Qual a diferença entre Jornalismo Científico e Divulgação Científica?

Roberto Dezorzi
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Canva.

O futuro estudante de comunicação social deve entender as diferenças existentes entre os tipos de divulgação, os segmentos aos quais o jornalismo atua e as técnicas que envolvem a profissão.

Independentemente do seu objetivo na universidade, mais precisamente dentro do curso de Jornalismo, o aprendizado vai ser bastante amplo. E isso fica ainda mais evidente quando estudantes realizam as suas atividades práticas dentro da faculdade.

O conhecimento técnico dentro da comunicação exige das pessoas uma capacidade de colocar a mão na massa quando o assunto é fotografia, jornalismo impresso, rádiojornalismo, webjornalismo, assessoria de imprensa e outras modalidades normalmente encontradas dentro das instituições de ensino superior.

Enem 2021: Selecionamos ótimas dicas para você ter um melhor desempenho na prova



Neste e-book você vai ver:
1. como funciona a prova do Enem;
2. como montar um cronograma eficaz;
3. o que estudar em cada área do conhecimento;
4. por que é importante se preparar mentalmente.

Entretanto, cada tipo de mídia ou profissão exige do futuro jornalista o domínio tanto do conhecimento específico quanto das ferramentas. Afinal, diferentes formatos de divulgação de informações ou canais possuem as suas devidas particularidades.

O fato é que ao prestar o vestibular, online ou por meio das notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), o indivíduo costuma não ter ideia do que vai encontrar. Imagina então quando falamos sobre qual a diferença entre Jornalismo Científico e Divulgação Científica. Certamente, a falta de informação se torna ainda maior.

Tipos de jornalismo e a necessidade do estudo aprofundado

Existem tipos de jornalismo da mesma forma como existem diferentes mídias jornalísticas. É como quando você acessa um grande portal de notícias ou escuta a programação diária em uma rádio de grande audiência.

De forma simples e rápida, qualquer estudante e pessoa pode verificar a variedade de notícias, informações, programas e linguagens. Mas, antes de tudo isso, com um pouco mais de atenção é possível notar as diferenças das temáticas, as equipes de reportagem, os horários dos programas e por fim as editorias/assuntos que divulgam.

Em suma, tanto um veículo quanto o outro possuem esporte, saúde, políticas e economia, variedades, Brasil e notícias internacionais, jornalismo investigativo, comentários e análises e uma sequência diversificada de outros assuntos. Afinal, públicos diferentes exigem notícias e informações diferentes. E é função do jornalista providenciar esta multiplicidade de conteúdos dentro dos canais disponíveis. 

Qual a diferença entre Jornalismo Científico e Divulgação Científica?

Por isso, quando falamos em Jornalismo Científico estamos falando de uma categoria particular da produção de conteúdo informacional. E que também possui as suas características técnicas, tendências e diferenças em relação aos outros tipos de Jornalismo.

Mesmo que esta seja uma editoria não muito disseminada como as demais em nosso país, a divulgação de materiais jornalísticos científicos é muito comum em países onde a ciência tem papel fundamental no cotidiano da população. Sem falar na sua importância estratégica em diversos segmentos: economia, política, ciência, saúde, etc.

Todavia, existe uma coisa bastante importante e que é o foco do nosso post do Hora da Facul: Qual a diferença entre Jornalismo Científico e Divulgação Científica? 

Enfim, hoje em dia, fazemos muita divulgação e pouco Jornalismo Científico. Já que este último é extremamente técnico.

Jornalismo Científico é coisa séria

Uma das ferramentas mais democráticas da divulgação de informação científica é, sem dúvida, o próprio Jornalismo científico. Ele permite a popularização do conhecimento científico, possibilitando sua apropriação pela sociedade e com um papel fundamental na disseminação da própria educação com foco na produção de novos conhecimentos.

Antes de mais nada, uma reportagem com técnicas de Jornalismo Científico é levada de forma série e com uma pauta trabalhada de forma completa. Logo, ela deve apresentar informações detalhadas sobre fatos de natureza científica, mas com um olhar jornalístico. 

Entretanto, não valem como uma publicação científica propriamente dita. Neste caso, estamos falando de teses, trabalhos de conclusão, relatórios de pesquisa, etc. Em suma, o jornalismo científico é um tipo de jornalismo como qualquer outro: esportivo, político, fotojornalismo, entre tantos outros.

Características específicas do Jornalismo Científico

Ao contrário da divulgação científica de trabalhar fatos curiosos e publicar até pequenas notas com as novas descobertas do espaço, o Jornalismo Científico tem como essência gerar discussão, aprendizado e possuir veículos de comunicação muitas vezes próprios: revistas, colunas em jornais, programas de TV, entre outros formatos. Contudo, devem estar em acordo com os seguintes pontos:

  • Ter periodicidade

  • Fontes bem documentadas e consideradas oficiais

  • Linguagem de fácil acesso

  • Buscar incentivar a discussão e debate

  • Aprimorar o acesso ao mundo da ciência

O curso de Jornalismo forma jornalistas científicos?

Primeiramente, grande parte das instituições de ensino superior brasileiras formam jornalistas conceitualmente generalistas. Portanto, o curso de Jornalismo oferece uma formação ampla, para capacitar qualquer pessoa a atuar na área de comunicação. Seja para a produção, apuração e divulgação de notícias em diversos veículos e plataformas.

Entretanto, a graduação não prepara especialistas em áreas segmentadas, como as que já citamos anteriormente (esportiva, política, científica, entre outras). Se o estudante deseja um dia rumar para a área do Jornalismo Científico, é indicado que realize uma especialização ou procure se capacitar quando o assunto é o nicho das atividades científicas. 

Mas também existem os jornalistas que foram simplesmente aprendendo sobre a ciência durante o exercício da profissão, o que não reduz o seu expertise ou mesmo importância. Logo, é graças a essas pessoas pioneiras que a área começou a realmente ser levada a sério e concentrar um maior número de adeptos.

O mundo digital e a disseminação da ciência

Todo jornalista tem o dever de buscar aprimoramento em determinado segmento ou atividade – o que não é diferente no Jornalismo Científico. Em função disso e das novas tecnologias, essa modalidade se disseminou cada vez mais nas redes sociais e nos diversos canais digitais.

Contudo, ainda existe muita confusão quanto ao conceito da divulgação científica e a produção jornalística. 

Por isso, sempre vale a pena aprimorar seus conhecimentos e levar a sua atividade profissional a um nível de especialista. Antes de mais nada, o seu público merece.

Se gostou do nosso post e quer saber mais sobre assuntos tão especiais dentro da carreira universitária clique aqui para acessar a nossa página principal. Estamos aguardando você!

 

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.