A importância das Ciências Econômicas em tempos de crise

Vanessa Zampronho
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto de Markus Winkler no Pexels

Ouvimos muito falar em crise, mas não temos a dimensão do que ela representa. E é aí que entra o conhecimento e expertise do profissional de Ciências Econômicas

O mundo é uma caixinha de surpresas. Temos acontecimentos, o tempo todo, que impactam a política, economia, meio ambiente e sociedade como um todo. E esses acontecimentos estão interligados. O que afeta a política, tem interferência na economia e por aí vai.

Por isso que o conhecimento do profissional de Ciências Econômicas faz a diferença em um período desse. Ele saberá entender o que está acontecendo, como e quanto as adversidades atrapalham o negócio e o que pode ser feito para amenizar.

Qual a faculdade combina com o seu interesse? 

Preparamos um teste para você

Em muitos casos, ele pode até prever problemas no futuro, e agir de forma proativa para evitar que o problema se torne ainda mais grave ou se alastre. Mas, antes de mais nada, vamos entender o que são as Ciências Econômicas.

Economia e a gestão do dinheiro

Do grego ‘administrar a casa’, as Ciências Econômicas (também conhecida como Economia) estuda como gerir os recursos. Isso é importante, e logo de cara tem um conceito básico: os recursos são escassos. Isso não tem a ver com recursos renováveis e não renováveis, mas, sim, com a disponibilidade. Assim, até a energia elétrica obtida por células fotovoltaicas, por exemplo, não são produzidas em grande quantidade.

E por que esse conceito é importante? Porque é a partir dele que fazemos nosso planejamento para gerenciar o que temos à disposição. Entram nessa conta o seu orçamento doméstico, até o de grandes empresas, exploração mineral, produção agrícola e de água, só para ficar em alguns exemplos.

Já dá para começar a traçar uma ideia de como as Ciências Econômicas podem ajudar no gerenciamento de crises, problemas e como solucioná-los. A partir do conceito da escassez, devemos pensar nas prioridades.

Ciências Econômicas, oferta e demanda

Vamos continuar o raciocínio para entender outro conceito fundamental da Economia. Você já deve ter ouvido falar da oferta e demanda. Em linhas gerais, quanto mais produtos estão disponíveis para a venda, menor o preço que se cobra. O contrário é verdadeiro: quanto menos há à disposição, mais se cobra por ele.

Por que isso? Imagine uma grande produção de grãos. Há uma fartura no mercado de soja e as pessoas não consomem mais soja porque ela está mais barata. O consumo se mantém mais ou menos estável. Ao ver que muita gente vende o mesmo produto, os agricultores procuram ganhar vantagem cobrando menos. Afinal, é melhor ganhar um pouco do que não ganhar nada.

Tem o contrário. Imagine que há uma quebra na safra de soja. Seja por mau tempo ou uma praga na agricultura, a produção é bem aquém do que se previa. Assim, há menos grãos disponíveis no mercado, e a demanda é a mesma. Com o produto valorizado, o preço acaba ficando maior.

Entendendo a situação como um todo

Esse é um dos motivos pelos quais as Ciências Econômicas são um curso bastante amplo. Lida com Administração, Política, História, Finanças, Comércio Internacional, Direito, Sociologia e Matemática.

São essas e outras ciências que habilitam o economista a fazer uma análise completa da situação, descobrir possíveis causas e apontar soluções. Como o campo de trabalho do profissional é bem vasto, ele precisa estar preparado para tudo.

Uma confusão que pode vir à cabeça é entre Economia e Contabilidade. São áreas que lidam com dinheiro, mas, cada uma em uma parte diferente. O economista faz análises para orientar os diretores de uma empresa sobre qual caminho seguir e onde podem ser feitos investimentos – ou reduzir custos. O contabilista trabalha diretamente com as finanças da empresa, faz o controle das receitas e despesas e municia os diretores com dados sobre a saúde da organização.

O curso de Ciências Econômicas

É oferecido na modalidade bacharelado e tem quatro anos de duração. Assim, o aluno sai do curso habilitado a trabalhar em empresas, mercado financeiro, bancos e até na administração pública.

A grade curricular conta com Microeconomia, Macroeconomia, Mercado de Capitais, História da Economia, Política, Contabilidade, Matemática, Direito e Estatística, para ficar em algumas. Mas, outras entram na lista, até para ajudar na compreensão do Brasil e mundo. Assim, Sociologia, Psicologia, Comportamento Organizacional e Administração fazem parte.

Além, claro, das várias vertentes da Economia: de empresas, do setor público, privado, industrial, do Brasil e do exterior. Projetos de conclusão de curso fazem parte da grade, até para que o aluno coloque em prática o que aprendeu nos oito semestres de estudo.

Mercado de trabalho

Em empresas, os economistas são fundamentais para auxiliar os diretores na tomada de decisões. Eles sabem fazer uma análise da conjuntura como um todo, identificar como está o mercado, onde é possível investir e qual será o retorno. Ele também terá condições de prestar orientações no caso de uma crise atingir o setor no qual atua.

O mercado financeiro também é outro destino para o profissional de Ciências Econômicas. Ouvimos muito falar, por exemplo, do mercado de capitais. São as bolsas de valores, que negociam as ações das empresas, e corretoras financeiras. Ações são como partes de uma empresa, que podem ser negociadas nas bolsas.

Sabe quando ouvimos ‘as ações da empresa X estão em alta’? Isso significa que está sendo muito procurada (a lei da oferta e demanda) e, por isso, é mais valorizada. Mas, o economista sabe identificar boas oportunidades de negócio e orienta os investidores sobre quais são mais rentáveis para comprar. E o motivo é simples, mas pode trazer grandes prejuízos. Do mesmo jeito que as ações ficam mais caras, podem ficar mais baratas. Quando o preço cai, todo mundo perde dinheiro. É hora de reorientar os investimentos e analisar como o mercado está e como pode ficar.

No serviço público, economistas podem fazer parte das secretarias de Fazenda municipais e estaduais, e até do Ministério da Economia, mas não só. Tudo o que tem relação com análise econômica se beneficia muito do conhecimento do profissional de Ciências Econômicas. Assim, para quem gosta de números, entender a conjuntura econômica e de análises, esse curso é uma ótima opção!

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.