O que faz um fisioterapeuta?

Tais Carra
Estrategista de marca, contadora de história e designer thinker com 9 anos de experiências em comunicação digital. Construí minhas experiências de forma bem diversificada envolvendo três áreas centrais: inovação, produto e marketing.Crio e escrevo semanalmente para diversas empresas. Meu trabalho é construir experiências e estratégias através de criação de texto útil e relevante para gerar ação, circularidade, e crescimento de receita.
1

Crédito: Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Com o envelhecimento populacional, houve também aumento de doenças crônicas, fazendo com que algumas áreas de saúde ganharam mais destaque. 

Você ou alguém próximo a você já sofreu alguma lesão que necessite fazer fisioterapia? O fisioterapeuta atua justamente para acelerar na recuperação dos movimentos, seja por massagem, exercícios físicos e terapias em geral. 

De modo geral, o fisioterapeuta é o profissional responsável pela recuperação de movimentos, atuando em lesões, doenças ocupacionais, entre outros. Dessa forma, ele analisa e prescreve o tratamento a ser realizado. 

Você sabe qual área da Fisioterapia mais combina com você?

Preparamos um quiz para você descobrir o seu perfil

Esse profissional pode atuar em algumas áreas principais. São elas:

  • Saúde Preventiva
  • Fisioterapia Neurológica
  • Ortopedia e Traumatologia
  • Fisioterapia Desportiva
  • Fisioterapia do Trabalho
  • Pilates e acupuntura 

Como se tornar um Fisioterapeuta?

A fisioterapia é uma profissão regulada desde 1969. Para se tornar um fisioterapeuta o estudante precisa se formar no curso superior de Fisioterapia reconhecido pelo MEC. E precisa também de registro no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO). 

O curso de bacharel em fisioterapia tem duração média de 4 a 5 anos dependendo da instituição. Assim como em outras graduações é possível estagiar no período da faculdade, e também possui um estágio obrigatório para conclusão. 

A composição do estágio obrigatório corresponde a 20% das horas do curso, com bastante oportunidade de atuar na prática. Contudo, para se formar é necessário apresentar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). 

Quanto ganha um Fisioterapeuta?

O mercado de trabalho de Fisioterapia é bastante amplo é a medida que o profissional mais se especializa há um aumento de oportunidades e os ganhos financeiros. 

O piso salarial dos fisioterapeutas pode variar de estado para estado, mas a média do salário mínimo gira em torno de R$2.300,00. Ainda, segundo a Federação Nacional de Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais, o ganho intermediário do profissional pode chegar na faixa de R$4 mil a R$5 mil por mês.

Muitos profissionais optam por variar o trabalho clínico com atendimento particular a pacientes, principalmente os geriátricos que muitos preferem realizar as suas atividades em casa.

Apesar da variação nos ganhos, os profissionais que trabalham de forma autônoma são regulamentados por uma tabela estabelecida pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO). 

Também há possibilidade de atuarem em carreira pública através de concursos públicos, com os cargos podendo ser temporários ou efetivos. 

Competências e habilidades do Fisioterapeuta

A tecnologia está cada vez mais presente na sociedade, não é diferente com a fisioterapia, pois todos os anos sempre surgem novos tratamentos, equipamentos que melhoram os seus tratamentos.

Esse profissional precisa gostar de trabalhar com pessoas, pois é uma algo que fará parte do seu dia a dia. Além disso, deve gostar de estar em permanente atualização para se adaptar ao mercado. 

O profissional de fisioterapia precisa estar preparado para atender as necessidades que surgem no mercado.

Algumas competências e habilidades são fundamentais para o desenvolvimento da carreira do profissional do Fisioterapeuta. Conheça algumas delas. 

  • Vontade de ajudar o próximo
  • Boa capacidade de comunicação
  • Interesse pelo corpo humano
  • Administração e gestão
  • Disposição física
  • Gostar de estar constante atualização
  • Flexibilidade cognitiva

Quais as áreas da Fisioterapia em alta?

Como falamos anteriormente, a fisioterapia oferece ao profissional uma ampla oferta de especializações, inclusive muitas frentes surgidas nos últimos anos.

A Fisioterapia é umas das áreas mais importantes para sociedade, pois ela lida diretamente com o bem-estar e a mobilidade das pessoas. Assim como outras profissões, ela tem passado por mudanças e abraçando tecnologias inovadoras, surgindo sempre novas áreas de estudo. 

Está pensando sobre que caminho seguir na Fisioterapia? Listamos 4 carreiras em fisioterapia em alta para te ajudar. 

  • Fisioterapia Dermatofuncional

Cada vez mais as pessoas estão em busca de cuidar da estética, e essa área oferece excelentes oportunidades para alavancar a sua carreira. Como o próprio nome sugere, ela atua na prevenção, recuperação e promoção da saúde da pele.

  • Fisioterapia em Terapia Intensiva 

Essa atuação é uma das mais reconhecidas, ou seja, é bastante visada no mercado de trabalho. A especialidade que torna o profissional apto a lidar com um paciente em estado crítico. Desde suporte ventilatório, limitações motoras graves e outros problemas de decorrência grave. 

Se trata de um profissional chave nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), pois trabalha diretamente na manutenção das funções vitais do sistema corporal,

  • Pilates

Essa área cresceu muito nos últimos anos, e para ser realizada precisa ser um profissional de educação física ou de fisioterapia. Muitas pessoas procuram o pilates como uma excelente oportunidade para correção postural, ou para se exercitar e fortalecer o corpo. 

O profissional que atua nessa área é responsável por definir os movimentos com bastante precisão, além de compreender o funcionamento do corpo humano e toda sua musculatura. 

  • Acupuntura 

Muita se fala em acupuntura nos últimos tempos e os seus benefícios, e a acupuntura é uma técnica de conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa (MTC). O profissional que atuar nessa área vai trabalhar com estimulação sobre o tecido cutâneo por meio de agulhas, stipers ou laser.

A sua indicação é bem variada sendo para melhorar a imunidade, tratamento de problemas emocionais, algumas doenças físicas, doenças do sono, entre outras.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.