Tudo sobre a faculdade de Direito

Ana Cláudia Andrade Oliveira
Formada em Letras, Pedagogia, especialista em Neurociências e em produção de conteúdo Web.
1

Foto: A balança, que é um símbolo do Direito, e um martelo de juiz sob uma mesa de madeira escura.

Antes de mais nada, a faculdade de Direito é uma das mais desejadas e cobiçadas do país há décadas. Se tornar um  advogado ou juiz é um desejo de muitos estudantes, o que faz esse curso ser muito procurado. A quantidade de cenas memoráveis em tribunais nos filmes, séries e novelas aumenta o imaginário das pessoas, alimentando esse sonho. Por isso, é natural que você queira saber tudo sobre a faculdade de Direito

Sendo assim, para você que sonha em cursar Direito, preparamos este post com todas as informações sobre essa graduação. Ao final, você saberá tudo sobre o funcionamento do curso, além de informações sobre a carreira. Afinal, cursar direito não é só para quem quer ser advogado ou juiz. 

Perfil do estudante de Direito

De antemão, ser bacharel em Direito te dará a oportunidade de atuar em diversas áreas e funções. Porém, é desejável que o estudante de Direito tenha algumas características em comum para todas essas áreas. Ou seja, independentemente do ramo que você escolher para trabalhar, é importante que você tenha, ou desenvolva ao longo do curso, algumas características:

Inteligência emocional

Desde já, o profissional formado em Direito trabalhará diretamente com pessoas, sejam outros profissionais ou clientes com seus problemas, esperando por uma solução. Por isso, é essencial que esse profissional tenha inteligência emocional, ou seja, que saiba administrar as emoções. As situações que colocarão a inteligência emocional à prova poderão se mostrar já durante o curso, em seminários e debates. Ou então, no exercício da profissão, em audiências. Dessa forma, lidar com as emoções é uma característica essencial.

Boa oratória

Oratória é a arte de falar em público, estruturadamente, para atingir um objetivo. Esse pode ser informar, influenciar mesmo entreter o público ouvinte. Se você já assistiu a algum filme ou série de advogados, deve ter notado que a parte mais importante, o clímax da história, é o discurso final. Geralmente é a cena que faz o júri ou o juiz mudarem de ideia. Essa é a importância do poder de argumentação, que deve ser adquirido pelo estudante do curso superior de Direito.

Hábito de leitura e pesquisa

A princípio, o estudante de Direito precisará encarar livros densos e grandes para adquirir conhecimentos em ética, relações interpessoais, direitos humanos e, principalmente, em leis. As pesquisas ainda serão essenciais para aumentar o repertório do aluno e melhorar sua capacidade de argumentação. Por isso, o hábito de leitura e a capacidade de pesquisa são essenciais.

Capacidade de escrita

Frequentemente o hábito de leitura por si só já aperfeiçoa a escrita, mas isso não é suficiente para o estudante de direito. Será necessária a habilidade de transformar em palavras escritas suas ideias e argumentos, com coesão e o uso correto da norma culta. Além disso, é necessário ter conhecimento do vocabulário jurídico, que é bem amplo.

Lidar com pressão

Primeiramente, saiba que a pressão é algo corriqueiro tanto para o estudante quanto para o profissional de direito. Você poderá se sentir pressionado na construção de seus argumentos, ou na competitividade natural com seus colegas. Além disso, nos concursos públicos ou mesmo no exame da OAB. Em todos os casos, saber lidar com a pressão é mais um teste de inteligência emocional.

Formação de networking

Ser profissional de Direito exige constante aperfeiçoamento e aprendizado. E uma das melhores formas de aprender é trocando experiências com outros profissionais. A palavra networking traduz uma rede de contatos de trabalho que, bem construída, pode favorecer sua ascensão profissional. Iniciando essa rede já na faculdade, você pode garantir futuras oportunidades ou mesmo se firmar como especialista em alguma área específica. Então, não menospreze seus colegas, mas sim, mantenha uma rede de contatos profissionais.

O Direito é de humanas ou exatas?

Já que muitas pessoas têm essa dúvida, vamos esclarecer de uma por todas: Direito é de humanas. Pelo que mostramos até agora, é fácil chegar a essa conclusão, mas explicaremos melhor a seguir.

O profissional de Direito dedica-se a resolver e mediar conflitos entre pessoas, mantendo a ordem social com base nas leis vigentes. Como a sociedade e as leis são criadas e mantidas por e para as pessoas, classifica-se o Direito como uma Ciência Humana.

Ainda mais, se quiser mais evidências, basta verificar o tópico seguinte, com a grade curricular do curso de Direito. Disciplinas como filosofia, psicologia e sociologia são características das faculdades de humanas.

Disciplinas na faculdade de Direito

À primeira vista, pode parecer que a faculdade de Direito é totalmente teórica. E pode até ser, em alguns casos. Mas isso depende muito da instituição que você for estudar. A Faculdade Anhanguera, por exemplo, disponibiliza um curso superior de Direito completamente voltado para o mercado de trabalho e às necessidades do aluno.

As disciplinas são organizadas em fases, de modo que o aluno adquire o conhecimento começando pelos mais gerais até chegar nos específicos. Dessa forma, uma fase ensina a teoria que será aplicada na prática, na fase seguinte.

Veja a seguir quais são essas fases e as disciplinas correspondentes:

  • Ciências Humanas e Sociais Gerais — conteúdos de História, Filosofia, Sociologia e afins, para preparar a capacidade reflexiva do aluno;
  • Contextualização profissional e introdução ao Direito — Introdução ao Estudo do Direito, Argumentação Jurídica, Ética Profissional, História e Filosofia do Direito etc.;
  • Áreas gerais do Direito — Direito Civil, Direito Penal, Teoria Geral do Processo, Direitos Humanos e Teoria Geral da Constituição etc.;
  • Áreas específicas do Direito — Direito Civil Parte Especial (Direito de Família, Sucessões, Contratos etc.), Direito Penal Especial (Crimes contra vida, à honra, à Administração Pública etc.), entre outros.

Vale dizer que este é apenas um exemplo de grade curricular. Cada universidade organiza sua grade segundo suas próprias metodologias.

Ainda mais, muitas universidades oferecem nos anos finais, práticas jurídicas e estágios, para fornecer ao aluno uma vivência fiel à vida profissional. Outra exigência dos cursos é a participação em atividades extracurriculares, como palestras, seminários e cursos. São mais oportunidades para aumentar o repertório e melhorar seu networking.

Qual é a duração do curso de Direito?

Mesmo que existam variações na organização curricular, algumas diretrizes são obrigatórias a todas as universidades. Isso porque seguem as regras estipuladas pelo MEC – Ministério da Educação e Cultura.

Nesse ínterim, uma dessas diretrizes diz respeito à carga horária. Para o curso de Direito, a carga horária deve ser de 3.700 horas, usualmente distribuídas em 10 semestres, ou seja, 5 anos.

Existe curso de Direito EAD?

Ainda falando sobre as diretrizes do MEC, o ministério não permite cursos de Direito à distância. Hoje, a única modalidade possível de ser cursada é a presencial.

Algumas instituições oferecem disciplinas eletivas, ou seja, opcionais, online. Ou mesmo uma pequena parcela das disciplinas obrigatórias. No entanto, a maior parte do curso continua sendo obrigatoriamente presencial.

Quanto custa a faculdade de Direito?

Sendo um dos cursos superiores mais procurados, em 2017 existiam cerca de 1.200 cursos de Direito funcionando no Brasil, as opções são muito variadas. Dessa forma, você pode encontrar mensalidades de até R$ 4.200,00. Listamos abaixo algumas faculdades, mas sugerimos que você pesquise qual é o valor em sua cidade.

  • Anhanguera – Valor: R$ 608,97
  • UNOPAR – Valor: R$ 618,98
  • Pitágoras – Valor R$ 699,00
  • UNESA – Valor: R$ 750,00
  • UNIME – Valor: R$ 1.000,00
  • DIREITO GV – Valor: R$ 4.200,00

Áreas de atuação do Direito

De acordo com o que foi dito acima, as possibilidades de carreira em Direito são muitas. Inclusive, esse é um dos maiores motivos de o curso ser tão procurado. Mostraremos, então, algumas áreas de atuação ao profissional formado em Direito.

As áreas de atuação do Direito são separadas em três campos principais de atuação: a advocacia, a carreira jurídica e a carreira acadêmica. Vejamos quais áreas estão em cada um desses campos:

Advocacia

Advocacia consiste em representar pessoas, instituições ou empresas, defendendo seus direitos perante a justiça. O advogado pode trabalhar de modo Para ser um advogado, é necessário ser aprovado no exame da OAB, podendo atuar em uma das áreas exemplificadas abaixo:

  • Compliance
  • Direito Civil
  • Direito Trabalhista
  • Direito Tributário
  • Direito Ambiental
  • Direito Empresarial
  • Direito Desportivo
  • Direito da Tecnologia da Informação
  • Direito Consumidor

Carreira jurídica

O profissional de Direito tem ainda a opção de prestar concursos públicos para atuar na carreira jurídica. Neste caso, terão a oportunidade de atuar como juízes, delegados de polícia, promotores e mais tantas outras profissões públicas. Alguns exemplos de atuação na carreira jurídica são:

  • Diplomacia
  • Direito Eleitoral
  • Direito Penal
  • Defensoria pública
  • Carreira policial
  • Magistratura
  • Ministério Público

Carreira acadêmica

Como em toda profissão, há ainda a opção de trabalhar lecionando em graduações ou pós-graduações de Direito. Com a abundância de cursos em funcionamento, não faltam vagas para a carreira acadêmica, seja em instituições públicas ou privadas.

Possibilidades de carreira

Inspirados pelos filmes e séries de advogados, muitos alunos ingressam na faculdade de Direito já desejando atuar na área penal. No entanto, ao longo do curso, tendo contato com outras áreas do Direito, é bem possível que mudem de ideia.

Por isso, mantenha sua mente aberta para as possibilidades. E, se ainda não faz ideia do que fazem os profissionais das outras carreiras, faremos a seguir uma breve explicação.

Direito civil

Esta é a área mais abrangente do Direito. Ela regula as relações sociais entre pessoas físicas ou jurídicas, garantindo a convivência harmônica em sociedade. Aqui, são utilizados os conceitos de bens, direitos e obrigações dos indivíduos e das empresas. Profissionais dessa área atuam na reparação de danos, elaboração de contratos, criação de pessoas jurídicas, estabelecimento de sociedades, mediação de negócios, entre outros. A relação de serviços da advocacia cível é praticamente ilimitada.

Direito da família

O Direito familiar também faz parte do civil, porém trata das relações entre pessoas da mesma família. Esse ramo serve para garantir os direitos e deveres entre pessoas casadas, pais e filhos, parentes, etc. É bem comum tratar dos cuidados de menores de idade e pessoas com deficiência. Quem gosta muito de lidar com outras pessoas costumam se identificar com essa área.

Direito trabalhista

Nesta área, o profissional atuará conforme a legislação que rege as relações trabalhistas. Trata-se da CLT – Consolidação das Leis de Trabalho, que fixa benefícios ao trabalhador como férias remuneradas, décimo-terceiro salário, folga semanal, entre outros. Então, nesse segmento, a principal atividade é a defesa dos direitos do trabalhador.

No entanto, é possível também prestar serviços para sindicatos e até mesmo para os empregadores. Seja em qual setor estiver atuando, o profissional do Direito trabalhista mediará os constantes conflitos gerados pela tensão existente entre esses polos.

Além disso, é possível trabalhar nas empresas no sentido de prevenir processos trabalhistas. Nesse caso, o advogado atuará ligado ao setor de RH, garantindo que as leis trabalhistas sejam cumpridas.

Direito tributário

Essa é para quem gosta de matemática, mas prefere continuar na área de humanas. O Direito tributário regula as relações entre o poder público e o contribuinte, usualmente as empresas. O poder público, para garantir recursos, recolhe impostos e taxas. Já o contribuinte, tem o dever de pagá-las corretamente.

Dessa forma, os advogados atuam no sentido de garantir que os impostos e taxas sejam pagos no prazo e valores devidos. Mas não é só isso: eles também estudam formas de reduzir os encargos das empresas, buscando estratégias para elas exercerem suas atividades de maneira mais econômica.

Direito previdenciário

Cedo ou tarde todos nós chegaremos à aposentadoria, e talvez precisemos de um advogado do Direito previdenciário. Esse setor abrange a legislação específica dos auxílios pagos pelo INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, aos segurados. 

O advogado previdenciário é necessário, na maioria das vezes, quando acontece algum erro por parte do INSS no pagamento de auxílios ou aposentadorias. Ou mesmo quando o Instituto nega o pagamento desses auxílios ilegitimamente.

Direito penal

Nesta área do Direito, os advogados defendem pessoas acusadas de cometer crimes por isso, são conhecidos como advogados criminalistas. Nesse sentido, a atuação da defesa consiste em evitar que pessoas sejam presas injustamente, sem a apuração correta dos fatos. O advogado criminalista busca, então, uma decisão imparcial por parte do juiz. 

Direito digital

Uma área ainda muito nova do Direito, diretamente ligada à tecnologia da informação. Os advogados dessa área podem atuar nas esferas cível, criminal, trabalhista, etc., porém exercidas pela internet ou através de instrumentos de informática. Isso inclui comércio, comunicação e entretenimento digitais.

Outra atuação bem recente na área do Direito digital é a apuração de crimes cibernéticos e a proteção de dados pessoais.

Direito ambiental

Para pessoas preocupadas com a preservação do meio ambiente, o Direito ambiental é perfeito. Esta área regula a preservação dos recursos naturais, bem como sua utilização de forma sustentável. O advogado dessa área deve ter profundo conhecimento dessa legislação específica, visto que defende pessoas e organizações acusadas de irregularidades. Além disso, podem atuar na prevenção, orientando empresas na melhor forma de conduzir suas atividades sem receberem sanções do poder público.

Promotoria

A promotoria de justiça atua na defesa dos interesses coletivos da sociedade, nas esferas do Direito ambiental, penal, familiar, cível, etc. O promotor é um funcionário público cuja função é instaurar inquéritos e ações civis para elucidar supostos crimes. Além disso, deve atuar na proteção dos direitos das partes envolvidas, no caso de serem pessoas vulneráveis, como menores de idade, trabalhadores, pessoas com deficiência, etc.

Magistratura

Os magistrados são, por exemplo, os juízes, desembargadores e ministros dos tribunais superiores. Sua atuação deve ser imparcial no sentido de resolver conflitos jurídicos da sociedade. Dessa forma, recebendo pedidos dos advogados e promotores, ouvindo as partes envolvidas e dando a possibilidade de defesa, tomam providências para aplicar a lei.

Defensores

Parece nome de grupo de super-heróis, mas são, na verdade, advogados públicos. Eles são colocados à disposição para atuar na defesa de pessoas que não tenham recursos financeiros para arcar com um advogado. Mas não confunda com procuradores, que dão assessoria jurídica a entidades públicas.

Auxiliares da justiça

Os oficiais de justiça, analistas, escrivães, entre outros, são os profissionais que formam a classe dos auxiliares de justiça. Eles são funcionários públicos concursados que prestam serviços necessários ao funcionamento dos tribunais.

Corregedoria

Os temidos corregedores são profissionais do Direito que atuam nos órgãos públicos, investigando e combatendo as irregularidades. Existem nas empresas, atualmente, um cargo parecido, chamado de compliance, que atua efetuando medidas internas para cumprir a legislação, evitando punições.

Quanto ganha um advogado?

Um dos fatores que motiva a grande busca por faculdades de Direito é a possibilidade de salários altos, além da possibilidade de crescimento profissional e, consequentemente, salarial. Dessa forma, a curiosidade por saber qual o salário dos advogados em média é natural.

Veja a seguir as informações dos possíveis ganhos dos advogados nos setores privado e público:

Setor privado

Este setor tem a maior variedade de possibilidades de trabalho e, diferente do setor público, proporciona progressão de carreira. No entanto, não espere aumentos de salários rápidos. Para isso, será preciso dedicação, especialização e experiência.

  • Direito Ambiental

    • Advogado de Direito Ambiental Júnior: R$ 3.036,19
    • Advogado de Direito Ambiental Pleno: R$ 4.035,19
    • Advogado de Direito Ambiental Sênior: R$ 5.098,85
  • Direito Civil

    • Advogado de Direito Civil Júnior: R$ 2.525,22
    • Advogado de Direito Civil Pleno: R$ 3.648,16
    • Advogado de Direito Civil Sênior: R$ 5.697,58
  • Direito Comercial

    • Advogado de Direito Comercial Júnior: R$ 2.770,82
    • Advogado de Direito Comercial Pleno: R$ 4.582,73
    • Advogado de Direito Comercial Sênior: R$ 5.335,87
  • Direito Constitucional

    • Advogado de Direito Constitucional Júnior: R$ 2.382,34
    • Advogado de Direito Constitucional Pleno: R$ 4.204,00
    • Advogado de Direito Constitucional Sênior: R$ 6.443,85
  • Direito do Consumidor

    • Advogado de Direito do Consumidor Júnior: R$ 2.324,47
    • Advogado de Direito do Consumidor Pleno: R$ 3.522,13
    • Advogado de Direito do Consumidor Sênior: R$ 4.859,86
  • Direito em Propriedade Intelectual

    • Advogado de Direito em Propriedade Intelectual Júnior: R$ 3.072,91
    • Advogado de Direito em Propriedade Intelectual Pleno: R$ 3.449,08
    • Advogado de Direito em Propriedade Intelectual Sênior: R$ 4.793,60
  • Direito Empresarial

    • Advogado de Direito Empresarial Júnior: R$ 2.788,36
    • Advogado de Direito Empresarial Pleno: R$ 5.006,22
    • Advogado de Direito Empresarial Sênior: R$ 6.921,57
  • Direito Internacional

    • Advogado de Direito Internacional Júnior: R$ 2.817,69
    • Advogado de Direito Internacional Pleno: R$ 5.018,36
    • Advogado de Direito Internacional Sênior: R$ 5.913,12
  • Direito Penal

    • Advogado de Direito Penal Júnior: R$ 2.547,01
    • Advogado de Direito Penal Pleno: R$ 3.987,00
    • Advogado de Direito Penal Sênior: R$ 5.025,15
  • Direito Trabalhista

    • Advogado de Direito Trabalhista / Previdenciário Júnior: R$ 2.361,34
    • Advogado de Direito Trabalhista / Previdenciário Pleno: R$ 3.723,72
    • Advogado de Direito Trabalhista / Previdenciário Sênior: R$ 4.894,29
  • Direito Tributário

    • Advogado de Direito Tributário Júnior: R$ 2.729,69
    • Advogado de Direito Tributário Pleno: R$ 4.376,59
    • Advogado de Direito Tributário Sênior: R$ 5.733,00
  • Jurídico

    • Diretor Jurídico: R$ 19.577,04

Setor público

Já do lado do setor público, o profissional poderá encontrar altos salários, muitos benefícios e estabilidade. No entanto, as vagas são poucas e exigem muito estudo para ser aprovado nos concursos públicos. Veja abaixo as médias salariais e decida se vale a pena:

  • Juiz federal: R$ 21.537,64
  • Juiz estadual: R$ 16.000
  • Promotor de justiça: R$ 12.000
  • Defensor público: R$ 11.200
  • Delegado: R$ 9.000
  • Procurador: R$ 26.000
  • Desembargador: R$ 30.000

Como funciona o exame da OAB

O exame da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil – é uma prova aplicada e exigida para os profissionais que desejam atuar como advogados. Caso você queira atuar em outras áreas, como defensoria pública, magistratura, promotoria, procuradoria ou como delegado, entre outros, o exame não é necessário.

Escolhendo atuar como advogado, os exames acontecem três vezes por ano. Os editais com as informações sobre as provas são disponibilizados sempre nos meses de janeiro, maio e setembro. A taxa de inscrição é de R$ 260,00.

O exame é composto por duas fases. A primeira fase consiste numa prova objetiva de 80 questões de múltipla escolha, abrangendo todas as disciplinas da grade curricular do curso de Direito. A segunda fase é uma prova prático-profissional, composta por uma redação de uma peça profissional e mais quatro questões discursivas.

Sendo aprovado, o advogado deve procurar a Comissão de Exame de Ordem da Seccional OAB do estado em que realizou a prova. Cada Seccional tem suas normas para emissão do certificado, então é necessário verificar as exigências antes. Cumprindo as exigências, o advogado receberá um Certificado de Aprovação no Exame da OAB.

Aproveite e leia sobre o que faz um advogado.

Enfim, agora que você já sabe tudo sobre a faculdade de Direito, ou faculdade de advocacia, basta escolher sua universidade e iniciar os estudos. Torcemos para que você consiga realizar seu sonho em breve!

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 2

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.