O que faz um gestor de cooperativas?

Vanessa Zampronho
Colaborador do Hora Da Facul
1

Crédito: Foto de RODNAE Productions no Pexels

O gestor de cooperativas acompanha o dia a dia da associação, o trabalho que a mesma desenvolve, as finanças, planeja e implanta novos projetos.

As cooperativas são um tipo de organização social que reúne um grupo de pessoas em torno de um interesse comum. Uma vez estruturada, funciona quase como se fosse uma empresa, e precisa de pessoas capacitadas para gerenciá-la. Aí que entra o gestor de cooperativas, quem conhece o trabalho da organização e orienta os cooperados.

Para se tornar um gestor de cooperativas, a formação acadêmica é fundamental. A mesma traz conhecimentos amplos que ajudam a formar um panorama geral sobre as cooperativas. Embora esse termo tenha se tornado mais comum nos últimos anos, sua existência não é tão recente. A lei que regulamenta as formas de cooperativismo é de 1971, mas foi a modernidade que fez as cooperativas mais conhecidas.

Já pensou em fazer sua faculdade dos sonhos à distância?

Tire todas as dúvidas e saiba mais sobre a modalidade EAD

 

Cooperativa como defesa de interesses comuns

De acordo com a lei de n° 5.764, para formar uma cooperativa, são necessárias, ao menos, 20 pessoas. Elas precisam fazer uma primeira assembleia, que é a reunião desses membros, com registro em ata e assinatura de todos. É quando, digamos assim, a cooperativa é fundada.

É nessa ocasião que os associados elaboram o estatuto da cooperativa. É esse que traz todas as informações sobre funcionamento, endereço da sede e formas de financiamento, por exemplo. Esses documentos precisam ser registrados em cartório, para que a cooperativa possa ter seu registro oficial.

Nesse estatuto, precisa constar a função da cooperativa, e é esse seu objetivo. A mesma representa um setor da sociedade e defende seus interesses perante governos e outras instituições. O gestor de cooperativas deve conhecer muito bem esse documento, afim de elaborar políticas de trabalho.

A formação do gestor de cooperativas

Hoje já temos cursos superiores de formação tecnológica para quem quer se tornar um gestor de cooperativas. São cursos que duram de dois a três anos, e trazem conhecimentos atuais e amplos sobre a administração dessas organizações.

O futuro gestor tem contato com disciplinas como Contabilidade, para ajudá-lo a acompanhar a parte financeira da cooperativa. Tem também Administração, com técnicas para gerenciar a atividade da organização, os funcionários, voluntários e acompanhar seus associados.

Legislação específica, como a lei n° 5.764, bem como as leis trabalhistas, também entram na grade curricular do curso. O gestor precisa entender como as cooperativas são formadas, quais são seus objetivos e o que fazer para expandir seu campo de atuação.

O gestor de cooperativas e a mudança na sociedade

As cooperativas provocam uma transformação na região onde atuam. Um exemplo bastante conhecido são as cooperativas rurais. Essas são compostas por produtores rurais, que isoladamente não teriam muita condição de defender seus interesses.

Mas, como diz o ditado, ‘a união faz a força’, e é o grupo de produtores rurais que ganha peso ao ir atrás dos seus interesses. Assim, uma cooperativa consegue benefícios para seus associados, além de criar oportunidades de negócio.

O gestor de cooperativas pode orientar os associados, inclusive, a verem quais são as oportunidades mais adequadas para a organização. Ele pode antever, no caso de produtores rurais, novos locais para vender a produção agrícola. Todo mundo ganha: os associados, o gestor e a sociedade que terá contato com esses novos produtos.

A transformação da cooperativa em empresa

Não é incomum que cooperativas que surgem pequenas cresçam ao longo dos anos. Há exemplos de grandes empresas, geralmente do setor alimentício, que são cooperativas desde sua origem. Essas conseguiram diversificar seu mercado consumidor e, por consequência, seus produtos.

Assim, se antes era uma cooperativa de produtores de leite, pode se tornar uma empresa de produtos lácteos. No seu catálogo, poderão ter leite, queijo, manteiga, doce de leite, além de outros produtos associados.

É aqui que entra o conhecimento especializado do gestor de cooperativas. Ele pode mostrar outros caminhos aos associados, levando a cooperativa ao sucesso. E tudo isso sem perder o objetivo de defesa dos interesses dos associados.

Outros exemplos de cooperativas

Embora as cooperativas de produtos alimentícios ainda seja a mais comum, o modelo cooperativista existe em outros ramos, bastante diferentes entre si. Um deles é o de cooperativas médicas. Um grupo de profissionais da Medicina se une para criar, por exemplo, uma clínica. Eles compartilham as despesas de manutenção do prédio e funcionários, além de dividirem o rendimento entre si.

Outra forma de cooperativa é a de crédito. O surgimento é semelhante: um grupo de pessoas, que podem ser de um setor da economia, se unem para criar uma espécie de poupança comunitária. Os associados contribuem mensalmente com um valor específico, que irá para alguma aplicação financeira. Caso algum deles precise de um empréstimo, ele saberá onde pedir, e ainda terá vantagens no pagamento dos juros.

Mercado de trabalho para o gestor de cooperativas

Trabalhar na gerência das cooperativas é um dos destinos mais procurados pelos alunos do curso. E, por ser um curso de nível superior tecnológico, o único requisito é que o estudante tenha o nível médio de estudos completo.

Assim, alunos que gostem do mundo das cooperativas, ou até mesmo um cooperado de uma organização, podem se especializar na área. Esse conhecimento traz profissionalismo à cooperativa e uma gestão mais eficaz do seu dia a dia.

O gestor de cooperativas pode ser o diretor ou presidente da associação, para gerenciá-la como um todo, ou pode atuar em departamentos específicos. No setor financeiro, por exemplo, ele controla os gastos, despesas e receitas da cooperativa, além de fazer o balanço anual. Cooperativas não podem ter lucro, mas devem ter formas de financiamento próprias.

Ele também pode atuar no Marketing, para divulgar o trabalho da cooperativa para a sociedade. Assim, o gestor pode elaborar campanhas para anunciar seus produtos e serviços, e tornar a organização mais conhecida.

Outro ramo de trabalho é na parte de legislação. Como essas organizações são regidas por uma lei específica, é fundamental que o gestor de cooperativas conheça bem as normas, para que ela funcione dentro da lei e possa defender o interesse de seus cooperados. Enfim, o gestor de cooperativas trabalha em prol da melhoria dos associados e da sociedade!

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.