Quanto ganha um engenheiro de produção júnior?

Felipe Cortinas
Comunicador, jornalista, documentariasta e analista de marketing. Especializado em SEO e em estratégias de marketing inbound.Experiência como social media e criação de designs e vídeos em campanhas publicitárias.Gerenciamento de campanhas de Google Ads e SEO Local. Criação de sites e lojas online.Fotógrafo de eventos, videomaker e documentarista.
1

Um engenheiro de produção júnior trabalha com a produção de bens e serviços, além da implantação e operação dos mesmos. Atualmente, quanto ganha esse nível profissional no Brasil?

As melhores vagas da categoria da Engenharia, se destinam às áreas de produção. Isso acontece, principalmente, pela boa remuneração salarial. O que por sua vez, gera o interesse de muitas profissionais.

Para que um estudante de Engenharia de Produção possa assumir as responsabilidades do cargo, é preciso saber trabalhar em equipe, se comunicar bem, além de ouvir as pessoas ao seu redor.

Está pensando em prestar vestibular para Engenharia de Produção?

Faça o teste e descubra se o curso combina com você

A melhor forma quanto ganha um engenheiro de produção júnior, é conhecer o como funciona a remuneração assim que ele inicia a carreira.

Quanto ganha um engenheiro de produção recém-formado?

Depois que um estudante cursa a faculdade de Engenharia de Produção, segundo o site Vagas.com, seu salário pode se iniciar em R$5.072. Já a média salarial para um engenheiro de produção do Brasil atinge o valor de R$7.516.

As áreas de atuação deste profissional são vastas e abrangentes, podendo trabalhar na maioria dos setores da economia, em empresas de todos os portes, sejam públicas ou privadas.

O engenheiro de produção recém-formado busca aplicar os conhecimentos em economia, administração e engenharia com o objetivo de realizar diversos projetos. O mais interessante é a chance do profissional da área poder empreender, ou realizar serviços independentes de consultoria.

No entanto, os melhores salários estão reservados para empresas de grande porte e reconhecimento nacional. Assim, as concorridas vagas possuem altas remunerações e criam grande concorrência no setor.

Segundo o Guia da Carreira, a engenharia de produção se qualifica como uma das profissões mais promissoras do Brasil, e não é para menos, mesmo no começo da carreira o profissional tem um ótimo salário, comparado com outras áreas.

No início da carreira é comum que a contratação ocorra para cargos de nível júnior ou trainee, e então conforme a experiência e confiança são exercidas, a chance de aumentar o salário cresce.

Quanto ganha um engenheiro de produção trainee?

O salário de um engenheiro de produção trainee costuma variar, dependendo do local e do porte da empresa onde os serviços são prestados. Os ganhos se iniciam pelo valor de R $2.508,00, podendo chegar até R $5.090,00.

No entanto, a média salarial em todo o país fica em torno de R $3.500,00. Se engana quem pensa que a atividade é algo fácil. A remuneração é proporcional aos trabalhos e responsabilidades exigidas.

Um engenheiro de produção trainee normalmente ajuda nos processos do controle de produção das indústrias, identifica as necessidades básicas da produção e fornece os suprimentos para que ocorra um controle de todos os recursos disponíveis.

Quanto ganha um engenheiro de produção júnior?

Obviamente, tudo depende do porte da empresa onde o engenheiro de produção júnior atua. Bem como, colocaremos aqui as médias salariais de acordo com o porte da empresa. As informações foram retiradas do site Educa Mais Brasil.

  • Grande empresa: R$ 5.966,10
  • Média empresa: R$ 4.589,31
  • Pequena empresa: R$ 3.530,24

Do mesmo modo que em alguns casos o engenheiro de produção júnior exerça algumas funções de nível pleno, devido aos seus anos de experiência, sua remuneração segue um limite. Nesse sentido, existem setores e carreiras que o estudante pode optar antes mesmo de se formar, para que a entrada no mercado de trabalho seja mais fácil.

De acordo com a Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO), estes são alguns dos setores em que um engenheiro de produção júnior tem oportunidade de trabalhar e ganhar uma boa remuneração.

  • Setor público: Petrobrás, Correios, Agência Nacional de Energia, BNDES.
  • Setor de serviços: transportes, consultoria, cursos, hospitais, construção civil.
  • Setor financeiro: análise de investimentos, seguros, previdência.
  • Indústrias: petróleo e gás, agroindústria, automóveis, autopeças, eletrodomésticos, máquinas, etc.

Mercado de trabalho para o engenheiro de produção júnior

Segundo os próprios engenheiros, muitos profissionais da área começam no mercado de trabalho com cargo de analista. E existem diversos tipos no setor da engenharia de produção, confira alguns exemplos.

  • Analista Lean
  • Analista de Suporte Logístico
  • Analista de PCP
  • Analista de Qualidade

De maneira geral, esses são os principais cargos de analista relacionados a engenharia de produção, que desenvolvem várias atividades de responsabilidade do engenheiro.

Os cargos iniciais existem para que o novato possa aprender. Por esse motivo, as primeiras funções são essenciais na carreira de qualquer engenheiro.

De qualquer forma, entrar como analista, é uma chance de entrar em alguma empresa, mostrar resultados, fazer networking, criar uma rede de colaboração e contatos para que você possa alcançar posições maiores dentro da organização.

Depois de um período, muitos que começam como analistas recebem propostas para o cargo de engenheiro trainee, júnior ou pleno, dependendo do tempo de experiência.

Além do mais, nem todo engenheiro formado hoje vai direto para alguma indústria ou fábrica. Há pessoas que abrem seu próprio negócio ou trabalham em setores do comércio.

Também existe o caminho da carreira acadêmica que muitos seguem. Os acadêmicos da área realizam pesquisas e estudos para instituições de ensino superior e governos.

O que influencia no salário de um engenheiro de produção júnior?

De início, o fator mais importante, como já dito acima, é o tempo de experiência. Pois, ele diz muito sobre sua vivência profissional e o que é possível colocar em prática dentro da indústria a partir do que já foi aprendido.

Além do cargo de analista, que é o trabalho inicial da maioria dos estudantes de engenharia de produção, você pode ocupar o cargo de engenheiro júnior em seus primeiros quatro anos de experiência.

Depois dos primeiros anos, até os seis anos de profissão é possível receber remuneração como engenheiro pleno. E, consequentemente, poderá ocupar o cargo de engenheiro sênior, com mais de seis anos de profissão.

Porém, tudo depende das propostas de trabalho oferecidas por diferentes empresas. O importante é aproveitar todas as oportunidades de exercer a atividade de engenheiro de produção, pois elas podem ajudá-lo a conseguir um salário maior no futuro.

Como se tornar um engenheiro de produção?

Para que você possa se tornar um engenheiro é necessário um diploma de ensino superior adquirido em uma instituição aprovada pelo MEC (Ministério da Educação).

A graduação de Engenharia de Produção tem cinco anos de duração com várias disciplinas e estágio obrigatório, juntamente com horas complementares e atividades a serem entregues.

Ter um dos melhores salários, mesmo que inicialmente, requer esforço e dedicação nos estudos. Isso justifica o fato de que a engenharia de produção é uma das áreas mais bem pagas do país.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.