Qual o objetivo de ir ao Psicólogo?

Bianca Araújo
Jornalista, escritora e amante de Marketing Digital. Graduada em Comunicação Social - Jornalismo, trabalhou na emissora REDETV! e hoje atua como redatora.
1

Dificuldade em lidar com as emoções e ansiedade excessiva podem ser sintomas de que você precisa ir ao psicólogo.

O psicólogo é um profissional que estuda e analisa a mente humana em estágios. Podendo assim identificar transtornos, traumas, receios inconscientes e até mesmo fantasias de seus pacientes. 

O objetivo principal desse especialista é ajudar o seu paciente a superar os seus bloqueios mentais, o transformando em um ser humano capaz de gerenciar os seus pensamentos mais profundos de forma saudável e controlada. Mudando decerto as suas reações diante das dificuldades da vida. 

Vai fazer vestibular para Psicologia?

Descubra qual área de atuação mais combina com você

 

Mas por qual motivo alguém sente a necessidade de ir ao psicólogo? De modo a de fazer um acompanhamento tão íntimo e de deixar alguém desconhecido entrar na sua cabeça de forma tão profunda? 

Vamos te ajudar a entender! 

Quando devo procurar um psicólogo?

Não é novidade que a vida para nós, seres humanos, é difícil. Inegavelmente repleta de obstáculos para chegar aos nossos objetivos e anseios. Bem como trabalhar, estudar, manter relações sociais e familiares, cuidar dos filhos, cuidar da saúde física, pagar as contas e se divertir, parece ser impossível. 

Além disso, muitas vezes temos que ser fortes pelos outros. Rir quando gostaríamos de horar, trabalhar quando queríamos dormir, almoçar com a família quando seria bom ficar no canto quieto, mas tudo isso faz parte de um circuito infinito chamado vida e que apesar de bonito, pode ser perturbador em algumas ocasiões.

Então que lindo cenário poder sentar numa cadeira e contar para alguém desconhecido o que você está sentindo, sem receios. Por exemplo: “Meu pai quer ser avô, mas eu não quero ter filhos. Meu marido chega diariamente de madrugada. Minha mãe me contou um segredo horrível. Meu chefe deu em cima de mim. Meu irmão sofreu um acidente de moto.” 

Apesar de serem desabafos angustiantes, pense em falar tudo isso sem ouvir nenhum julgamento de volta, mas sim solidariedade. Ou o melhor ainda: você contar sem o medo daquela conversa sair dali, pois você está em uma consulta e existe um sigilo que os dois devem cumprir. 

Então isso de forma nua e crua, é fazer terapia. Sem muitos floreios ou rodeios.

Muitas vezes, desabafamos com amigos e recebemos de volta julgamentos maldosos. Muitos indivíduos então guardam o que sentem, sem conseguir conversar. Mas o psicólogo serve exatamente para isso. Para te escutar, sem te julgar. Para te aconselhar e para expor uma opinião imparcial, te ajudando a enxergar os fatos de uma perspectiva mais técnica. Te transformando em uma pessoa consciente dos seus pensamentos.

Quais as razões para fazer terapia?

Muitos são os benefícios que sessões de psicoterapia podem ter na vida do ser humano. Aqui vamos citar algumas razões para alguém ter a necessidade de passar por esse tratamento.

Estudos revelam que mais da metade da população deveria fazer terapia, a questão é que nem um terço dessas pessoas fazem. Isso porque durante muito tempo, o indivíduo que fazia terapia e psicanálise era considerado louco ou insano. E por fim, muitos não fazem por vergonha da sociedade. 

Existe outro lado na porcentagem dessas pessoas que tem um medo ainda mais perigoso: O medo da terapia. O receio instintivo de encarar seus medos, traumas mais sombrios e, consequentemente, de falar isso em voz alta. 

Uma vez, ouvi que terapia dói mais do que o problema, que passar por sessões falando abertamente sobre os seus monstros doía muito mais do que esconder aquelas coisas dentro de si mesmos. A questão é: uma passa, a outra não. 

De antemão, podemos falar que o objetivo de fazer terapia é o indivíduo se conhecer melhor, procurando dentro de si mesmo as respostas que precisam. 

Vamos listar aqui, algumas coisas comuns, mas que influenciam tanto a vida das pessoas que se tornam motivos interessantes para se fazer terapia.

  1. Dificuldade em lidar com as emoções:

Parece uma coisa simples para você ou para mim, mas para muitas pessoas lidar com os sentimentos é exaustivo e insuportável. Na psicoterapia, o paciente aprende a cuidar do seu emocional, não deixando que qualquer coisa o abale de forma catastrófica. Deixando seu campo afetivo mais forte para quando estiver em situações desconfortáveis.

      2. Dependências químicas:

Para muitas pessoas o consumo excessivo de álcool e tabaco é relativamente normal. Mas elas não percebem o quanto esse hábito pode ser terrível para sua saúde, afetando também seu cotidiano e suas relações sociais.  

      3. Ansiedade exagerada:

Sabe aquele martelinho na cabeça te preocupando sobre algo simples? Será que você devia mesmo estar preocupado com isso? Mas você continua se preocupando. Isso começa a afetar o seu sono e sua produtividade diária. Esses são sintomas de ansiedade e saber lidar com ela é extremamente necessário, a ajuda do terapeuta é importante nesse processo. 

    4. Problemas de insegurança:


Boa parte da população sofre de uma insegurança absurda. Na maior parte delas, as mulheres. Insegurança no trabalho. Insegurança nas relações interpessoais e profissionais. O psicólogo vai ensinar a lidar com isso de forma saudável e leve. 

   5. Traumas antigos

Parece mentira, mas isso acontece mais do que você pode imaginar. Pode ser um acontecimento marcante do passado, um acidente, um crime, uma história na TV. Você pode ter quatro anos e lembrar disso, porque te marcou por toda sua vida. Te impossibilitando de viver plenamente. O psicólogo te ajudaria nisso. 

Esses são apenas alguns casos comuns de razões para pessoas que se consideram saudáveis fazerem psicoterapia, no entanto, existem casos mais graves em que o indivíduo sofre de transtornos mentais e precisa de sessões de psicoterapia semanais ou diárias. 

Transtornos mentais que precisam de acompanhamento do psicólogo

Ansiedade (Transtorno de Ansiedade Generalizada):

A doença do milênio. A ansiedade faz com que o indivíduo tenha preocupações intensas e exaustivas com coisas simples do cotidiano. Quem tem esse tipo de transtorno pode se preocupar várias vezes com algo durante o dia, sem ter um motivo real para isso. 

Depressão

De acordo com matéria publicada no G1, a OMS registrou em 2017 que 5,8% sofria de depressão no Brasil.

A depressão é uma sensação de tristeza profunda e constante. Esse transtorno está diretamente atrelado ao sono, muitas pessoas sofrem de insônia grave durante a doença, outras conseguem passar dias dormindo, sem ter vontade de sair ou trabalhar. Essa doença causa desesperança e dificuldade em manter relações e é um dos principais motivos do suicídio. 

Transtorno afetivo bipolar

Como o próprio nome já diz, esse transtorno tem como principal sintoma as mudanças drásticas de humor. Dificultando o indivíduo a manter um nível agradável de comunicação e de socializar com outros seres humanos.

Fobia

A pessoa que sofre dessa doença, possui um grande medo de uma coisa específicas. O que lhe traz muitos problemas ao longo da vida. 

TOC (Transtorno obsessivo compulsivo)

O transtorno obsessivo compulsivo é uma obsessão constante e exaustiva que causa comportamentos repetitivos. Geralmente, quem tem esse transtorno reconhece o problema. Sabe que a conduta é irracional, mas não consegue controlar seus impulsos repetitivos. 

Dependência química

Em primeiro lugar, a dependência do tabaco e do álcool acomete boa parte da população brasileira e a maioria das pessoas não enxerga esses vícios como um problema mental. Em segundo lugar, essas são apenas as drogas lícitas, outra metade da população depende de drogas ilícitas e não conseguem enxergá-las como um vício também. O tratamento precisa ser iniciado rapidamente com a dispersão do dependente, afastando-o da droga em que é viciado. E logo depois, precisará participar de sessões de psicoterapia individual ou em grupo. 

TBP (Transtorno de personalidade borderline)

É o problema de se relacionar com as pessoas. Isso pode ser em relacionamentos amorosos ou familiares. Pessoas com esses transtornos costumam se envolver em situações de risco mesmo sabendo que podem prejudicá-las, como relações amorosas tóxicas, excessos de álcool e drogas, ou comer compulsivamente. É como se o indivíduo estivesse o tempo todo se auto sabotando.  

Conclusão

Em conclusão, podemos dizer que embora grande parte dos seres humanos se considerarem saudáveis mentalmente, ao mesmo tempo, essas pessoas podem ter grande dificuldade em lidar com problemas cotidianos. Mas certamente poderiam melhorar muito com sessões de terapia. Visto que precisariam ser motivados pelo próprio indivíduo em busca de melhorar a forma que vive.

Já as pessoas com transtornos crônicos ou severos necessitam de tratamento constante do seu psicólogo, porque além de ajudar a lidar com o seu problema, o profissional precisa ficar verificando a evolução da melhora da doença.

O quão útil foi esta matéria?

Clique na estrela para avaliar!

Avaliação média 0 / 5. Contagem: 0

Ainda sem avaliações! Seja o primeiro a avaliar.