O que faz o profissional de desenvolvimento back-end

Ana Cláudia Andrade Oliveira
Formada em Letras, Pedagogia, especialista em Neurociências e em produção de conteúdo Web.
1

A área de tecnologia tem se consolidado cada dia mais. Ainda melhor, mostra-se com uma estabilidade invejável no mercado, mesmo diante de severas crises aqui no Brasil. Além disso, é um ramo que apresenta muitos segmentos. Ou seja, há muitas oportunidades. Inclusive, uma delas é para os profissionais de desenvolvimento back-end. 

Nesse ínterim, uma das áreas mais procuradas por empresas e pelo mercado é o desenvolvimento back-end. Se você está conhecendo os segmentos tecnológicos agora, é natural se perguntar o que, de fato, faz um profissional de desenvolvimento back-end. Exatamente por este motivo é que nós preparamos este conteúdo.

Continue a leitura e entenda o que faz esse tipo de desenvolvedor, como está o mercado para esses profissionais e como você pode se tornar um. Bora!?

O que faz um desenvolvedor Back-end

A princípio, de forma bem direta, um desenvolvedor back-end é responsável por tornar dinâmicos sites e páginas web – utilizando, claro, linguagens de programação. Além disso, ele também organiza as informações o máximo possível, para que o usuário tenha uma boa experiência. 

Esse profissional é aquele que está sempre atualizado com as linguagens de programação, conceitos de CSS, HTML, programação de software bem como diversas outras ferramentas e sistemas. 

Ainda mais, o desenvolvedor back-end sempre está capacitado e é competente para solucionar problemas que estão “atrás” do site. Ou seja, problemas que surgem nos bastidores. 

Back-end e a programação

O profissional desenvolvedor back-end tem os conhecimentos, ferramentas e prática para estruturar ao menos o básico de um site. 

É fato, hoje em dia é tão natural e comum abrirmos e pesquisarmos sites por toda a internet que nem ao menos fazemos ideia da quantidade de trabalho e códigos que estão por trás dos cliques que damos. Ou seja, muitos comandos, organização, raciocínio e códigos são necessários para viabilizar a navegação, como a que você faz agora, neste site. 

Ainda mais, é comum esse profissional se envolver com codificação, testes de acessibilidade e programação. Não só isso, mas também com a segurança e regras do negócio.

Dessa forma, a programação é parte frequente da rotina do profissional back-end. Para tal desenvolvimento, contamos com diferentes linguagens de programação. Algumas delas são: JavaScript, Python, PHP, ASP, CSS entre outras. 

Frequentemente os profissionais se especializam e dominam muito bem algumas dessas linguagens. No entanto, ele se mostra capaz de executar tarefas básicas em todas elas. Exatamente por este motivo, as possibilidades de empregabilidade são grandes. 

Linguagens de programação

Java

Essa é a linguagem mais usada no mundo inteiro, principalmente em aplicativos para Android. Pode ser utilizada nos mais variados aparelhos e possui uma versatilidade grande, pois, pode ser facilmente adaptada. 

Python

Muito popular no mercado, essa é uma linguagem bem comum, pois é fácil de aprender. Lançada há mais de 30 anos, essa é uma linguagem com fácil leitura de códigos. É muito utilizada para desenvolvimento web. 

PHP

A linguagem PHP é usada principalmente para páginas da web e é muito útil para adicionar recursos à página, o que não é suportado por HTML. Ele também integra as informações da página com um banco de dados MySQL.

JavaScript

Ele foi originalmente implementado como parte de um navegador da Web para que os scripts possam ser executados no lado do cliente e possam interagir com os usuários sem passar pelo servidor. Eles controlam o navegador, realizando comunicação assíncrona e alterando o conteúdo do documento exibido, simplificando o processo.

O JavaScript, que não é Java, ainda é o preferido dos aplicativos web e vem ganhando espaço em dispositivos desktop e móveis por criar interatividade e ser fácil de aplicar.

O mercado de trabalho para o profissional desenvolvedor back-end

Igualmente como dito no início deste artigo, o mercado para o desenvolvedor back-end está aquecido. Melhor ainda, não há previsão para que esse cenário mude. 

Temos uma ampla gama de projetos, atualizações e mudanças acontecendo no mercado e nas empresas. Ainda mais, temos o campo de desenvolvimento de aplicativos, que oferece ainda mais oportunidades para aqueles que querem desenvolver. 

Logo depois dos aplicativos, temos os e-commerces, bem como a crescente necessidade de segurança digital. Ou seja, mercado não falta para esse profissional, em especial para o desenvolvedor back-end. 

Ainda mais, a tendência é que, com as iniciativas na internet, as oportunidades aumentem ainda mais. No entanto, não basta você possuir formação na área. Você precisa ser qualificado de verdade.

Habilidades essenciais do desenvolvedor back-end

À primeira vista, há algumas habilidades que são indispensáveis. Porém, de antemão, saiba que você pode desenvolver todas elas. 

Sendo assim, algumas habilidades importantes são: 

  • Trabalhar bem em equipe;
  • Bom raciocínio lógico;
  • Perfil curioso e voltado para a pesquisa;
  • Estar atualizado com o mercado; 
  • Domínio das linguagens de programação; 
  • Dedicar-se a aprender outro idioma (inglês, preferencialmente); 
  • Ser organizado e dedicado; 
  • Capacidade de se concentrar;
  • Capacidade de liderar;
  • Responsável.

Em síntese, perceba que é necessário empenho e dedicação. Além de constantemente estar se reciclando. Apenas dessa maneira você terá sucesso e um futuro promissor como desenvolvedor back-end

Quanto ganha um desenvolvedor back-end? 

Os segmentos de tecnologia estão entre os mais bem pagos no Brasil e o profissional desenvolvedor de back-end não fica muito atrás. 

A renda mensal pode facilmente chegar a R$ 13.000. É claro, como a maioria das coisas no mercado de trabalho, isso varia conforme o nível. Veja abaixo uma média dos valores conforme a experiência profissional: 

Trainee

Com iniciais que vão de R$ 2.000 a R$ 4.000 por mês. 

Junior

Iniciais de R$ 2.450, chegando até R$ 4.100. 

Pleno

De R$ 3.050 até R$ 5.300.

Sênior

A partir de R$ 3.800, podendo chegar a mais de R$ 6.400.

Master

Com um inicial de R$ 4.800, o salário pode facilmente ultrapassar R$ 8.000. 

No entanto, quanto um desenvolvedor back-end ganha varia também conforme a empresa e tempo de profissão. Sendo assim, há empresas que oferecem uma remuneração acima da média nacional. Por isso, dedique-se aos estudos e destaque-se no mercado. 

Sendo assim, fica evidente as vantagens de se investir na carreira de desenvolvimento back-end. Pois, trata-se de uma carreira com amplo mercado, boa remuneração e possibilidade de especialização em diversas subcategorias. Você já escolheu a sua?

Se você já decidiu o quer estudar, mas está com receio de não conseguir dar conta de trabalho e dos estudos, não deixe de conferir o artigo como unir estudo e trabalho sem esgotar as energias. 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 1

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.