Engenharia Civil e Engenharia de Produção: quais as diferenças entre os cursos?

Ana Carolina Silva
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto: Free/ Canva

Antes de mais nada, é preciso conceituar o que é engenharia. Em síntese seria aplicar os conhecimentos científicos de forma técnica, para produzir um resultado. Por exemplo, quem estuda engenharia faz a utilização de cálculos, geometria analítica e estatísticas para diversos fins. Mas então pode surgir a dúvida quais as diferenças entre engenharia civil e engenharia de produção. Provavelmente você deve estar pensando em fazer um desses dois cursos. Então continue a leitura e saiba distiguir as duas.

Essa tal engenharia…o que é?

Em resumo, o engenheiro, de forma geral, estuda um problema, planeja uma solução, analisa possibilidade econômica e técnica, e finalmente coordena o desenvolvimento ou produção. Nesse sentido é importante lembrar, que os cursos de Engenharia possuem grande compatibilidade com a área das Ciências Exatas. Em contrapartida, nem todos os cursos vão ter cálculos, integralmente, na matriz curricular. 

Aqui no Brasil a área de Engenharia  é recente, se comparada, por exemplo, à Europa. Sendo assim, o primeiro documento que menciona a formação de engenheiros, é de 1699, no âmbito militar e de artilharia. Se levarmos em conta a formação superior, a primeira foi da Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ. Atualmente, ao falar de Engenharia, estamos falando de uma área do conhecimento, pois só no Brasil, existem mais de 40 habilitações. 

O que as áreas tem em comum?

A princípio, se formos levar em conta a dedicação de estudo, ambas exigem dedicação integral. Além disso, tanto a engenharia civil quanto a engenharia de produção têm várias disciplinas que envolvem matemática, física e química.

No entanto, também são exigidos conhecimentos gerenciais e administrativos. No que diz respeito a modalidade, ambos podem ser cursados presenciais ou à distância. Outro ponto é o registro: engenheiros civis e de produção devem ser registrados no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA, da região onde atuam

Agora que você sabe o que essas áreas têm em comum, que tal ver o que elas têm de diferente? 

Engenharia civil 

Sabe o prédio ou casa onde você mora, as pontes, viadutos, estradas, barragens, e uma série de outras construções? Pois é, o engenheiro civil é o responsável por projetar, gerenciar e executar todas essas obras, e também as reformas nesses locais. Em suma, ele analisa desde as condições do solo onde será construído o prédio, até as especificações de redes elétricas, hidráulicas e de saneamento. Também cabe ao engenheiro civil chefiar as equipes, supervisionar prazos, custos, e padrões de qualidade e segurança.

No que diz respeito ao curso de Engenharia Civil, algumas informações são importantes:  tem duração de cinco anos (10 semestres).  A base da graduação são as disciplinas teóricas, como noções de matemática, física e cálculo. Na graduação, os futuros engenheiros civis vão estudar, resumidamente, essas áreas:

  • Administração e Economia;
  • Algoritmos e Lógica de Programação;
  • Cálculo diferencial e integral;
  • Desenho técnico projetivo;
  • Engenharia, ciência e tecnologia;
  • Estruturas de concreto armado;
  • Estruturas de madeira e estruturas metálicas;
  • Estruturas hiperestáticas;
  • Estruturas isostáticas;
  • Física geral e experimental;
  • Fundações;
  • Geologia e mecânica dos solos;
  • Hidráulica e hidrometria;
  • Instalações elétricas;
  • Instalações hidrossanitárias;
  • Legislação, segurança do trabalho e meio ambiente;
  • Materiais de construção civil;
  • Métodos matemáticos;
  • Pontes e grandes estruturas;
  • Saneamento básico;
  • Tecnologia da construção civil;
  • Tecnologia e infraestrutura de transportes;
  • Topografia e georreferenciamento.

A Engenharia Civil habilita os profissionais a atuarem em muitos segmentos, com remunerações interessantes. Por exemplo, as áreas de transporte, saneamento ou estrutura dos solos, tem um mercado de trabalho em constante evolução e aquecido. Assim sendo, a média salarial é bem atrativa: R$7.385,24, para uma jornada de trabalho de 41 horas semanais, de acordo com dados do novo CAGED

Engenharia de produção

Dentro da produção das empresas, de qualquer área e tamanho, há uma série de processos. Por exemplo, na fabricação de tecidos: o processamento das fibras, o armazenamento em bobinas e posteriormente a tecelagem, que se transforma em produto final. Mas afinal, onde o engenheiro de produção se encaixa nesse processo? Em síntese, em todos os processos. Esses profissionais são encarregados de melhorar os sistemas das empresas, para otimizar a qualidade dos processos e dos produtos. Para que, em especial, sejam reduzidos os desperdícios, o que melhora a produtividade. 

Durante o curso de Engenharia de Produção, com duração de cinco anos, a grade curricular tem disciplinas voltadas para a engenharia, mas também em outras áreas do conhecimento. Ou seja, na Engenharia de Produção além da área de Ciências Exatas, o estudante também adquire conhecimento de ciências humanas: 

  • Administração e Economia;
  • Algoritmos e Lógica de Programação;
  • Cálculo diferencial e integral;
  • Desenho técnico projetivo;
  • Desenvolvimento de produto;
  • Fenômenos de transporte;
  • Física geral e experimental;
  • Gerenciamento da cadeia de suprimentos;
  • Gerenciamento e controle de qualidade;
  • Gestão da produção e manutenção;
  • Gestão de operações e serviços;
  • Gestão de projetos;
  • Legislação, segurança do trabalho e meio ambiente;
  • Logística empresarial;
  • Métodos matemáticos;
  • Pesquisa operacional ;
  • Planejamento Estratégico;
  • Processos de fabricação;
  • Química e ciência dos materiais;
  • Resistência dos materiais.

Os profissionais que se formam engenheiros de produção têm grandes oportunidades no mercado de trabalho. Isso porque, a especialidade é uma das áreas que com mais expansão no ramo das Engenharias. O salário desses profissionais tem um valor médio de R$ 7.806,29, de acordo com dados no novo CAGED

Civil ou Produção, qual engenharia escolher?

Em resumo, percebemos que Engenharia Civil e Engenharia de Produção têm diferenças e semelhanças, e escolher entre elas vai depender do seu perfil. Nas duas áreas é preciso ter espírito de inovação, para ser um profissional diferenciado no mercado de trabalho. Além disso, nessas especialidades da engenharia é preciso lidar com diferentes públicos: de trabalhadores de canteiros de obras ou colaboradores das fábricas, até altos cargos executivos. Ou seja, comunicação também é um requisito para atuar nesses dois segmentos. 

Diante dessas informações, escolha a área que mais se adequa ao seu perfil, levando também em conta, oportunidades no mercado de trabalho e remuneração. Obviamente a sua determinação e paixão pela área também serão diferenciais. Por fim, muito sucesso na sua caminhada profissional, seja qual for a escolha!

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 4.5 / 5. Contagem: 2

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.