de Criatividade;
  • Responsabilidade Social e Ambiental.

As disciplinas são interessantíssimas e também bastante complexas. Portanto, há de se ter empenho, ainda mais por ser um curso relativamente curto.

Onde estudar?

Aqui, listamos cursos de ponta para que você possa analisa-los e encaixa-los dentro de suas possibilidades.

Ademais, também decidimos esclarecer um fator crucial para que você escolha com sabedoria a instituição, os indicadores de qualidade.

Sendo assim, antes de pontuar cada uma das instituições que oferecem um curso de ótimo nível, veja o que é necessário para alcançar tal posto.

Indicadores de qualidade

Primeiro, você deve estar se perguntando o que é um indicador de qualidade e quem o criou, certo?

O Ministério da Educação (MEC) criou formas de análise que servem como uma “peneira” para definir se uma instituição de ensino é apropriada ou não.

Essa peneira, por sua vez, obrigatoriamente passa pelos indicadores de qualidade. Conheça-os de forma minuciosa a seguir.

Os indicadores criados pelo MEC são denominados CI e o IGC. O primeiro, diz respeito ao conceito da instituição, ou seja, aspectos estruturais e didáticos de cada um dos cursos oferecidos.

O segundo, tem por objetivo avaliar os cursos e os alunos através de uma média. Essa escala vai de 1 a 5, onde 1 seria péssimo e 5, excelente.

As instituições que iremos mencionara, tem excelente avaliação no MEC. Onde as médias estão em torno de 3 a 4, onde a nota 3 significa bom/satisfatório e 4 é ótimo.

Por fim, vale ressaltar que independente do local ou modalidade de ensino que você irá ingressar, é importante que a faculdade possua essa mesma média em ambos indicadores, independente da unidade, polo e até modalidade, ou seja, presencial, semi-presencial ou EaD, os indicadores tem de se manter.

Insituições de Ensino

Diante dos critérios explicitados, as instituições de ensino listadas possuem ótimos indicadores. Portanto, confira os locais passíveis de ingresso com absoluta confiança:

  • Faculdade Anhanguera;
  • Faculdade Pitágoras;
  • Faculdade Unopar.

Todas estas possuem seus polos presenciais e critérios muito bem definidos diantes das dinâmicas ditas acima. Assim como, em cada uma das instituições mencionadas, existem possibilidades de desconto e/ou bolsas, com ou sem financiamento. Entre em contato e informe-se de forma mais detalhada possível.

Quais as funções de um empreendedor?

Ao imaginar um empreendedor de sucesso, logo vem a mente uma pessoa que faz acontecer. E, sim. O estereótipo está corretíssimo, porque de fato, é isso que se espera de um bom empreendedor.

O profissional tem por responsabilidade, elaborar uma ideia de negócio, analisar as possibilidades financeiras e criar um plano de ação. Assim, com dados, técnicas e análises, tem de colocar em prática o proposto.

De modo geral, quando  a ação é em uma pequena empresa ou um negócio recém iniciado, o empreendedor acaba abraçando ainda mais responsabilidades. Portanto, é necessário contratar e administrar funcionários, realizar a análise do capital a ser investido, controlar vendas, descobrir o nicho e criar estratégias de marketing.

A ideia é que a eficácia do start de um bom empreendimento, traga frutos o quanto antes. Assim, conforme o espaço e destaque alcançado pela empresa, o empreendedor em questão cuidará das dinâmicas estratégicas focando em bons resultados.

Ou seja, um empreendedor tem como função iniciar, alavancar e fazer crescer um bom empreendimento. Esse processo percorre desde um negócio embrião, até grandes empresas – com consequentes grandes responsabilidades.

Ademais, por ser um ambiente competitivo e muitas vezes hostil, listamos de forma pragmática as principais atividades deste profissional. Confira a seguir:

  • Traçar planos estratégicos;
  • Visualizar negócios que tendem a crescer;
  • Estar antenado com as demandas mundiais, para assim, aplica-las em qualquer lugar de atuação;
  • Criar fluxos organizacionais;
  • Gerenciar equipes, sendo você o proprietário da empresa ou um prestador de serviços;
  • Saber delegar com mastria, para assim, conseguir focar no crescimento do negócio;
  • Identificar boas oportunidades e investimentos seguros;
  • Trilhar ações possíveis.

Qual a remuneração de um empreendedor?

Aposto que você pensou nisso, certo? A remuneração é uma parte importantíssima quando trata-se de tudo o que você precisa saber sobre o CST em Empreendedorismo e Novos Negócios. E nós, do A Hora da Facul, não deixaríamos essa informação de lado.

Assim, segundo um levantamento do site vagas.com, a média salarial de um empreendedor no ano de 2021 segue a média de R$ 2.377,00. Mas, conferindo outras fontes, vimos que o site glassdoor aponta média salarial de R$3.500,00. Ademais, o site Educa+Brasil aponta médias de acordo com cargo e tamanho da empresa. Veja abaixo:

  • Trainee: em grandes empresas, a média é de R$ 6.650, 32. Já em pequenas empresas, R$ 2.955, 70;
  • Junior: em grandes empresas, a média é de R$ 8.645, 42. Em médias, R$ 5.763, 62. E, em pequenas empresas, tem a média de R$3.842, 41;
  • Pleno: em grandes empresas, a média é de R$ 11.239, 05. Em médias empresas, segue a média de R$ 7. 492, 70. Já em pequenas, R$4. 995, 13.

Por fim, ressalta-se que as médias salariais podem variar de estado, município e questões financeiras que afetam todo o país, como crises e afins.

Mas conte-nos, gostou do artigo? Espero que não hajam dúvidas, mas se houverem, deixe um comentário.

Até a próxima!

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.