Quais áreas da Engenharia de Produção têm falta de profissionais?

Renata Arruda
Comunicadora, escreveu para veículos como Canal Lifetime, Huffpost Brasil, Scream & Yell, revista O Grito!, revista Plaf, entre outros. Atua como redatora de conteúdo generalista, sendo colaboradora fixa do site Letras.mus.br e Hora da Facul.
1

Crédito: Foto de ThisIsEngineering no Pexels

Está procurando saber sobre quais áreas da Engenharia de Produção têm falta de profissionais? Leia o post e confira qual delas é a ideal para você!

A Engenharia de Produção é uma área que engloba conhecimentos da engenharia, administração, sociologia e economia, ocupando-se dos processos industriais e empresariais. Assim, é responsabilidade do engenheiro de produção gerenciar os recursos humanos, financeiros e materiais visando a otimização dos lucros e da produtividade.

Este campo da engenharia é um dos mais conceituados do mercado, oferecendo os melhores salários e posições. Quem se formar no curso de engenharia de produção encontrará oportunidades em diversos setores como instituições públicas e financeiras, prestadoras de serviço e, principalmente, indústrias.

Ainda que haja muitas vagas de trabalho neste ramo, os contratantes encontram dificuldades de preenchê-las com profissionais qualificados. Por isso, se você pretende seguir a carreira de engenheiro de produção, deve investir em uma especialização com sólida formação científica.

Acompanhe nosso artigo para saber quais são as áreas da engenharia de produção com baixa demanda profissional e qual especialidade combina mais com seus objetivos de carreira.

Áreas da Engenharia de Produção com baixa demanda

O mercado de engenharia de produção está aquecido e com boas oportunidades de colocação no mercado. Além das áreas tradicionais, há outros setores estão em busca de engenheiros capacitados. Saiba quais áreas da Engenharia de Produção têm falta de profissionais:

Setor financeiro

Atualmente, as instituições financeiras estão dando preferência à contratação de engenheiros de produção em detrimento dos economistas. Isso porque a formação do engenheiro inclui capacitação em gestão de recursos humanos, habilidade indispensável ao bom analista de investimentos.

Além disso, também aumentou a procura por profissionais com sólida formação matemática e alto nível de raciocínio lógico e abstrato para atuar nas mesas de bolsa e mercado aberto, competências encontradas mais facilmente nos engenheiros.

Como esta profissão ainda é incomum para os profissionais de engenharia de produção, a demanda ainda é baixa na área.

Setor das telecomunicações

A área das telecomunicações vem crescendo e se desenvolvendo em todo mundo. E no Brasil não é diferente. Embora haja uma grande procura por técnicos e engenheiros de telecomunicações, o setor também precisa de profissionais capazes de gerenciar negócios e criar novos produtos e serviços.

Assim, a formação multidisciplinar dos engenheiros de produção confere a eles uma vantagem, uma vez estão habilitados a trabalhar como gerentes de produtos e gerentes de novos negócios.

O setor deverá ser um dos principais contratantes da área de engenharia de produção nos próximos anos, mas ainda enfrenta carência de profissionais.

Atuária

Relacionada às áreas de fundo de pensão e previdência, a atuária tem mostrado taxa de crescimento superior a 10% ao ano, tanto no setor público quanto no privado. No entanto, o número de profissionais especializados em ciências atuárias é menor do que as vagas.

Assim, as empresas têm optado por contratar engenheiros de produção, oferecendo capacitação específica em cálculo atuarial, e obtido bons resultados com a experiência. É uma boa oportunidade de carreira para quem busca uma área com pouca concorrência.

Sustentabilidade

A área da sustentabilidade oferece oportunidades promissoras para o engenheiro de produção. Com a busca crescente das indústrias por uma produção sustentável, o profissional é requisitado para tarefas como:

  • Analisar os processos produtivos e as prestações de serviço;
  • Analisar impactos improdutivos sobre o meio ambiente;
  • Buscar equilíbrio entre a qualidade dos processos e o custo.

Oportunidades profissionais nas áreas da Engenharia de Produção

O engenheiro de produção é um profissional versátil, sendo útil em praticamente todo tipo de empreendimento. Com sua capacidade de aumentar a produtividade e reduzir os custos dos processos empresariais e industriais, ele é requisitado nas mais diversas áreas como:

  • Indústrias;
  • Prestadoras de serviços;
  • Empresas de tecnologia da informação;
  • Telecomunicações;
  • Comércio varejista e atacadista;
  • Empresas de turismo;
  • Empresas da área da saúde;
  • Mercado financeiro.

Atualmente, a maior oferta de vagas está concentrada nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. No entanto, o mercado vem crescendo também no Nordeste, com destaque para os estados de Ceará e Pernambuco. Já quem se interessa pelo agronegócio, o interior do estado de São Paulo oferece as melhores oportunidades.

De acordo com reportagem da BBC, quem pretende trabalhar fora do Brasil também encontra um mercado aberto em países como Austrália, Bélgica, Irlanda, Nova Zelândia, Noruega, Cingapura, Espanha, Reino Unido e África do Sul. Para isso, é necessário investir em uma formação continuada e estudos de idiomas.

Quanto ganha um engenheiro de produção?

A engenharia de produção oferece salários muito atraentes para os profissionais formados. Para se ter uma ideia, o salário inicial no Brasil fica em torno de R$5.072, podendo chegar até a R$9.340. Em média, a remuneração geral é de R$7.516.

Vale lembrar que estes valores podem variar de acordo com a empresa, o cargo e o tempo de experiência do engenheiro.

O curso de Engenharia de Produção

O curso de engenharia de produção é do tipo bacharelado e dura, em média, 5 anos (10 semestres). Ele pode ser encontrado tanto na modalidade presencial, quanto EAD.

No início da formação, o aluno estudará disciplinas comuns aos cursos de engenharia, como cálculo, passando em seguida para as matérias específicas da área. Confira algumas matérias da grade curricular de engenharia da produção:

  • Administração de Recursos Humanos;
  • Algoritmos e Estruturas de Dados;
  • Cálculo Diferencial e Integral;
  • Contabilidade;
  • Controle de Qualidade;
  • Desenho Técnico;
  • Engenharia de Métodos e Processos;
  • Estatística e Probabilidade;
  • Ergonomia;
  • Fenômenos de Transporte;
  • Física;
  • Geometria Analítica e Álgebra;
  • Gestão Ambiental;
  • Gestão das Instalações Industriais;
  • Gestão Estratégica;
  • Mecânica;
  • Organização do Trabalho;
  • Planejamento e Controle da Produção;
  • Processos de Fabricação;
  • Química Geral e Aplicada;
  • Resistência dos Materiais;
  • Técnicas de Programação.

Para se formar é necessário apresentar um Trabalho de Conclusão de Curso.

Com o mercado de engenharia de produção em alta, são várias as oportunidades de conseguir uma vaga boa e bem remunerada. Por isso, não deixe de investir em sua formação e mantenha-se atualizado sobre as novidades do mercado.

Além carreiras citadas aqui, há outras áreas da Engenharia de Produção que oferecem boas oportunidades profissionais. Confira nosso artigo para saber quais são as que estão em alta atualmente.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.