O que o curso de Cibersegurança proporciona ao estudante?

Raiza Moreno
Colaboradora Raiza Moreno
1

Crédito: Crédito: Canva.

Dentre as profissões que ascendem, sem dúvidas a Cibersegurança encontra-se não só na lista, mas em uma disputa acirrada pelo topo. Nesse sentido, com o aperfeiçoamento do home office, cursos e aulas EAD, sites de compras, aplicativos, mercado online, trâmites bancários via app e todos os outros universos que a tecnologia nos fez adentrar, fez-se necessário investir nos profissionais da Cibersegurança. Então, a pergunta é: o que o curso de Cibersegurança proprociona ao estudante?

Neste artigo, iremos destrinchar vários aspectos sobre a Cibersegurança que, por consequência, te farão compreender o que o a Cibersegurança proporciona ao estudante e ao profissional já formado.

Vamos lá?

O que é Cibersegurança?

A Cibersegurança corresponde aos estudos e ao desenvolvimento que permeiam técnicas e tecnologias que devem ser aplicadas sobre a proteção de dados. Estes dados perpassam redes de computadores, sistemas de segurança digitais, aplicativos e muito mais. Também, o profissional atuante da Cibersegurança tem, por obrigatoriedade, garantir toda a segurança para usuários e companhias que desenvolvem ferramentas na internet.

Nesse sentido, a Cibersegurança se responsabiliza, sobretudo, por toda a proteção de sistemas eletrônicos. E, isso envolve a prevenção e a defesa contra ataques ao sistemas, que podem ter diversos objetivos, como, por exemplo, rastreamento ilegal, uso indevido e não autorizado de dados dos usuários e uma série de fraudes.

Ainda, há uma outra forma de nomear a Cibersegurança, sabia? Esta, é comumente encontrada com a denominação de Tecnologia da Informação ou até Segurança de Informações Eletrônicas. Desse modo, independente do título, tal ciência visa englobar diversos contextos da dinâmica protetiva e as suas formas de aplicação.

Por fim, a Cibersegurança pode ser direcionada a áreas mais pontuais. Ou seja, há uma vasta gama de possibilidades inclusas na própria área. Confira algumas delas abaixo:

  • Segurança operacional;
  • Segurança de aplicativos;
  • Segurança de rede;
  • Recuperação de desastres;
  • Segurança de informações;
  • Educação destinada ao usuário.

O curso de Cibersegurança

A princípio, é importante pontuar que o curso de Cibersegurança é do tipo tecnólogo, também conhecido como Curso Superior de Tecnologia. Este, ao que se difere de um bacharelado, por exemplo, possui menor duração e objetivos distintos.

Dessa maneira, enquanto um bacharelado aprofunda-se em uma ciência sob uma perspectiva acadêmica, o tecnólogo visa construir a aprendizagem em prol das demandas do mercado. Então, algumas disciplinas base, por exemplo, não são vistas no tecnólogo. No entanto, disciplinas bastante atuais e frescas em relação a atuação do profissional, tendem a ser comuns em um Curso Superior de Tecnologia.

Também, é importante ressaltar que o curso de Cibersegurança pode ser feito tanto na modalidade presencial, quanto EAD (educação a distância). Depois, que a duração do curso tem uma média de dois anos e meio, caso o aluno não fique retido ou tenha dependência em alguma disciplina.

Ademais, dependendo da universidade, o curso pode receber nomes diferentes, como por exemplo:

  • Gerenciamento de Segurança de Computadores;
  • Segurança de Computadores;
  • Segurança da Tecnologia da Informação;
  • Segurança de Redes de Computadores;
  • Segurança de dados.

As disciplinas do curso de Cibersegurança

Outro aspecto importante em relação ao que a Cibersegurança proporciona, é conhecer a matriz curricular. Diante do conhecimento do que se estuda, torna-se possível e palpável não só os ganhos, como também a magnitude alcançada pelo curso.

Dessa maneira, confira as disciplinas dispostas na maior parte das instituições de ensino na grade do curso de Cibersegurança:

  • Lógica;
  • Certificação Digital;
  • Estatística;
  • Criptografia;
  • Comunicação Aplicada;
  • Matemática;
  • Auditoria de Sistemas;
  • Banco de Dados;
  • Desastre e Recuperação;
  • Computação Forense;
  • Segurança no Ambiente Web;
  • Comunicação Aplicada;
  • Políticas de Segurança;
  • Segurança de Sistemas Operacionais;
  • Segurança em Rede de Computadores;
  • Arquiteturas e Fundamentos em Rede de Computadores.

O que a Cibersegurança proporciona ao estudante e ao profissional?

Antes de mais nada, por ser uma profissão em ascensão, o curso encontra-se incluso na mesma narrativa. Dessa maneira, as instituições que disponibilizam tal curso, tendem a dispor aos alunos o contato direto com importantes tecnologias e inovações atualíssimas. Esse é, sem sombra de dúvidas, um dos principais ganhos do estudante: estar a par do mercado e de tudo que há de mais moderno.

Também, deve-se olhar para o horizonte e analisar tudo que é proporcionado hoje, que terá um ganho a curto, médio e longo prazo. Assim, confira alguns tópicos sobre tais possibilidades:

O crescimento exponencial

Com o volume de trâmites online acontecendo neste exato segundo, é indubitável que a demanda por profissionais da Cibersegurança tende a crescer. A internet hoje, é como uma extensão do nosso corpo e quase obrigatória perante a realização de inúmeras atividades

Assim, o estudante e o profissional de Cibersegurança estão inseridos em um momento de bonança. Ou seja, necessita-se, portanto, de uma boa rede de segurança para que os apps funcionem com êxito. Assim, as empresas responsáveis pela execução destes aplicativos e sites, contratam diversos profissionais da Cibersegurança para cuidar dos seus dados e manter os dispositivos livres de ameaças. Percebe a quantidade de portas abertas? Estude e vá com tudo!

O mercado está clamando por profissionais habilitados

A formação de um bom profissional perfura a bolha da experiência, pois envolve também o quanto este sujeito foi um estudante dedicado. Então, ao longo do curso, é fundamental mergulhar de corpo inteiro nas disciplinas, pesquisar e se empenhar. E, é claro, após formado, seguir estudando e atento as inovações, pois o mercado mundial necessita de profissionais da Cibersegurança.

Por fim, um estudioso brasileiro, Raul Colcher, doutor pela UFRJ e presidente da Questera Consulting Life Senior Member, do IEE. Em uma entrevista para o Estado de Minas, Raul, alega que as organizações brasileiras estão atrasadas na implementação de tecnologias emergentes.

Ainda, completa com a seguinte fala “O campo da cibersegurança é vasto e interdisciplinar, abrangendo competências diversificadas na área tecnológica, mas também em outras, tais como as de gestão, psicologia e ciências humanas em geral. Pode-se dizer que o Brasil conta com profissionais competentes e habilitados para as técnicas básicas de proteção contra os ataques mais comuns no universo corporativo. Mas, provavelmente, em quantidade insuficiente, tendo em vista os desafios atuais e previsíveis”.

Fica claro, portanto, que a Cibersegurança proporciona não só um repertório imenso e atual, como também possibilidades de atuação no Brasil e no mundo.

Esperamos que tenha gostado deste artigo, caro leitor.

Até breve!

Aproveite para melhorar seu conhecimento na área e leia também: Como fazer graduação em Cibersegurança?

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 5 / 5. Contagem: 1

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.