Fonoaudiologia: tudo o que você precisa saber

Georgia Garms
Colaborador do Hora Da Facul

Crédito: Foto de Katerina Holmes no Pexels

Muitos já ouviram falar sobre o curso de Fonoaudiologia, mas não sabem sobre o que realmente se trata. O profissional fonoaudiólogo faz parte da área da saúde e estuda a linguagem e a comunicação. Ou seja, ele pode atuar em áreas como a audição, a motricidade oral, a leitura e a escrita, a prevenção e a habilitação, e a reabilitação da voz.

Se você está em busca do seu curso ideal e ficou curioso em saber mais sobre Fonoaudiologia, esse texto é para você!

A história da Fonoaudiologia

Segundo o Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa), foi na década de 30 que preocupações com erros de linguagem e com a profilaxia tomaram conta da área da medicina e da área educacional. No entanto, no Brasil, o ensino de Fonoaudiologia teve início apenas na década de 60, mais especificamente em 1961, com o foco em graduações de tecnólogos na área.

Com movimentos a favor do reconhecimento tanto dos cursos quanto da profissão do fonoaudiólogo, cursos ao nível bacharelado foram criados nos anos 70, com o primeiro autorizado e em funcionamento no ano de 1977. Quatro anos depois, em 1981, o então atual presidente João Figueiredo sancionou a Lei n° 6965, a qual foi responsável pela regulamentação da profissão de Fonoaudiólogo.

O perfil de um fonoaudiólogo

O profissional da área da Fonoaudiologia está constantemente se relacionando com outras pessoas. Ou seja, trata-se de uma profissão que exige um bom relacionamento interpessoal e também uma formação humanista, generalista, crítica e reflexiva. Nesse sentindo, é fundamental que se compreenda os aspectos biopsicossociais da gênese e do desenvolvimento do ser humano.

E por que é necessário que o fonoaudiólogo busque sempre essa compreensão mais íntegra sobre o indivíduo? Justamente porque existem diversas realidades sócio-culturais e existem, consequentemente, diferentes demandas. O profissional da área de Fonoaudiologia é uma das profissões que demonstram mais sensibilidade ao próximo.

Outro aspecto fundamental, conforme a Faculdade Pitágoras, é a importância da curiosidade e da aptidão para o estudo e absorção de conhecimentos relacionados à saúde e reabilitação de pessoas. Características como ser atencioso, paciente, sensível e possuir habilidades sociais avançadas também são fundamentais para um profissional da área.

A CFFa explica que o fonoaudiólogo, sendo um profissional da área da Saúde, possui atuação autônoma e independente, e suas funções são exercidas nos setores públicos e privados. O Conselho Federal de Fonoaudiologia também afirma que o profissional é “responsável pela promoção da saúde, avaliação e diagnóstico, orientação, terapia (habilitação e reabilitação) e aperfeiçoamento dos aspectos fonoaudiológicos da função auditiva periférica e central, função vestibular, linguagem oral e escrita, voz, fluência, articulação da fala, sistema miofuncional orofacial, cervical e deglutição”.

Fonoaudiologia: Diretrizes Curriculares

O documento organizado pelo Ministério da Educação (MEC) sobre a proposta de Diretrizes Curriculares do curso de graduação em Fonoaudiologia nos permite conhecer um pouco sobre as suas Competências e Habilidades, e sobre os Conteúdos Curriculares.

Competências Gerais

Se você chegou até aqui, as Competências Gerais não te surpreenderão; tratam-se, basicamente, do que já conversamos! O MEC traz seis Competências extremamente fundamentais:

  • Atenção à saúde;
  • Tomada de decisões;
  • Comunicação;
  • Liderança;
  • Administração e gerenciamento;
  • Educação permanente.

Como você pôde ver, esses seis pontos estabelecidos pelo Ministério da Educação são inerentes ao profissional de fonoaudiologia. Para exercer devidamente a sua profissão, é imprescindível que se tenha e que se desenvolva continuamente esses tópicos.

Competências e Habilidades Específicas

As Competências e Habilidades Específicas, — também elencadas pelo MEC — por outro lado, já são mais detalhadas e merecem uma atenção especial, dado que é também a partir dos detalhes e das especificidades que um bom profissional consolida a sua carreira. O que acha de vermos algumas?

  • Compreender e analisar criticamente os sistemas teóricos e conceituais envolvidos no campo Fonoaudiológico, que compreende o estudo da linguagem e da audição, e os métodos clínicos utilizados para avaliar, diagnosticar e tratar os distúrbios da linguagem (oral e escrita), audição, voz e sistema sensório motor oral;
  • Compreender a constituição do humano, as relações sociais, o psiquismo, a linguagem, a aprendizagem. O estudo deste processo como condição para a compreensão da gênese e desenvolvimento das alterações de linguagem; · apreender as dimensões e processos da linguagem e da audição em sua amplitude e complexidade;
  • Reconhecer a saúde como direito e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;
  • Situar a Fonoaudiologia em relação às outras áreas do saber que compõem e compartilham sua formação e atuação;
  • Pensar sua profissão e atuação de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como uma forma de participação e contribuição social.

Conteúdos Curriculares

Agora que você já está mais familiarizado com o curso, podemos conhecer os conteúdos curriculares, resumir e até desmembrar alguns:

  • Ciências Biomédicas (constituição biológica do ser humano);
  • Ciências Humanas e Sociais (estudo do homem e suas relações sociais de modo a contribuir para a compreensão do desenvolvimento e das alterações da linguagem);
  • Ciências Físicas (conhecimentos de Física Acústica/Psicoacústica para compreender as bases físicas da audição/fonação);
  • Políticas Públicas;
  • Metodologia Científica (fundamentos científicos e recursos tecnológicos aplicados à pesquisa);
  • Ciência Fonoaudiológica (Audição e Linguagem);
  • Deontologia Profissional (o estudo que promove uma reflexão sobre os aspectos éticos-morais que envolvam a prática fonoaudiológica e o estudo da legislação pertinente à profissão e do código de Ética).

Estágios e Atividades Complementares

Com a preocupação do aluno não apenas compreender, mas também incorporar todos os conteúdos, competências e habilidades, o curso de Fonoaudiologia deve buscar uma formação clínico-terapêutica, ou seja, deve disponibilizar mais que apenas atividades teóricas, como atividades práticas, teórico-práticas, clínico-terapêuticas e estágios.

Além disso, é necessária a presença contínua de atividades complementares durante todo o curso, essas as quais com certeza fomentarão ainda mais a formação do estudante através de estudos e práticas independentes. São reconhecidas como Atividades Complementares: Monitorias e Estágios, Programas de Iniciação Científica, Programas de Extensão, Estudos Complementares e Cursos realizados em outras áreas afins.

É importante ressaltar que essas diretrizes foram retiradas do próprio Ministério da Educação, tratando-se algumas de um breve resumo para melhor elucidação.

Disciplinas do curso de Fonoaudiologia

É evidente que existe uma variação de disciplinas entre uma instituição e outra. No entanto, é possível reconhecer algumas recorrentes na maioria das universidades e, embora já tenhamos discorrido um pouco sobre os Conteúdos Curriculares, trataremos, agora, das disciplinas estabelecidas pela Faculdade Pitágoras como exemplo:

  • Aquisição e Desenvolvimento da Linguagem;
  • Atividades Complementares;
  • Audiologia Educacional;
  • Audiologia I;
  • Audiologia II;
  • Avaliação, Métodos e Técnicas em Linguagem Escrita;
  • Avaliação, Métodos e Técnicas em Linguagem Oral;
  • Avaliação, Métodos e Técnicas em Motricidade Orofacial;
  • Avaliação, Métodos e Técnicas em Voz;
  • Bases Neurofisiológicas da Comunicação;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Digestório, Endócrino e Renal;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Nervoso e Cardiorrespiratório;
  • Ciências Morfofuncionais dos Sistemas Tegumentar, Locomotor e Reprodutor;
  • Dispositivos Eletrônicos de Amplificação Sonora;
  • Distúrbios da Linguagem Escrita;
  • Distúrbios da Linguagem Oral;
  • Distúrbios da Voz;
  • Distúrbios em Motricidade Orofacial;
  • Ed – Construindo uma Carreira de Sucesso – Saúde;
  • Ed – Cultura Digital;
  • Ed – Desenvolvimento de Carreira;
  • Ed – Design Thinking;
  • Ed – Empregabilidade;
  • Ed – Marketing Digital;
  • Ed – Mindset Ágil;
  • Ed – Projeto de Vida;
  • Eletrofisiologia em Saúde;
  • Estágio em Fonoaudiologia Hospitalar;
  • Estágio Supervisionado – Audiologia Clínica I;
  • Estágio Supervisionado – Audiologia Clínica II;
  • Estágio Supervisionado – Audiologia Educacional;
  • Estágio Supervisionado – Dispositivos Eletrônicos de Amplificação Sonora I;
  • Estágio Supervisionado – Dispositivos Eletrônicos de Amplificação Sonora II;
  • Estágio Supervisionado – Eletrofisiologia;
  • Estágio Supervisionado – Linguagem I;
  • Estágio Supervisionado – Linguagem II;
  • Estágio Supervisionado – Motricidade Orofacial I;
  • Estágio Supervisionado – Motricidade Orofacial II;
  • Estágio Supervisionado – Voz I;
  • Estágio Supervisionado – Voz II;
  • Fonoaudiologia e Trabalho;
  • Fonoaudiologia Educacional;
  • Fonoaudiologia Forense;
  • Fonoaudiologia Hospitalar;
  • Fonoaudiologia Neurofuncional;
  • Gerontologia em Fonoaudiologia;
  • Introdução à Biologia Celular e do Desenvolvimento;
  • Libras – Língua Brasileira de Sinais;
  • Optativa;
  • Pensamento Científico;
  • Prática em Audiologia;
  • Prática em Fonoaudiologia Educacional;
  • Princípios de Audiologia;
  • Psicologia do Desenvolvimento;
  • Saúde Pública;
  • Sociedade Brasileira e Cidadania;
  • Trabalho de Conclusão de Curso I;
  • Trabalho de Conclusão de Curso II.

Quais as áreas de atuação de um fonoaudiólogo?

O Conselho Regional de Fonoaudiologia (Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Sergipe), doravante CREFONO, explica como a área não se restringe à sua atuação em voz e fala, mas alcança todos os processos de comunicação humana, bem como o seu desenvolvimento. Com isso, o Conselho estabelece 14 áreas:

  • Audiologia (o profissional atua na recuperação de distúrbios auditivos);
  • Linguagem (o profissional trabalha com aspectos que alcançam tanto a comunicação oral quanto a escrita);
  • Motricidade Orofacial (o profissional habilita/reabilita diversas funções, essas relacionadas à respiração, sucção, mastigação, deglutição, expressão facial e articulação da fala);
  • Saúde Coletiva (o profissional é integrante de grupos de estudos e reflexões sobre políticas públicas no sistema de saúde no Brasil);
  • Voz (o profissional atua no aprimoramento e promoção da saúde vocal);
  • Disfagia (o profissional atua tanto na avaliação como no diagnóstico de distúrbios de deglutição);
  • Fonoaudiologia Educacional (o profissional atua na promoção, no aprimoramento e na prevenção alterações dos aspectos relacionados à audição, linguagem oral e escrita, motricidade oral e voz);
  • Gerontologia (o profissional contribui com a promoção da saúde do idoso);
  • Fonoaudiologia Neurofuncional (o profissional auxilia pessoas que tiveram problemas com o sistema nervoso central ou periférico);
  • Fonoaudiologia do Trabalho (o profissional atua com o objetivo de promover uma melhor qualidade de vida na empresa);
  • Neuropsicologia (o profissional trabalha com o intuito de previnir, de avaliar, de tratar e de gerenciar os distúrbios que prejudicam a comunicação, bem como a sua interface com a cognição);
  • Fluência (o profissional pode atuar na identificação de tipologias das disfluências. ex: pessoas com gagueira);
  • Perícia Fonoaudiológica (o profissional possui a chancela para atuar no campo da perícia. Exemplo: pode atuar como assistente técnico, como auditor ou como perito);
  • Fonoaudiologia Hospitalar (o profissional está apto a diversas incumbências no âmbito hospitalar, tais quais: realização de triagem, avaliação, diagnóstico, prognóstico, terapia, etc.).

Por que cursar Fonoaudiologia?

Como já fizemos uma boa caminhada até agora, vamos pensar um pouco sobre alguns pontos positivos de se cursar Fonoaudiologia. Além do privilégio em exercer uma profissão que visa melhorar a qualidade de vida de outros indivíduos, o que certamente promove uma satisfação pessoal significativa, o fonoaudiólogo conta com alguns prestígios da própria profissão.

Um dos pontos positivos em optar pela Fonoaudiologia é a constante e notável expansão do setor. Isso porque as tecnologias estão em desenvolvimento ininterrupto, o que, consequentemente, estimula um crescimento acelerado da profissão. Outros dois setores também em expansão devido às novas tecnologias são o setor da Agronomia e o setor da Biomedicina.

Portanto, além da contribuição da tecnologia para o crescimento da área no mercado de trabalho, podemos considerar alguns outros aspectos, tais quais: o uso frequente e inadequado de aparelhos sonoros, — como fones de ouvidos, aparelhos de som, dentre outros — em um volume consideravelmente mais alto do que o ideal, o que pode provocar diversos danos à saúde auditiva, e o aumento significativo da população idosa no Brasil. Esse último, por sua vez, costuma necessitar de variados tratamentos relativos à área da Fonoaudiologia.

Versatilidade e flexibilidade da profissão

Outro ponto positivo está na versatilidade e na flexibilidade da profissão. Com a diversidade de perfis que compõe o mercado de trabalho, a Fonoaudiologia é um setor que alcança tanto os profissionais que preferem manter uma rotina fixa e mais tradicional, como também aqueles que buscam uma rotina mais flexível, como aquela que dispõe de uma liberdade de horário maior e/ou buscam novos desafios e ambientes diferentes.

Um terceiro ponto que reitera a relevância da profissão é a procura contínua de muitas pessoas que fazem parte do meio audiovisual por profissionais fonoaudiólogos. Isso porque essas pessoas precisam, evidentemente, cuidar diariamente da saúde vocal. Alguns exemplos desses profissionais são atores e atrizes, cantoras e cantores, palestrantes, dentre outros.

Poderíamos pensar em muitos outros pontos positivos do curso de Fonoaudiologia. Mas para não nos estendermos muito, vamos finalizar com as oportunidades que o setor dispõe tanto no setor público quanto no setor privado. Ou seja, o profissional fonoaudiólogo pode trabalhar em seu consultório próprio ou em clínicas de saúde, mas podem, também, ocupar cargos em instituições públicas, ONGs, escolas, dentre muitos outros. Graças à lei que obriga os planos de saúde a pagarem o tratamento fonoaudiólogo, podemos perceber o fortalecimento ainda maior da profissão, bem como a sua expansão.

Qual é o preço da faculdade de Fonoaudiologia?

É evidente que os preços variam de instituição para instituição. No entanto, existem outros aspectos que também influenciam na variação de preços do curso, como a localização, a reputação e a qualificação do corpo docente da faculdade.

Em média, segundo o Guia da Carreira, os valores da mensalidade da graduação em Fonoaudiologia em faculdades particulares variam de R$ 570,00 a R$ 1.650,00. No entanto, caso o valor não caiba no orçamento do estudante, este pode buscar pelos programas do governo ProUni e Fies. Existem, além disso, instituições que oferecem bolsas de estudos, descontos e sistemas próprios de crédito estudantil.

Remuneração média do fonoaudiólogo

Podemos perceber, através de informações retiradas do site Salario.com.br, que um profissional da área de Fonoaudiologia ganha em média R$ 2.941,93 no mercado de trabalho brasileiro, com uma jornada de 32 horas semanais. Portanto, esta média considera um perfil profissional recorrente, sendo este de um trabalhador com 25 anos e com formação superior em Fonoaudiologia, do sexo feminino e com a carga horária de trabalho semanal de 30h.

Além disso, o site disponibiliza as divisões salariais com base no salário bruto no cargo e na remuneração por períodos. Para melhor ilustrar, vamos elenca-las e trazer a explicação do site:

  • Piso Salarial: média do salário base de acordos, convenções coletivas e dissídios coletivos com menções ao cargo de Fonoaudióloga negociados por sindicatos e registrados no MTE;
  • Média Salarial: a soma de todos os salários divididos pelo total de salários de profissionais no cargo de Fonoaudióloga da amostragem. Cálculo de média aritmética simples;
  • 1° Quartil: primeiro quartil é o cálculo que separa 25% dos menores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Salário Mediana: mediana é o valor que mostra o salário bem ao centro da amostragem. O cálculo separa os dados de modo que 50% dos salários informados são superiores a esse nível e 50% são inferiores;
  • 3º Quartil: cálculo que separa 25% dos maiores salários e obtém a média salarial entre eles;
  • Teto Salarial: corresponde aos maiores salários no cargo, observando-se ponderações e filtros exclusivos do nosso algoritmo de pesquisa salarial.

Valores médios

Agora que você já entendeu um pouco sobre as divisões, passaremos para os valores médios de cada um deles. O valor médio do salário mensal do Piso Salarial é de R$ 2.685,07, enquanto o valor médio do salário mensal da Média Salarial é de R$ 2.941,93. O do 1° Quartil é de R$ 1.690,80, o do Salário Mediana é de R$ 2.650,00, o do 3° Quartil é de R$ 4.505,11 e, por fim, o valor médio do salário mensal do Teto Salarial corresponde a R$ 5.907,24.

Outra espécie de tabela de salários que contribui para quem quer familiarizar melhor com a remuneração da profissão é a tabela de salários do cargo por estado. Esta tabela, por sua vez, está organizada em sete colunas: os estados (São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina), a Jornada, o Piso Salarial, a Média Salarial, o Teto Salarial, Salário/Hora e o Total. No entanto, como o objetivo aqui é elucidar a você um pouco sobre os salários do cargo, vamos comparar apenas os Estados com a Jornada e com o Teto Salarial:

  • UF: São Paulo / Jornada: 33 / Teto Salarial R$ 4.942,54
  • UF: Minas Gerais / Jornada: 30 / Teto Salarial R$ 3.401,89
  • UF: Rio Grande do Sul / Jornada 31 / Teto Salarial R$ 4.278,67
  • UF: Paraná / Jornada 30 / Teto Salarial R$ 3.567,21
  • UF: Santa Catarina / Jornada 32 / Teto Salarial R$ 4.031,47

Uma pesquisada realizada pelo Salario.com.br, junto ao Novo CAGED, eSocial e Empregador Web, um profissional fonoaudiólogo recém-formado na faculdade tem um salário inicial de R$ 2.582,01 mensais, contando com uma jornada de trabalho semanal média de 32h.

Salário por nível profissional

Para finalizarmos este tópico, vamos pensar no salário por nível profissional e por porte da empresa. Essa média é de:

  • Empresa Micro + Profissional Júnior: R$ 2.938,16
  • Empresa Micro + Profissional Pleno: R$ 3.126,90
  • Empresa Micro + Profissional Sênior: R$ 3.454,28
  • Empresa Pequena + Profissional Júnior: R$ 2.845,27
  • Empresa Pequena + Profissional Pleno: R$ 3.034,00
  • Empresa Pequena + Profissional Sênior: R$ 3.361,38
  • Empresa Média + Profissional Júnior: R$ 2.892,80
  • Empresa Média + Profissional Pleno: R$ 3.081,53
  • Empresa Média + Profissional Sênior: R$ 3.408,91
  • Empresa Grande + Profissional Júnior: R$ 3.142,60
  • Empresa Grande + Profissional Pleno: R$ 3.331,33
  • Empresa Grande + Profissional Sênior: R$ 3.658,71

Fonoaudiologia e Comunicação

Chegamos ao final do nosso percurso e nada mais especial do que reforçar a relação desse tão excelente curso a um dos aspectos mais importantes da vida: a comunicação. Entretanto, existem diversas situações que dependem de uma boa comunicação, como entrevistas de empregos, reuniões e exposições de negócios, apresentações de trabalhos, confraternizações com familiares e amigos, explicações de conteúdos e até mesmo conversações do dia a dia.

Uma boa comunicação ultrapassa a simples troca de informações. Para se comunicar da forma adequada, é necessário que se comunique com sinceridade, emoção e proficiência. Por isso, criou-se uma homenagem ao profissional de Fonoaudiologia, comemorada no dia 9 de dezembro, ressaltando a importância do fonoaudiólogo para a comunicação. A campanha “A Comunicação Muda o Mundo” homenageia e celebra esses profissionais tão importantes na nossa sociedade.

Outro aspecto relevante em relação à comunicação está justamente na nossa atualidade. Com a chegada do novo coronavírus, o isolamento social se instalou como fundamental para o combate ao vírus. Sendo assim, o mundo teve que se adaptar a essa nova realidade, incluindo empresas que buscam novos colaboradores. Ou seja, entrevistas e reuniões remotas passaram a fazer parte do nosso cotidiano. E, a tendência é que este método perdure, adotado por diversos segmentos. Com isso, podemos compreender como a ciência da comunicação nunca foi tão primordial como neste momento e, consequentemente, a demanda de profissionais da área.

Conclusão

Conforme o fonoaudiólogo Daniel De Martino Ucedo, “as pessoas com uma boa habilidade de comunicação têm mais chances de se destacarem em sua profissão, tem mais oportunidade de crescer e ocupar cargos de liderança e fechar negócios. No entanto, outra habilidade desenvolvida é saber amenizar conflitos de comunicação no âmbito de suas relações sociais, seja com seus familiares, colegas de trabalho, amigos, chefes, funcionários, etc.”.

Agora que já conhecemos tudo sobre Fonoaudiologia, podemos compreender a famosa frase, que diz respeito à profissão, “a arte da comunicação; a linguagem da liderança”. Trata-se de um setor extremamente digno e gratificante. Portanto, você consegue se enxergar como um fonoaudiólogo? Caso tenha se identificado com a profissão, não hesite em trilhar sua carreira na área!

Se você gostou deste artigo, te convido a conhecer também um pouco sobre o que faz uma pessoa formada em serviço social .

 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 3

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.