Diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental: entenda cada área

Marina Costa
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Businessman and worker near solar energy batteries. Business client showing photovoltaic detail to foreman. Two men making deal.

E aí, caro estudante, você já sabe as diferenças entre os cursos de Agronomia e Engenharia Ambiental? Ambos fazem parte do setor agrícola e ambiental e, por conta disso, é normal surgirem dúvidas acerca desses dois cursos envolvidos nessa área. 

Em resumo, são cursos que formam profissionais que lidam diretamente com o meio ambiente, solo e agricultura. Portanto, ambos possuem a mesma missão de cuidar do nosso patrimônio ambiental. No entanto, a atuação de cada um é diferente, e existem diversas especializações que cada profissional pode realizar. 

Mas, não precisa se preocupar! Neste artigo separamos as principais diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental. Assim, você sanará todas as suas dúvidas e poderá escolher com propriedade entre as duas graduações. Vem conferir!

Vai prestar vestibular para Agronomia?

Descubra qual área mais combina com você

 

Principais diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental

Em primeiro lugar, as diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental geram muitas duvidas entre os estudantes. Mas, o fato é que a atuação do profissional da Agronomia e da Engenharia Ambiental são distintas, mesmo que ambas façam parte do setor agroindustrial.

Além disso, como já dito, o Brasil é um país industrial em avanço, e há uma grande demanda de profissionais dessa área. Isso ocorre devido à necessidade crescente de lidar com o meio ambiente, que é um patrimônio inestimável ​​para o Brasil. Portanto, pode ter certeza que, ao escolher entre as duas graduações, você poderá trilhar caminhos de sucesso profissional. 

Porém, não se pode negar as diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental e as particularidades inerentes a cada curso. Por isso, é de suma importância identificar essas diferenças, a fim de fazer a melhor escolha.

 

Agronomia 

O curso superior em Agronomia abrange vários campos das ciências do cultivo (herbácea, forrageira, arbórea, horticultura, floricultura, parques e jardins), ciência do solo, mecanização agrícola, hidráulica agrícola e ecologia agrícola.

A grade curricular do curso de Agronomia ou Ciências Agrárias— visa tornar a complexidade da produção agrícola em elemento compreensível e gerenciável. Para tanto, o curso de Agronomia oferece um amplo espectro de conhecimentos para examinar e compreender as relações multifuncionais entre a produção vegetal e os fatores antrópicos e não antrópicos que a condicionam. 

O ensino contribui, assim, para o desenvolvimento das competências do agrônomo na área da produção vegetal. Nesse sentido, toda grade é ministrada de forma a tornar eficaz a atividade do profissional agrônomo, tornando-os  licenciados e capazes de maximizar a eficiência das técnicas de cultivo agrícola, promovendo a sua compatibilidade ambiental e potencializando as produções vegetais.

Algumas matérias da grade curricular do Curso de Agronomia são:

  • Cálculo Integral e Diferencial;
  • Biologia Geral e Vegetal;
  • Agroecologia e Gestão Ambiental;
  • Zoologia e Entomologia Agrícola;
  • Desenho Técnico e Construções Rurais;
  • Introdução à Agronomia;
  • Química Aplicada;
  • Física aplicada.
  • Metodologia da Pesquisa Científica;
  • Fertilidade do Solo;
  • Mecanização Agrícola;
  • Bioquímica;
  • Morfologia e Sistemática Vegetal;
  • Química Agrícola e Analítica;
  • Fisiologia Vegetal e Nutrição de Plantas;
  • Zootecnia;
  • Experimentação Agrícola e Bioestatística;
  • Geotecnologias Aplicadas;
  • Agrostologia e Nutrição 

 

O curso é do tipo bacharelado e tem duração média de cinco anos. Algumas universidades oferecem o curso de Agronomia com as nomenclaturas de Ciências Agrárias ou Engenharia Agronômica. O aluno pode se especializar em diversas áreas como agronegócio, pesquisa científica, tecnologia e consultoria, por exemplo.  

 

Engenharia Ambiental

O curso de Engenharia Ambiental prepara o aluno para utilizar métodos e ferramentas para a análise e gestão dos principais riscos relacionados à proteção do meio ambiente, dos recursos naturais e seus componentes.

O aluno aprenderá a avaliar impactos ambientais decorrentes das obras de engenharia no geral (que se utilizam de meios naturais e ambientes naturais), realizando o monitoramento e a proteção do meio ambiente. 

Em suma, o engenheiro ambiental é preparado para realizar planejamento urbano com o objetivo de prevenir, gerir e monitorar os efeitos ambientais das obras e/ou políticas.

Veja algumas matérias da grade curricular do curso de Engenharia Ambiental:

  • Cálculo
  • Geometria Analítica
  • Física
  • Química Geral e Inorgânica
  • Mecânica dos Materiais
  • Química Ambiental
  • Geotecnia Ambiental
  • Saúde e Higiene Ambiental
  • Planejamento e Gestão Ambiental
  • Estatística Aplicada

A duração média do curso de Engenharia Ambiental é de cinco anos e o estudante sai com diploma de bacharel. Existem algumas instituições de ensino que oferecem o curso de Engenharia Ambiental com nomenclaturas diferentes, como por exemplo: Engenharia Ambiental Sanitária, e Engenharia de Recursos Hídricos e do Meio Ambiente 

As áreas têm algo em comum?

Como vimos,  existem muitas diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental. Porém, as duas áreas se complementam de certa forma.

Enquanto o agrônomo tem a função de cultivo e produção vegetal, o engenheiro tem a função de proteger esses recursos naturais. Porém, são diferentes desde as grades curriculares até o exercício profissional. Podemos dizer que o agrônomo é um gestor e produtor do plantio, enquanto o engenheiro, um gestor de obras que envolvem a agricultura. 

 

Perspectivas de trabalho com Agronomia

O agrônomo pode atuar no mercado de agricultura como consultor, profissional freelancer e empresário, realizando planejamento e implementação de intervenções para desenvolver e promover a aplicação de técnicas específicas de cultivo (no domínio da forragem, fruta, horticultura, floricultura e etc,), a promoção da qualidade do meio agrícola, o melhoramento genético da agricultura.

Além disso, pode ainda atuar no planejamento e aplicação de técnicas de proteção de cultivos integrados contra inimigos animais e patogênicos, realizar  planos de defesa, além de propor ações de contenção de artrópodes e patógenos nocivos. E, claro,  desenvolver todos esses métodos de proteção com vistas à sustentabilidade ecológica e econômica.

O empreendedorismo é um caminho forte para o profissional agrônomo, possibilitando que o mesmo abra sua própria empresa de consultoria e ofereça serviços para o setor privado. 

Perspectivas de trabalho com Engenharia Ambiental

Dependendo da especialização, existem muitas vagas em Engenharia Ambiental. Portanto, ao se formar, o profissional pode trabalhar para empresas, órgãos públicos e privados, empresas de consultoria ambiental ou mesmo como freelancer

Em segundo lugar, é importante saber que são muitos os setores nos quais o engenheiro ambiental pode atuar, a exemplo: em inovação e desenvolvimento da produção limpa, tratamento de água e esgoto, concepção de sistemas de controle e monitorização ambiental, definição de medidas de prevenção e proteção contra os riscos de exposição a substâncias perigosas, auditores ambientais e de segurança. 

Além disso, o profissional ainda pode se especializar em Engenharia de Segurança Ambiental e atuar em canteiros de obras e grandes obras com projetos avançados, sistemas de controle e monitoramento na área off-shore e projetos de atividades de mineração, por exemplo. 

Da mesma forma, o empreendedorismo também é uma possibilidade de atuação bastante interessante para o profissional de Engenharia Ambiental. O engenheiro pode abrir sua própria empresa de consultoria em ambiente, de proteção de obras naturais, ou em outro setor no qual seja especializado.

Portanto, são várias as possibilidades de um profissional formado em Engenharia Ambiental. O segredo é especializar-se em uma área e tornar-se referência. 

Dicas de como escolher entre os dois

Se mesmo depois de entender um pouco sobre as diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental, você ainda não se decidiu, não se preocupe: estamos aqui para ajudar. De fato, escolher entre os dois cursos pode ser uma tarefa um tanto difícil. Mas, com essas dicas, você poderá decidir:

Pense no que você faria até de graça 

Essa é uma dica certeira para você que está em dúvida entre os dois cursos. Se você sente prazer e alegria ao realizar alguma atividade, ou se você sente seus olhos brilharem ao se imaginar em determinada função, então você encontrou a sua vocação. 

Analise suas expectativas salariais 

Sem dúvida, a pretensão salarial é muito importante na hora de escolher seu curso de graduação. Dependendo do que você espera nesse quesito, deverá escolher entre um curso ou outro.  Porém, é importante lembrar que esse quesito não é o único determinante, afinal, a realização pessoal e o prazer de exercer determinada função são características essenciais na escolha de uma profissão. Além disso, é fato que gostar do que se faz é uma característica importante para garantir bons salários. 

Faça testes vocacionais

Certamente, o teste vocacional lhe permitirá entender claramente as diferenças entre Agronomia e Engenharia Ambiental, além das suas predisposições profissionais. É um ótimo recurso para os alunos que estão em dúvida sobre qual curso superior escolher diante das opções de interesse.

Portanto, não deixe de fazer seu teste vocacional. Você pode se surpreender e descobrir coisas que não sabia sobre suas habilidades e gostos.

Aproveite também para dar uma olhada nos outros conteúdos por aqui! Eles podem ajudar com outras das suas dúvidas sobre estudos e cursos de graduação em geral 😉

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 1

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.