Quanto ganha um engenheiro de produção no interior?

pamzottis
Colaborador do Hora Da Facul

Crédito: Photo by Kateryna Babaieva, from Pexels

A Engenharia de Produção é uma das profissões que está em ascensão no Brasil. Por isso, é natural que isso desperte a curiosidade de jovens que gostariam de ingressar em uma faculdade. E, claro, a remuneração da área também acaba sendo um fator decisivo para essa escolha profissional. Geralmente, a pergunta é: quanto ganha um engenheiro de produção? E o salário no interior é interessante?

Atualmente, um engenheiro de produção júnior ganha em média R$ 7.346,98, o nível pleno recebe cerca de R$ 8.458,07, já o sênior tem média salarial de R$ 12.697,51 mensais, de acordo com pesquisa do portal salario.com.br junto aos dados oficiais do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

O mesmo levantamento mostrou ainda que o valor médio do piso salarial 2021 para o cargo de engenheiro de produção em todo o Brasil é de R$ 6.988,94, para uma jornada de trabalho de 43 horas por semana.

Quanto ganha um engenheiro de produção no interior?

Segundo o site salario.com.br, a cidade que possui a média salarial mais alta para um engenheiro de produção no interior de São Paulo é São José dos Campos: R$10.129,97. Isso ocorre devido ao pólo industrial na cidade que comporta empresas de grande porte. Confira o ranking:

  • São Bernardo do Campo, com média de R$8.462,07
  • Sorocaba: R$7.242,89
  • Campinas: R$7.106,10
  • Guarulhos: R$6.397,30

Em outras cidades brasileiras, o valor não muda muito. Um engenheiro de produção trabalhando em Caxias do Sul, no interior do Rio Grande do Sul, ganha entre R$ 6.823,96 e R$ 12.463,90, sendo que a média salarial fica em R$ 7.476,77, para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.

Em Resende, no Rio de Janeiro, os salários variam de R$ 6.154,30 e R$ 10.067,25, sendo que a média salarial fica em R$ 6.743,04, para uma jornada de trabalho de 43 horas semanais. Já em Joinville, em Santa Catarina, o profissional ganha entre R$ 6.299,78 e R$ 11.826,54, sendo que a média salarial fica em R$ 6.902,44, para uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.

Além disso, fizemos uma relação das principais perguntas referentes ao curso de Engenharia de Produção.

Como é o perfil deste trabalhador no interior do Brasil?

Também temos a oportunidade de observar o perfil profissional do engenheiro de produção em algumas cidades brasileiras citadas acima. Em São José dos Campos, tem em média 38 anos, formação superior em Engenharia de Produção, sexo masculino, e trabalha em empresas no ramo de fabricação de aeronaves.

Em Caxias do Sul, a média etária é de 34 anos, formação superior em Engenharia de Produção, do sexo masculino, que trabalha em empresas que atuam no segmento de fabricação de carrocerias para ônibus.

Em Resende, a média de idade sobe um pouco, registrando um trabalhador com 41 anos, também com ensino superior, sexo masculino que atua em empresas no segmento de fabricação de automóveis, camionetas e utilitários.

Por fim, em Joinville, um engenheiro de produção tem em média médio 32 anos, sexo masculino e trabalha no segmento de fabricação de fogões, refrigeradores e máquinas de lavar e secar para uso doméstico.

O que um engenheiro de produção estuda?

De acordo com Associação Brasileira de Engenharia de Produção, são consideradas áreas secundárias de conhecimento da Engenharia de Produção as seguintes:

  • Engenharia de operações e processos de produção
  • Logística
  • Pesquisa operacional
  • Engenharia da Qualidade
  • Engenharia do produto
  • Engenharia organizacional
  • Engenharia econômica
  • Engenharia do trabalho
  • Engenharia da sustentabilidade

Quais são as áreas de atuação de um engenheiro de produção?

Depois de graduado, o profissional poderá atuar em gestão, engenharia do produto, organizacional ou econômica do trabalho, em pesquisa operacional, logística, sustentabilidade e qualidade, em empresas de diversos portes e segmentos. Dentre as possibilidades estão as áreas:

  • Setor público
  • Setor financeiro
  • Comércio e empresas prestadoras de serviços
  • Indústria metalúrgica
  • Indústria automotiva
  • Indústria mecânica
  • Indústria química
  • Indústria de alimentos
  • Construção civil
  • Agroindústria
  • Concessionárias de energia elétrica
  • Empresas de automação e controle
  • Instituições de pesquisa e ensino.

Qual é o salário de engenheiro de produção por grau de instrução?

De acordo com o salario.com.br, quando se fala em níveis de escolaridade, o salário de um engenheiro de produção por grau de instrução vai subindo conforme o nível. A pesquisa busca mostrar uma relação entre o grau de instrução e o salário base do engenheiro de produção:

  • Ensino superior completo: R$ 7.895,80.
  • Pós-Graduação: R$ 9.385,05.
  • Mestrado: R$ 10.126,46.
  • Doutorado: R$ 10.069,16.

Como está o mercado de trabalho?

Se você chegou até aqui interessado no curso de Engenharia de Produção, trazemos boas notícias em relação ao mercado. Mesmo em um momento não favorável para muitas profissões, o engenheiro de produção está em alta. No comparativo entre abril de 2020 e março de 2021, houve um aumento de 66.44% nas contratações formais com carteira assinada em regime integral de trabalho.

Com a necessidade de reduzir gastos, as empresas precisaram contratar profissionais que formatassem a produção. O objetivo é render mais com menos custos, que é justamente a especialidade do engenheiro de produção.

Vale destacar que as oportunidades de trabalho não estão apenas em indústrias, mas também no setor de prestação de serviços, turismo, telecomunicação e saúde. Além de também ser demandado por bancos e corretoras como analista de investimentos, assim como o funcionalismo público.

A maioria das vagas estão concentradas no Sudeste e Sul, mas também destacamos o mercado do Nordeste que encontra-se em ascensão.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 2

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.